Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





subscrever feeds


Arquivo



Para as claques portuguesas de futebol

por jonasnuts, em 31.03.11

Caros.... tenho aqui uma recomendação, que chega da Rússia, mas que acho que pode ser muitíssimo bem aproveitada por cá. Então é assim, vocês reúnem-se todos num descampado qualquer, e põem-se à batatada uns com os outros. Não precisa de ser em dia de jogo, que essa parte do futebol não interessa para nada, e assim como assim, vocês estão-se cagando para o jogo.

 

Batatam tudo o que houver para batatar e no fim, vai cada uma para seu lado. Para casa, para as urgências dos hospitais, enfim, o que vos der mais jeito. Em compensação, ficam longe dos estádios, sobretudo em dias de jogo.

 

Era melhor para vocês, que assim faziam aquilo de que mais gostam, era melhor para nós, mães que querem levar os putos aos jogos mas têm medo, era bom para os clubes que não ficavam com os estádios todos estraçalhados depois dos jogos, e, mais ainda, gastavam menos dinheiro em segurança. Não vejo inconvenientes para ninguém.

 

Boa?

 

Vejam o vídeo e inspirem-se. Estas são as claques do CSKA e do Dynamo de Kiev.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Livros

por jonasnuts, em 30.03.11

Gosto muito de livros. Gosto muito de ler. Já gostei mais, é um facto. Houve uma altura em que devorava tudo o que me aparecia à frente. Os meus pais não tinham, sequer, capacidade financeira para me manter alimentada, tal era a voracidade.

 

Não tenho aquela coisa do papel, ahhhh, tenho de sentir o papel e o cheiro, enquanto leio. Não sou da forma, sou do conteúdo. Há muito livrinho lá por casa que me teria dado igual gozo se estivesse em formato digital (não todos, mesmo assim, não todos).

 

Enfim, o livro, a obra, o que lá está escrito pertence a um universo que venero. Venero pelo prazer que me proporciona e porque não consigo fazer igual (nem sequer próximo :).

 

Vai daí que, posto isto, não percebo as pessoas que publicam um livro ou que querem publicar um livro, quando não são escritores por aí além. E hoje, qualquer pessoa publica um livro. E está na moda, publicar livros.

 

Por causa daquele episódio de final do ano, que deu aquela escandaleira toda (estou a tentar evitar dizer o nome da Ensitel, como já se notou), já por mais do que uma vez me sugeriram que escrevesse um livro. No passado também me desafiaram para escrever um livro sobre a cena do Terràvista, e sobre a história da Internet em Portugal.

 

E eu fico a pensar, um livro? Que raio..... tenho um blog e já me vejo à rasca, agora um livro? Para quê, se tenho o Blog?

 

E respondem-me, ah, por causa do prestígio e do dinheiro.

 

O problema é que, na minha opinião, só têm prestígio os bons autores, os que querem mesmo fazer disso a sua vida, os que têm talento. Toda a gente aprende a juntar letras na escola, mas são muito poucos os que sabem escrever. A mesma coisa para o dinheiro. Não conheço nenhum escritor rico. Pode haver uns que tenham mais uns trocos, mas, a grande maioria, são uns tesos.

 

Expliquem-me, porquê a ânsia de escrever um livro, quando não se escreve extraordinariamente bem, e se pode dizer exactamente a mesma coisa, num Blog?

Autoria e outros dados (tags, etc)

O meu namorado vai dedicar-se à culinária

por jonasnuts, em 29.03.11

Pelo menos foi o que ele me disse, no messenger, enquanto me enviava, em simultâneo, o link deste vídeo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os nomes das coisas

por jonasnuts, em 29.03.11

Há muitos anos, quando eu trabalhava em publicidade, uma conhecida marca de detergentes para lavar a roupa queria lançar um novo produto no mercado. Uma fórmula melhorada do seu produto. Nessa fórmula, tinham adicionado qualquer coisa, e queriam informar os seus consumidores.

 

Ora, até aqui, tudo muito bem. Onde eu comecei a estranhar (pobre ingénua que eu era), foi quando nos encomendaram duas locuções diferentes para o mesmo spot de televisão. Num, exaltavam-se as enormes capacidades branqueadoras e cientificamente comprovadas do "Nome do Detergente" com Megaperls, e noutro spot, aliás, no mesmíssimo spot, outra locução, em que a estrela da companhia era o Oxigénio activo (ou coisa que o valha) que, charters de laboratórios comprovavam como eficaz.

 

E eu (coitadinha, tão tenrinha) perguntei, mas afinal, aquilo leva as megaperls ou o tal do oxigénio? O cliente estrebuchou, mas lá disse que não levava nada, mas que se dissessem que levava, as vendas subiam.

 

Relembro-me amiúde desta história. E hoje amiudei-me outra vez, à conta de roupa interior reafirmante e anticelulítica. Só a descrição já me arrepia os pelinhos da nuca. Mas não fica por aqui. Dizem os senhores que "os cristais Bio Activos integrados no DNA da roupa estimulam o metabolismo celular e aumento o fluxo sanguíneo da epiderme".

 

Ora, DNA, que em português se diz ADN é um composto orgânico, cujas moléculas contêm as instruções genéticas que coordenam o desenvolvimento e funcionamento de todos os seres vivos.

 

Uma cinta com ADN parece-me ser uma coisa muito à frente. E reparem, eu não sou médica ou bióloga, tenho dedos, e vou à Wikipédia.

 

Ora, se a Wikipédia me resolve o problema do DNA, o mesmo já não acontece com os cristais bio activos, ninguém parece saber o que raio são os cristais bio activos. Ninguém? Calma. Há uns senhores que sabem o que são os cristais.Claro que são os fabricantes das cintas, mas isso agora não interessa para nada.

 

A sério.....? Não há uma porra duma entidade que impeça estas merdas de serem lançadas e publicitadas sem primeiro provarem, de facto cientificamente, aquilo que alegam?

 

E multas. Charters de multas. Isso é que era.

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Redes sociais para políticos

por jonasnuts, em 29.03.11

Leio aqui que foi criada uma rede social nacional para políticos.

 

A empresa dona desta rede social diz que "o seu principal objectivo procura promover o encontro entre políticos, políticas e cidadãos".

 

É só a mim que isto soa a imbecilidade?

 

Se os políticos têm necessidade dum espaço para se encontrarem com os cidadãos, eles que venham até ao Facebook, e ao Twitter, que é onde os cidadãos já estão. Porque raio têm de ser os cidadãos a ir até aos políticos? Venham os políticos aos cidadãos. Deixai vir a mim os políticos? :)

 

Para quê criar uma rede social específica para políticos? Funciona por fax, é?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Boleias

por jonasnuts, em 29.03.11

Se forem como eu, já deitam greves pelos cabelos. E olhem que, pensando bem, não é nada fácil deitar greves pelos cabelos, sobretudo se se tratar de cabelo fino como o meu.

 

Na semana passada, durante a greve da CP, nem um comboio passava na Marginal. É o caminho que faço. Apanho a Marginal em Paço de Arcos, até Lisboa. Ali em Caxias, ao pé dos semáforos, estava um senhor. Calças, camisa, casaco de chuva, pasta. Teria 40 ou 45 anos. Polegar esticado. Pedia boleia.

E a fila de carros (que era imensa) cheia de carros ocupados apenas a 20%

 

Caiu-me me a ficha.

 

Porque é que, em dia de greve, o pessoal não vai para os semáforos da Marginal, apanhar boleia de quem passa com o carro vazio?

 

Não era o meu caso, o meu carro vai, todos os dias, ocupado a 100%, mas se tivesse mais lugares, tinha parado e dado boleia ao senhor que, com ar de escriturário (ou qualquer coisa assim inócua) pedia boleia.

 

A verdade é que não vi ninguém a parar para lhe dar boleia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Caro Tozé Brito

por jonasnuts, em 27.03.11

Espero que este post te encontre bem de saúde, e confesso que já te deveria ter escrito há mais tempo, nomeadamente ontem, quando traduzi um post do Enrique Dans. Colmato agora a minha falha, e acrescento-te agora à lista dos destinatários.

 

Mas esta cartinha é um dois em um, depois da missiva ali de cima, chamo a tua atenção para esta notícia, da indústria que pediu 2 milhões de dólares a uma mulher por esta ter partilhado 24 músicas e que, sem se aperceber do ridículo da coisa, eleva agora a fasquia, estimando em 75 triliões de dólares o dano causado por um serviço de partilha de ficheiros.

 

Refrescante e felizmente, o juiz apelidou estas contas de "absurdas".

 

O sítio onde li isto termina o post duma forma genial, que vou, descaradamente, roubar.

 

Which record company owns the rights to “The Times They Are A Changin’”? They should give it a listen.

 

(Mas, e nisso estamos de acordo, viva o Benfica Glorioso, Clube Mai Lindo do Mundo e mais Além :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nova forma de caça ao voto feminino

por jonasnuts, em 27.03.11

Não é em Portugal (mas seria divertido se fosse), mas na Holanda, em que um político cometeu o erro de twittar em público aquilo que deveria ter sido uma DM (mensagem que apenas é vista pelo destinatário, se a coisa correr bem, que não foi o caso).

 

 

 

Para os que, como eu, não dominam o holandês, aqui vai o mimo que o deputado enviou aos seus seguidores, embora se destinasse originalmente a uma (sortuda) destinatária.

 

“As you throbbingly climax for the first time I feel your juices in my mouthas if they were the nectar of love”

 

E para os que não dominam o inglês, aqui fica a tradução para português:

 

"Enquanto te vens, vibrantemente, pela primeira vez, sinto os teus sumos na minha boca como se estes fossem o néctar do amor".

 

Estão a ver algum político português a escrever isto? :)

 

O senhor tem sentido de humor, e, após a gafe twittou o seguinte:

 

"Well, at least I’ve gained 20 new followers.  a lot of people apparentl have needs they don’t dare to share”

 

A minha dúvida é, 20 novos followers? Só 20?

 

Daqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O post original pertence ao excelente Enrique Dans, em castelhano, aqui.

 

 

Eu traduzi (depois de pedir autorização, evidentemente).

 

 

 

"Mentira. Tudo mentira. Os downloads não provocam menos vendas, nem perda de postos de trabalho, nem menos riqueza, nem descidas do PIB, nem nenhuma das apocalípticas mensagens que a indústria dos conteúdos tem espalhado ao longo destes últimos anos. São simplesmente mentirosos interesseiros, que procuram influenciar políticos e cidadãos para conseguir, exclusivamente, o seu próprio benefício.

 

 

Um estudo levado a cabo na London School of Economics analisa a evolução das métricas da indústria em comparação com os downloads, e demonstra que tudo o que a indústria afirmava estava errado ou era, simplesmente, mentira. Que a indústria não está assim tão mal quanto nos querem fazer crer, que os downloads não provocaram qualquer efeito significativo (e que, de facto, representam o futuro da indústria), e que as descidas na facturação da indústria se devem, simplesmente, a outros factores, como a crise económica e a queda generalizada da economia de consumo. Para uma boa análise, recomendo este artigo da Ars Technica, Did file-sharing cause recording industry collapse? Economists say no.

 

As evidências são claras: que as vendas baixaram, é óbvio, mas baixaram exactamente da mesma forma em segmentos da população que careciam de rendimentos e de acesso à Internet, e devido fundamentalmente a uma quebra no rendimento disponível para gastos em entretenimento. Os downloads, como muitos de nós temos referido frequentemente, não prejudicam as vendas, apenas aumentam a  notoriedade e multiplicam a exposição,  convertendo em mais tangível o interesse que faz com que muitas pessoas vão a um concerto, a uma sala de cinema ou consumam conteúdos através dos suportes disponibilizados pela indústria, se é que esta propõe algum que seja minimamente razoável, o grande calcanhar de Aquiles que está por trás das suas quebras de receita.

 

 

Perseguir os downloads e os que os fazem é uma estratégia errada e sem saída. Proteger modelos de negócio obsoletos pretendendo evitar os avanços da tecnologia apenas contribuem para congelar a inovação da indústria. Verdades sustentadas por dados e análises, em oposição a lucubrações interesseiras duma indústria manipuladora, de lóbis dedicados a sustentar altos lucros por pouco trabalho, e monopólios do passado. Vale a pena ler o estudo, escrito em linguagem perfeitamente acessível: é tão claro, que até um político o consegue compreender :-)"

 

Como de costume, Enrique Dans diz EXACTAMENTE aquilo que eu penso (e mais bem escrito :)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Futre por Unas

por jonasnuts, em 26.03.11

E eu nem costumo achar piada ao Unas, mas este vídeo é quase tão bom como o original. Quase :)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pág. 1/3





subscrever feeds


Arquivo