Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Os pais do Magalhães

por jonasnuts, em 23.09.08

Anda por aí meio mundo escandalizado porque o computador Magalhães que está a ser disponibilizado desde hoje a muitas das crianças em idade escolar, não vem o controlo parental activado.

 

Parece que vai ser a notícia do dia, e no que diz respeito à Blogosfera, a notícia da semana (aqui essas coisas arrastam-se).

 

Acho muito bem que tenha controlo parental. Como acho bem que tenha outras aplicações. Ora essas aplicações vão ser usadas, chamam-se ferramentas e, em última análise, é para isso que serve o computador, para ser usado.

 

Ora, um computador não funciona sozinho, é uma ferramenta, precisa de alguém que a opere.

É uma ferramenta que pode dar acesso a conteúdos e, como tal, cabe aos pais, definirem quais os conteúdos a que os filhos podem aceder. Não cabe a uma ferramenta (que é falível, como todas as ferramentas) definir o que é que os meninos podem ver ou não.

 

Chamam-se ferramentas de controlo parental por alguma razão. É suposto que haja alguém a fazer o controlo.

 

É suposto que seja o Governo a fazê-lo? Deus me livre. Não quero esse grau de intromissão por parte do Governo.

 

Ah, mas os pais não sabem mexer no computador, dirão os mais assanhados. E eu digo que, se quiserem, portanto, se se interessarem, aprendem, ou vão à cata de informação que lhes permita assumirem a responsabilidade que é, em grande maioria, deles.

 

É a mesma coisa com a televisão. Lá em casa os putos não podem pegar no comando da televisão e começar a fazer zapping. Não podem. É uma regra. Nos computadores lá de casa, existem configuradas umas cenas que lhes barram o acesso quando estão a ser encaminhados para sites que apresentam conteúdos que nós não queremos que eles vejam, ainda.

 

Mais formação para os pais? Sim senhor, acho importante e fundamental. Cursos de técnicas básicas de como consumir conteúdos online? Sim senhor. Evangelizar para a protecção dos dados pessoais como se fossem sagrados? Imprescindível.

 

O difícil, difícil mesmo, seria encontrar pais interessados em adquirir estas competências. As pessoas preferem pôr a culpa em terceiros (seja no governo, nas escolas, nas empresas, nos vizinhos, em qualquer lado) menos assumi-las.

 

Falta dizer que este post começou aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)



3 comentários

Imagem de perfil

De pedrocs a 23.09.2008 às 18:32

Epá, bardamerda!

Só mesmo "nós" é que mandávamos vir com uma iniciativa destas. Temos um país com uma ideia pioneira (não inovadora, mas está a ser implementada na "onda da frente"), e o que não faltam são críticos!

Porra pá, já chateia! Têm que pegar sempre em qualquer coisa, carago!

Vão-se foder todos, portugas de um cabrão!
Sem imagem de perfil

De Pedro a 23.09.2008 às 19:29

Concordo em absoluto!
No nosso agrupamento a maior preocupação, relativa ao Magalhães e precisamente a formação (ou sensibilização) que os pais e os professores terão de ter não só para aprenderem a trabalhar com o software mas também a estar e usar.
A segurança na Internet é algo que pode chegar a casa através dos miúdos, mas que faz todo o sentido ter um alicerce nos pais e professores.
Sem imagem de perfil

De Tomás P a 23.09.2008 às 19:58

é realmente impressionante a estupidez atroz. Está tudo de barriga cheia e com pouco que fazer.

Faço minhas as palavras do Pedrocs

Comentar post






Arquivo