Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





subscrever feeds


Arquivo



Mais publicidade da boa

por jonasnuts, em 11.05.09

Aqui há uns tempos falei duma campanha da T-Mobile. Muito bom. Pensei na altura que tinham elevado a fasquia para um patamar difícil de alcançar. Continuo com a mesma opinião mas, na mesma linha estratégica, aqui fica a nova campanha e as reacções de quem passava (e se prestarem muita atenção, no primeiro vídeo, ainda conseguem ver a Pink :)

 

E não é difícil fazer isto, em Portugal, adaptado à realidade portuguesa. Caro, mas não difícil.

 

 

 

 

As reacções:

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A chuva prevista para hoje já passou

por jonasnuts, em 11.05.09

Sim, eu sei, hoje há previsões de chuva. Mas não se preocupem. Podem sair de casa com sandálias e t-shirt.

 

A chuva prevista para hoje caiu toda nos 90 segundos que demoro no percurso entre sair de casa e  entrar para o carro.

 

Com gabardine e chapéu de chuva, protegidíssima, até a roupa interior ficou ensopada.

 

Estejam à vontade para deixar o chapéu de chuva em casa.

 

Não tem de quê.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Para quem aqui vem à procura de pilas

por jonasnuts, em 09.05.09

De vez em quando, olho para as estatísticas deste Blog, e surpreendo-me sempre. Uma das coisas que mais me diverte é ver os desgraçados que chegam aqui, enganados, fruto das minhas metáforas.

 

Assim, quem vem aqui à procura de pilas, saiba que não veio ao local certo. Só no mês passado, foram mais de 100 desgraçados. Quando me refiro a pilas e ao tamanho das ditas cujas, normalmente refiro-me, precisamente a estatísticas, e à importância que tantos lhes atribuem.

 

Já agora, e mais contextualizada com o tema que procuram, se estão preocupados com o tamanho; aquela coisa d'o tamanho não importa? É mentira.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Caro Toze Brito

por jonasnuts, em 08.05.09

Foi com alguma surpresa (pela positiva) que li as breves palavras que dispensou ao DN, no âmbito do chumbo do pacote das telecomunicações, no Parlamento Europeu e que tomo a liberdade de transcrever (e que não link porque o DN não achou o artigo suficientemente interessante para o online).

 

"Parece-me uma questão de bom senso que seja uma autoridade judicial a tomar a decisão de cortar o acesso à Internet a alguém. Esta é uma questão em que não vai ser fácil encontrar um consenso, vai haver muita discussão, muitos avanços e recuos. A Internet é realmente um admirável mundo novo e um instrumento precioso. Mas a verdade é que ao abrigo da das supostas liberdades individuais, continuam a cometer-se ilegalidades. E vai haver um dia em que essa autoridade judicial vai decidir a linha que separa o que é legal e o que é crime. Essa linha terá de ser traçada mais cedo ou mais tarde."

 

Concordamos na primeira frase e depois, nem por isso. E eu explico. É que já há autoridades judiciais com a competência de decidir qual é a pena que deve ser atribuída, para um determinado crime. Essa linha que separa o que é legal do que é ilegal, já existe. A diferença que nos separa, não é tanto a existência ou não dessa linha separadora. O que nos separa é a localização dessa linha. E acho que sempre nos separará.

 

Mas não faz mal, o outro dizia "we will always have Paris", eu prefiro outra citação, "this could be the beginning of a beautiful friendship".

 

E viva o Glorioso.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Internet livre, por agora

por jonasnuts, em 06.05.09

Parece que houve drama, suspense, manobras de diversão e intrigas umas mais palacianas que outras.

 

De acordo com o Tek, a proposta não passou.

 

A verdade é que eu não consegui perceber muito bem o que é que aconteceu à tal da proposta que ia hoje a votos no parlamento europeu, pelo menos a partir do texto do Miguel Portas. Aquilo é de tal forma confuso que eu acho que é propositadamente burocrático e complicado para que os cidadãos comuns não percebam.

 

Seja como for, parece que, pelo menos por uns tempos, a coisa está travada.

 

Seja como for, é preciso que nos mantenhamos atentos, que estes gajos, se nos apanham distraídos, borram a pintura.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os jornalistas e a gripe

por jonasnuts, em 05.05.09

A minha irmã choca-se com a minha visão do jornalismo em Portugal. Diz que é um posicionamento arrogante e presunçoso. Diz que não posso prescindir desse pilar da informação independente, dessa fonte inesgotável de factos e de verdades confirmadas.  Sim, ela não só é mais nova como é menos cínica :)

 

Isto tudo porque eu lhe disse que não sigo a gripe (mexicana, suína, dos porcos, H1N1, há para todos os gostos) através da comunicação social. Faço-o através do site da Organização Mundial de Saúde.

 

Mas é a mesma mana que me envia links dos bons. Neste caso em específico, o de um artigo de um jornalista, no Canadian Journalism Project. Se eu tivesse a certeza de que todos os jornalistas a acompanhar o fenómeno H1N1 seguiam aqueles conselhos, eu era gaja para acompanhar a coisa através da comunicação social tradicional.

 

Até ver, continuo a preferir acompanhar por aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Internet sob controlo

por jonasnuts, em 05.05.09

Já falei disso aqui, na semana passada. Discute-se hoje e vota-se amanhã, na comissão europeia, aquilo que se optou por chamar o pacote das telecomunicações que propõe, entre outras coisas, que as empresas de telecomunicações possam actuar como polícias da Internet. Se este pacote for aprovado, qualquer ISP (Internet Service Provider - Fornecedor do Serviço de Internet) pode vasculhar nos conteúdos que produzimos, consultamos, e decidir o que é que temos o direito a ver ou não.

 

A ser aprovado, será o fim da Internet como a conhecemos. Será a Internet dos feudos, e dos privilegiados, onde uns poucos mandam e muitos obedecem porque não têm alternativa.

 

Será o fim da Internet livre, como a conhecemos. Se, pelo absurdo que esta proposta representa, nos fiarmos na virgem, podemos acordar na quinta-feira com o nosso mundo virado ao contrário. Eu também acho que a proposta é tão imbecil, que não há forma de qualquer pessoa minimamente inteligente aprovar esta coisa. No entanto, a experiência ensinou-me que há muitos imbecis em muitos lados, especialmente nos sítios onde deveriam ser proibidos.

 

Estando tão próximas as eleições para a comissão europeia, sugiro que vejam como votaram os deputados dos vários partidos, e não se esqueçam desse voto, quando chegar a vossa vez de votar.

 

Mais informações sobre este pacote das telecomunicações, aqui.

 

Aqui têm uma ideia sobre as votações de deputados portugueses na proposta inicial (a coisa é negra)j.

 

E aqui, algumas sugestões para fazer chegar aos representantes a sua opinião.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Koniek

por jonasnuts, em 04.05.09

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bobbitização

por jonasnuts, em 03.05.09

Quem terá sido a alminha que se lembrou de imaginar estas cuecas? Pode não se ver bem, mas eu descrevo. São cuecas de homem. Em todo o lado vê-se um pepino cortado. Mas, na zona da braguilha, vê-se um pepino a ser cortado por uma faca.

 

Quem é que, na posse de todas as suas faculdades mentais, vai comprar umas cuecas destas?

 

Para os homens que por aqui passam, se ela vos oferecer umas coisitas destas, tenham cuidado. Pode ser um recado.

 

Cá por mim já está baptizadas. São as cuecas Lorena Bobbit.

 

(Esta foto foi tirada ontem, no Oeiras Parque, que é para não julgarem que são maluqueiras de pessoal estrangeiro).

Autoria e outros dados (tags, etc)

Já não se fazem PRECs como antigamente

por jonasnuts, em 01.05.09

Leio no Público que houve uns gajos da UGT que vandalizaram uns cartazes da CDU.

 

Vai daí, o que é que fazem os gajos da CDU? Apresentem queixa às autoridades.

 

Há 35 anos nada disto teria acontecido.

 

Há 35 anos, os gajos da CDU não teriam abandonado os cartazes, havia turnos para guardar cartazes, e era frequente a guarda de cartazes resultar em cenas de pancadaria.

 

Entre os movimentos políticos que surgiam na altura como cogumelos havia rivalidades profundas, por isso, quando se colavam cartazes, era preciso ficar a guardá-los, para que nenhuma das cinquenta mil facções opostas os removesse. Fazia parte das noites de qualquer cidadão mais interventivo.

 

Se a minha memória não me engana, o meu pai passou algumas noites a guardar cartazes, e algumas vezes chegou a casa com relatos de pancadaria. Os gajos vieram, nós estávamos emboscados e caímos-lhes em cima.

 

Hoje em dia já não...... apresenta-se queixa às autoridades.

 

Amolecemos, é o que é. Já nã se fazem PRECs como antigamente.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pág. 3/3





subscrever feeds


Arquivo