Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jonasnuts

Abertura do ano judicial

Foi hoje, ao que parece, a cerimónia de abertura do ano judicial. Meteu pompa, circunstância, discursos de pessoas importantes, direito a tempo de antena nos jornais, telejornais, rádio jornais e mais que mais.

 

Coisa de monta, portanto.

 

Muitas declarações sobre o estado da justiça, e sobre a lentidão, e sobre a recuperação da credibilidade e da confiança.

 

Epá, tudo lindo e do melhor.

 

Mas, para o ano, recomendo que façam a coisa de forma mais discreta. Não dêem tanto nas vistas.

 

É que virem falar dos atrasos da justiça, e da pobreza da justiça, e da injustiça da justiça, quando abrem o ano judicial quase no final do primeiro mês do ano, a mim, que dei início à coisa no dia 2, parece-me insultuoso.

 

Muito agradecida.

Dia da memória das vítimas do holocausto

Porque é uma coisa que não tenho pressa nenhuma em explicar ao meu filho (como é que se explica o inexplicável), mas porque, de certeza que o farei.

 

Um dia, quando eu própria perceber.

 

Até lá, importante importante, é não esquecer.

 

Eu, que não sou facilmente impressionável (ou não era), não tenho pedal para as fotos. A sério. Não. Tenho. Pedal.

 

Vão aqui, que está lá tudo mais bem escrito, mais bem explicado, mais bem ilustrado, mais bem documentado. Enfim, mais bem tudo. Este post é só porque não queria deixar de o fazer.

Parece que hoje é dia de mim

Nem sabia que existia tal coisa, até ver uma referência no Twitter (via Twitter do Armando Alves).

 

Parece que hoje é o Communitty Manager Apreciation Day.

 

É fixe que haja um, quanto mais não seja para que as pessoas não franzam o sobrolho quando nomeio a minha profissão. Normalmente deixam de fora a parte das comunidades, e deixam só o gestora :)

 

 

 

 

 

Sá Pinto

Não tenho nada a acrescentar ao que já foi escrito sobre o episódio de batatada entre lagartada é, aliás, tema que pouco me interessa.

 

No entanto, em TUDO o que li, era genérica a opinião de que o Sá Pinto é beto.

 

Desculpem lá, mas aquele arzinho engatatão, gabiru, todo bom porque tem olhos claros, não é de beto. É de probrezinho mora longe, beto wannabe. Não me lixem, o homem pode ser muita coisa, mas não é beto.

Marketing directo

A Fernanda Câncio escreveu sobre este tema um post esclarecedor.Vão lá ler e depois voltem para eu vos explicar como é que se livram desta gente.

 

Há 3 técnicas para nos livrarmos deste tipo de telefonemas incómodos, que aumentam a olhos vistos, ou a ouvidos vistos, no caso:

 

1 - Assim que o interlocutor diz o nome da empresa que representa interrompê-lo com um sorriso nos lábios, dizer que lhe fazemos o favor de não o deixar perder mais tempo, e informamos que trabalhamos na empresa que concorre directamente com a dele. Se me ligam do Clix ou da Zon, eu digo logo, ah, eu trabalho na PT. Não só não me fazem perder mais tempo naquela chamada, como marcam lá na base de dados que eu trabalho na concorrência. Pelo menos aqueles não me voltam a chatear. Ah. Não precisa de ser verdade....podemos dizer que trabalhamos onde quisermos. Se me ligarem do PSD eu digo que escrevo no Corporações. Se me ligarem do PS eu digo que sou empregada do Pacheco Pereira. Simples e eficaz.

 

2 - Assim que o interlocutor diz o nome da empresa que representa nós perguntamos imediatamente: onde é que arranjou este número e quem é que lhe deu autorização para me contactar? Vou fazer queixa à comissão nacional de protecção de dados (CNPD). Normalmente desligam a chamada na hora.

 

3 - Esta é a estratégia que implica mais investimento pessoal, mas é também a mais divertida e que já referi mais amplamente aqui, mas que o vídeo que se segue explica muito bem.  

 

 

</p>

A sério, para nos livrarmos destas testemunhas de Jeová das novas tecnologias, são estas a 3 hipóteses. Escolham a última, e partilhem as chamadas :)

Burrice blogosférica

Este blog é pessoal e generalista. Não é, definitivamente, um blog político. Mas eu acompanho a blogosfera política (e as outras, já agora), e espantam-me os erros de principiante que cometem algumas pessoas que já deviam saber mais.

 

A blogosfera é debate e opinião. Não debate só quem quer, há casos em que debate quem pode, e quem vai à guerra dá e leva. Mas, para haver debate e troca (mesmo que seja de pancadaria), tem de haver respeito. Não se trocam argumentos com pessoas que não respeitamos. Pelo menos de forma persistente.

 

Estranho muito uma certa blogosfera que se insurge com determinado blog, ou personagem, e que insulta, e que tenta negar, e que desvaloriza e que, ao fazer isto tudo, está pura e simplesmente a amplificar, a difundir e a divulgar o tal blog ou personagem.

 

Isto é generalista, embora eu me tenha inspirado num tema (re)corrente da blogosfera política. É um erro persistente, e eu estranho que pessoas inteligentes caiam nessa armadilha.

 

Há um personagem blogosférico (e não só) de que não gosto, não respeito nem intelectualmente nem de qualquer outra forma. Sei-o uma pessoa desonesta, sem palavra, que escreve (e fala) ao sabor dos seus interesses muito pessoais. Enfim, uma nódoa.

Acham que lhe dou, sequer, um hit para as estatísticas? Acham que contribuo sequer com uma visita para os seus KPIs? Acham que leio o que ele escreve? Para quê? Se não o respeito, porque raio vou ouvir o que ele tem para dizer? Para o contradizer? Não vale a pena, o próprio mete habitualmente os pés pelas mãos, cumprindo competentemente o papel de se contradizer (é a chamada versatilidade vira casacas).

 

Faço o que melhor se pode fazer a este tipo de gente, ignoro-o. Ele não existe.

 

Não percebo a incapacidade da blogosfera, de ignorar as pessoas que não respeita e, pelo contrário, lhes dá mais visibilidade e lhes cria mais forma e consistência.

Pág. 1/3

Pesquisar

No twitter


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D