Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





subscrever feeds


Arquivo



Horário de expediente

por jonasnuts, em 30.03.12

Nunca foi algo muito natural, para mim, esta coisa do horário de expediente. Acho que, de toda a minha família, só tive uma pessoa que cumpria escrupulosamente, o horário de expediente. Foi o meu avô César, que trabalhava na EDP. Há uns bons 40 anos que se reformou, acho que não me lembro do meu avô sem ser reformado. Mas com ele, era limpinho, entrava à hora certa, saía à hora certa. Em casa não falava do trabalho.

 

Já o resto da família, foi muito diferente. Bom, a minha avó Julieta trabalhava em casa, era doméstica, pelo que o horário de expediente natural, para ela, era o das 24/7.

 

De resto, a minha avó materna trabalhava na bilheteira dum cinema, horários esquisitos, sempre uma história para contar, sobre as pessoas que por lá passavam (presumo que trabalhar directamente com o público dê sempre grandes histórias). O meu avô materno era o homem dos mil ofícios, mas eu já só o conheci como operador de câmara, e mestre das luzes, fazia imensas reportagens, em Portugal e lá fora. Horário de expediente, népia. Histórias? Dava para uma colecção de livros. O meu pai trabalhava em seguros, era comercial, suponho, mas também tinha uns horários arrevesados. A minha mãe, publicitária, copy. Mesmo numa altura em que tinha de picar o ponto (o próprio e o alheio, segundo consta), vinha para casa pensar em conceitos, e em slogans, e em jingles, e em packshots e claro, histórias, muitas.

 

Eu nunca soube o que era o horário de expediente. Comecei por trabalhar em produção. Em produção, não há horários, temos de ser os primeiros a chegar e os últimos a sair. Passei para a produção de publicidade. Qual horários, qual Natal, qual horário de expediente. Se há uma merda que tem de estar pronta naquele dia, naquela hora, é porque tem de ser.

Chego às internetes. Mais exactamente ao Terràvista. Como é que deveria funcionar o horário de expediente dum serviço que funciona 24/7? Na minha perspectiva, o horário de expediente é total. Qualquer pessoa que trabalhe nesta indústria, tem de saber que tem de ter uma disponibilidade de 24/7. É esse o nosso pressuposto. É essa a nossa premissa.

E é claro que, fazendo algo de que gosto muitos, as coisas misturam-se. Atenção, não digo que se baralhem, mas misturam-se. Da mesma forma que, de férias, vejo o mail, e os feeds, e o twitter (contas oficiais e contas pessoais), e o Facebook (the same), é natural que durante o horário que o resto do mundo acha que é de expediente, eu faça exactamente a mesma coisa. Vejo o Twiter (contas pessoais e contas oficiais), vejo o Facebook (the same) vejo feeds, and so on, and so on, and so on.

 

Por isso, se alguém que não trabalha nesta área (ou que trabalha numa área que vive em horário de expediente) me pergunta, porque é que fazes posts no teu blog pessoal durante o horário de expediente, eu respondo uma de duas coisas:

1 - A plataforma de blogs que eu uso, permite-me editar a hora do post. Portanto, se eu quiser, a hora que aparece no post não é a hora a que foi escrito o post.

2 - Se eu não puder escrever no meu blog pessoal durante o meu horário de expediente, então não posso ter blog, porque o meu horário de expediente é de 24/7.

 

Eu sei que há pessoas a quem dava jeito (e descanso) que eu não pudesse escrever no meu blog pessoal. Lamentavelmente (para essas pessoas), a indústria onde trabalho, já evoluiu para o século XXI.

Autoria e outros dados (tags, etc)

#PL118 Os próximos passos

por jonasnuts, em 22.03.12

Ainda a missa vai no adro.

 

O PS, pediu prorrogações sucessivas do prazo, a fim de "ouvir mais entidades", aproveitando o prazo alargado para tentar negociar com o PSD a aprovação prévia da coisa. Correu mal. Não sei quais seriam os requisitos do PSD (partido que esteve sempre muito caladinho em relação ao PL118), mas o que é facto é que o PS percebeu que a coisa não ia passar, e teve de mudar de estratégia.

 

Tinha 2 opções. Ou mudava o texto da actual proposta, tendo de, para o efeito, fundamentar a alteração junto da presidente da Assembleia da República, ou retirava o projecto de lei, e voltava a apresentá-lo mais tarde. É um detalhe técnico. Uma vez que o projecto de lei ainda não tinha sido votado (nem na generalidade nem na especialidade), o PS pode retirar a proposta e apresentar nova iniciativa, ainda durante esta legislatura. É o que vai fazer.

 

Vitória, vitória, clamam alguns. Não. Nem por isso. O PS não mudou de ideias. O barulho que se fez, apenas serviu para 2 coisas (ambas importantes); para que fossem identificados erros grosseiros na proposta (as tais alterações que o PS quer fazer, que passam por retirar os SD Cards, e corrigir o comportamento incremental da taxa face à lei de Moore), e para que os restantes partidos percebessem que a sua reacção inicial ao projecto de lei tinha sido extemporânea.

 

Relembro que a reacção generalizada à proposta do PS foi de aclamação, e o consenso parlamentar foi até, saudado, com os respectivos congratulamentos. Mais....se bem se lembram, o PSD (que agora se opôs ao PL118) apenas apontou uma falha na proposta do PS: as taxas eram demasiado baixas.

 

Isto é política, senhores. O PS está a adoptar uma estratégia idiota (na minha opinião), de se chegar à frente com uma proposta que não faz qualquer sentido tendo em conta a época em que vivemos. A premissa de que as entidades gestoras de direitos de autor têm de ser compensadas pela existência da possibilidade da cópia privada é uma coisa do século passado. O PSD está a ser inteligente, está a deixar que seja o PS a queimar-se politicamente com esta questão (que tem sido, desde o início, levada por alguém que é, vá, pouco hábil, politicamente falando, a deputada Gabriela Canavilhas), e enquanto o PS se queima, o PSD, que tem a revisão da lei da cópia privada inscrita no seu programa de governo, vai levando a água ao seu moinho, sem se chamuscar.

 

De Gabriela Canavilhas, não se esperaria um comportamento diferente, afinal de contas, não é uma política, está ali por acaso, ninguém sabe exactamente porquê. Já de Carlos Zorrinho, esperar-se-ia uma estratégia mais inteligente, menos perdulária e arrasadora de votos. Sim, os votos contam. É para isto que os votos contam. Os opositores do PL118 pertencem ao grupo de votantes mais apetecível (e determinante), o voto jovem e urbano. O PS, com esta estratégia, está a queimar cartuchos, o PSD está a recolhê-los. Até parece que é o PS que está no poder e o PSD na oposição.

 

O PL118 vai regressar. Com outro nome, com um texto ligeiramente diferente. Com uns retoques. Para ver se desta vez o PSD já deixa passar a coisa.

 

A premissa estará lá. Outro nome. Outro texto. O mesmo cheiro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

#PL118 o estado da nação (Actualizado)

por jonasnuts, em 21.03.12

Parece impossível, mas a verdade é que este processo se arrasta há imenso tempo. Vamos ao estado da nação.

 

O relatório do Grupo de Trabalho foi votado ontem. Isto é, o documento com as actividades desenvolvidas por este grupo de trabalho, com a indicação de quais as entidades ouvidas, e com a descrição da documentação que foi entregue.

 

Sabe-se que o PS gostaria de alterar o texto original do Projecto de Lei, antes de o submeter a votação.

 

Para alterar o texto, o PS tem duas opções. Ou continua a trabalhar sobre o PL118, e pede à Assembleia da República (provavelmente à Presidente) para alterar o texto original, fundamentando as razões de ser da alteração, ou, e porque o actual projecto de lei não chegou a ser votado (nem na generalidade nem na especialidade), retira este projecto de lei, e apresenta uma nova iniciativa, que poderá seguir o mesmo percurso deste PL118, ainda durante esta legislatura.

 

Já perguntei a Carlos Zorrinho, qual seria a opção do PS, aguardo resposta. (Aqui e aqui).

 

E é este, o estado da nação. Nada vai ser votado, nada está agendado, nada foi aprovado. Tudo no limbo.

 

UPDATE: Carlos Zorrinho acaba de confirmar, via Twitter, que a opção do PS será a de retirar a actual proposta, reformulá-la e voltar a apresentá-la.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Music

por jonasnuts, em 20.03.12


Daqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os números da Indústria do Entretenimento

por jonasnuts, em 15.03.12

 

 

Link do vídeo.

 

Via @zedejose

Autoria e outros dados (tags, etc)

Keep Calm

por jonasnuts, em 09.03.12

 

Link do vídeo.

 

Num post relacionado.

 

Via Apartment Therapy.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Está já marcada para o próximo dia 14 de Março, no final do plenário, a 6ª reunião do grupo de trabalho criado, no âmbito da Comissão de Educação, Ciência e Cultura, que debate o PL118.

 

Para a ordem do dia está agendada a seguinte audiência:

 

Audiência à APEL - Associação Portuguesa de Editores e Livreiros

 

Ainda sem hora marcada, apenas se indica que será no final do plenário.

 

As reuniões do Grupo de Trabalho são de acesso público (reservado ao número de lugares disponíveis na sala onde se efectuar a reunião, sala essa que ainda não está identificada). Recomenda-se a quem queira assistir, envie um mail à comissão, manifestando essa vontade.

 

À data a que este post é escrito, a petição (que pode continuar a ser assinada aqui), conta com 8.321 subscritores. É assinar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Para rir

por jonasnuts, em 08.03.12

Não.... é MESMO para rir, à gargalhada, se forem como eu, este blog que descobri não interessa onde porque não posso creditar.

 

O conceito é, quadros antigos (clássicos, uns mais conhecidos que outros), com títulos novos, actuais. Basicamente o autor do Blog titula quadros, muitas vezes como se estes fossem fotos. Há uns melhores, outros menos bons e outros que por se referirem a coisas que desconheço, não percebo, mas também devem ser giros.

 

Faço aqui uma pequena selecção dos meus favoritos, mas recomendo vivamente a visita. Chama-se That is priceless e chama muito bem. De facto. Priceless.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Caro Professor Vital Moreira

por jonasnuts, em 05.03.12

 

Link do vídeo.

 

1 - Melhore a qualidade do seu inglês e respectivo sotaque ou, alternativamente, fale em português. Esperar-se-ia mais e melhor, de um Professor Doutor de Coimbra, meu Deus.

 

2 - Pensando melhor, se é para intervir da forma acima de registada, cale-se. Ou diga que é espanhol.

 

P.S.: Bela cagada, anda o Senhor Professor Doutor de Coimbra meu Deus a fazer, em nome do País, no que à ACTA diz respeito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

#PL118 - Audiências secretas

por jonasnuts, em 02.03.12

No dia 16 de Fevereiro, deu entrada na Comissão de Educação, Ciência e Cultura um pedido do PS para a prorrogação do prazo para apreciação do Projecto de Lei nº 118/XXI.

 

Alegava-se no referido pedido, que havia muitos pedidos de audiências, e que o grupo de trabalho pretendia acudir a todos os pedidos.

 

Tenho estado atenta ao site do Parlamento, para ver quando seriam marcadas mais audiências e curiosa em relação às entidades que ainda faltava ouvir. Nada. Silêncio. Ensurdecedor, por sinal.

 

Hoje, vê-se que está marcada uma nova reunião do Grupo de Trabalho, cuja ordem do dia é "Apreciação e votação do relatório de atividades do Grupo de Trabalho".

 

Ora, como NÃO me passa pela cabeça que o Partido Socialista tenha MENTIDO à vice-presidente da Comissão, obrigando esta a mentir (embora desconhecendo o facto) à Presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves (a quem foi feito o pedido de prorrogação), apenas me resta a opção de acreditar que o Grupo de Trabalho manteve audiências secretas, com entidades secretas, regressando assim à génese da reformulação da lei da cópia privada, cujas reuniões iniciais estiveram, também elas, envoltas em segredos e mistérios e debates muito pouco públicos.

 

Confesso que não sei o que é que prefiro, se o secretismo, se a alternativa mentira, se a demonstração cabal da inépcia que certas pessoas do PS têm para representar os portugueses que os elegeram.

 

Sloppy, sloppy, sloppy.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pág. 1/2





subscrever feeds


Arquivo