Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



 

Todos os anos tento escrever sobre o 25 de Abril de 1974, no dia próprio. Mas este ano não via nada de jeito para escrever para além do óbvio, onde estava, onde estaríamos, os blogs não existiam, enfim, tudo coisas que eu própria já referi ou alguém o fez melhor que eu.

 

 

E, embora não consiga ultrapassar o "alguém o fez melhor que eu", surgiu dele a pergunta que inspira este post.

 

E se o gajo tem cumprido a ordem e tem disparado?

 

Todos falam do herói que foi Salgueiro Maia (e foi), e muitas vezes, demasiadas vezes, é esquecido o homem que estava do outro lado. O que não cumpriu a ordem. O que não disparou.

 

Nunca o vi em discursos, nunca o vi chegar-se à frente, nunca o vi à procura de protagonismo. E no entanto, merecê-lo-ia. Porque é preciso tomates para disparar, mas são precisos os mesmos tomates (ou maiores) para não disparar.

 

O Alferes Miliciano Fernando Sottomayor recebeu a ordem e não a cumpriu. Disseram-lhe para disparar, e ele não disparou. E se tivesse disparado?

 

Há pouca coisa sobre ele, online. Uma referência num artigo do Diário de Notícias do ano passado, (os senhores do DN mudaram de site, e quebraram o link, ver mais informação aqui) e um PDF, escrito na 1ª pessoa.

 

Pela parte que me toca, obrigada por não ter cumprido a ordem. Obrigada por não ter disparado. Obrigada por ter corrido o risco.

 

25 de Abril sempre!

 

 

Adenda: Do outro lado da mira, Salgueiro Maia.

Autoria e outros dados (tags, etc)



6 comentários

Imagem de perfil

De PortoMaravilha a 25.04.2010 às 21:54

Vinte e cinco de Abril Sempre !

Há poucas coisas online sobre o 25 de Abril , mas há muitas em arquivos. Sobretudo no que diz respeito ao tratamanto jornalístico internacional do 25 de Abril .

A foto que mencionas foi publicada no extinto diário popular ( tá no cosmeticas.org, antes fazer http) logo na  manhã do dia 25 .

Gostei do teu post que indo além dos tomates ( ou nozes aqui dizemos nozes para traduzir tomates LOL ! ) , salienta como se evitou a guerra uma civil.

A vida é feita de pequenos nada !

Vinte e cinco de Abril Presente !

Nuno


 
Sem imagem de perfil

De FGL a 26.04.2010 às 13:48

Parabéns por este escrito. Parabéns pelo seu blog.
FGL
Sem imagem de perfil

De António Bento a 26.04.2010 às 22:35

Belíssimo post. Desconhecia essa história. Pena que depois dos homens que lutaram por uma causa maior, empenhando a sua própria vida, estejamos agora nas mãos dos homens que lutam por uma casa maior, empenhando a nossa vida.
Sem imagem de perfil

De Fairwind a 27.04.2010 às 02:33

Já agora por conhecer pessoalmente a pessoa em causa, que hoje é general na reserva, do lado do Salgueiro Maia houve pelo menos mais 2 pessoas tão importantes como ele e foram esquecidas, umas delas é essa pessoa que eu conheço, só que em momentos históricos como estes, há sempre que acaba por involutariamente ficar com os louros todos. Talvez por isso, essa mesma pessoa nunca gosta muito de falar dos momentos mais importantes da altura...
Imagem de perfil

De jonasnuts a 27.04.2010 às 09:10

Na minha opinião, ninguém devia ser esquecido, daí o post.

Mas reconheço que é difícil uma pessoa andar para aí a por-se em bicos dos pés, e a dizer "olhem que eu também fui importante". É difícil, pelo menos para alguns :)
Sem imagem de perfil

De Nelson Cruz a 27.04.2012 às 07:31

Cá está um personagem cujo nome eu desconhecia, e a quem de facto devemos bastante.

Faz-me lembrar outros dois soldados, cujo nome ou história ninguém conhece. Dois russos que também desobedeceram às ordens ou desafiaram superiores, e a quem devemos talvez a vida. A ler:
http://falkvinge.net/2011/10/04/my-two-heroes/

Comentar post






Arquivo