Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jonasnuts

Aumentar a receita

Aumentar a receita não é, ao contrário do que se possa pensar, fácil, para o comum mortal. Aliás, dá-me a sensação que as facilidades em aumentar a receita são exclusivas ou de quem está no governo, ou de quem já tem dinheiro.

 

Para os restantes (os 99%), é mais difícil, a não ser que se tenha um talento especial, ou uma ideia original, e a isso é preciso ainda juntar motivação, vontade, esforço, trabalho, dedicação e sorte.

 

É o caso da Cláudia Borralho. Ora primeiro que tudo, vamos ao disclaimer. A Claudia (assim, sem acento), trabalha comigo há muitos anos. É designer. É, também, minha amiga. E ainda antes de sermos amigas e de trabalharmos na mesma equipa, eu acompanhava o Blog dela (que na altura tinha um nome muito mais comprido, mas isso agora não interessa para nada). Mais, fui cliente da Claudia, quando ofereci à minha mãe alguns dos bonecos feitos à mão, em tricot, e que eram o máximo.

 

 

 

 

Feito o disclaimer, fica a informação. Depois de muito tempo a trabalhar neste hobbie usando apenas a sua casa (para workshops e para fazer os seus trabalhos) e o online (para promoção e vendas), a Claudia encontrou um espaço físico para o seu hobbie, em Lisboa, Campo de Ourique. Apesar de já ter aberto a loja, as festividades são esta semana.

Uma loja cheia de coisas feitas pela Claudia (e muito mais que isso), de artigos dedicados a bebés e crianças (fruto do facto da Claudia se ter especializado nesta matéria, por via de ter sido mãe, duas vezes).

Apareçam por lá, vejam, façam compras, inscrevam-se nos workshops, e invistam um bocadinho na formação de competências alternativas. Às vezes, um hobbie, quando aprofundado, pode transformar-se numa fonte adicional de receitas.

 

 

Com um bocadinho de sorte, ainda cravo a Claudia para vender meias feitas à mão, ou os meus sack boy (auto link)  :)

Sexta-feira negra

Parece que a Apple costuma fazer isto, às vezes, nas suas lojas online. Pega numa Sexta-feira, anuncia com pompa, circunstância e antecedência que vai haver descontos nesse dia na sua loja online e pronto. É um bocadinho como o dia do aderente da Fnac.

No dia do aderente da Fnac (que este ano até foram 2 dias), a malta chega lá, e tudo aquilo em que pode aplicar os anunciados descontos, afinal não pode. Porque é verde ou amarelo, ou sei lá mais de que cor. Mas compra-se na mesma. O povo gosta da ideia de que está a aproveitar a benesse de uma empresa.
Este ano cortei o mal pela raiz, e não fui à Fnac em nenhum dos dias do aderente (que raio de nome, também). Metam os descontos que afinal não são descontos no prestígio, e pronto.

A Apple usa uma táctica diferente. Anuncia os descontos, e faz os descontos. Mas ó senhores, que descontos tão pobrezinho mora longe.

O comércio online só deve ser usado em 2 circunstâncias, se não existe oferta offline ou se o preço for, de facto, substancialmente inferior. No primeiro caso, é auto-explicativo, no segundo caso, se eu quero comprar algo, principalmente se for um gadget quero sair da loja, sentar-me na primeira cadeira que encontrar e começar a mexer. No comércio online fica sempre a ideia de que gastámos dinheiro, mas não há nada a justificar o gasto. O prazer da compra fica adiado (a parte boa das compras não é o gastar o dinheiro, é o prazer de conhecermos uma coisa nova).

Eu faço imensas compras online, há muitos anos. Mas sempre por uma das razões que referi ali em cima.

Expliquem-me lá, senhores da Apple, porque é que eu deveria comprar na vossa loja online? Porque os preços justificam? No way. Por descontos de um percentual irrisório e ofensivo, prefiro ir a uma loja, falar com alguém que me entenda e que entenda do produto que está a vender e onde, em caso de problemas, me possa dirigir.

A Sexta-feira negra será um sucesso, não só porque o povo gosta da ideia de descontos (mesmo que não existam ou sejam negligenciáveis), mas, acima de tudo, porque a oferta de stock não tem (ainda) concorrência offline.

Tanto quanto julgo saber, isso mudará, brevemente. Prefiro esperar, a ser tansa e por-me a comprar um iPod Shuffle por menos 10€ (ó dádiva espampanante), que não sei quando é que entregam, e que está num site cheio de espanholadas porque as coisas são sin iva.

Numa boa loja sei quem me atendeu, sei onde me dirigir em caso de problemas, e fico logo com o que comprei.

Prefiro esperar.

Pesquisar

No twitter


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D