Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Arquivo



Os rankings escolares

por jonasnuts, em 12.10.09

Está aberta a época dos rankings. Aquela época em que órgãos de comunicação social pegam nos dados estatísticos, e os trabalham a bem dos seus leitor...não, desculpem, e os trabalham a bem do tamanho de letra da primeira página.

 

Já acreditei mais em rankings das escolas do que acredito neste momento.

 

E confesso que já não estou à espera que haja uma porra dum jornal ou duma televisão ou duma rádio que façam trabalho jornalístico sério, mas irritam-me cada vez mais estas notícias dos rankings.

 

Façam lá um estudo a sério, senhores. Vão lá às escolinhas que estão no topo do ranking, de preferência apenas aquelas em que mais de 50 alunos fizeram os exames, e avaliem a qualidade de vida dos meninos. Vejam quantos deles têm internet em casa, e livros, e vejam quantos deles é que têm explicadores. Lembrei-me destes três factores, todos eles externos à escola, mas que contribuem para os resultados que os alunos alcançam nos exames. Depois de recolhidos esses dados, trabalhem-nos em conjunto com os dados demográficos da área da escola, e com os dados de criminalidade na área da escola, e, só depois disso e aí sim, cruzem os vossos resultados com os dados do ranking.

 

Se quiserem ir um bocadinho mais longe, podem entrar pela escola dentro, e ver se tem associação de pais ou não, qual é a taxa de senioridade dos professores, e qual o tempo médio de permanência de um professor naquela escola, podem ainda ver as condições físicas da escola, e o seu equipamento, e o número médio de alunos por sala, e a taxa de absentismo (de alunos e professores), e eu podia continuar por aqui fora.......

 

Não me tratem como atrasada mental, e não me atirem para a cara números que pintam o quadro como vocês querem vê-lo pintado, e não como ele está na realidade.

 

Dos jornalistas, não quero quadros. Quero fotografias. Sem photoshop.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ranking das escolas

por jonasnuts, em 29.10.08

Eu sei, vale o que vale, o ranking das escolas. E está completamente enviesado pelo binómio localização geográfica/poder de compra dos pais dos alunos, e está inflacionado pelo laxismo e facilitismo dos exames e os rankings são uma merda.

 

Mas, para mim, que ando à procura de uma escola onde o meu filho possa frequentar o 7º ano (daqui a um ano e tal, que eu gosto de pensar nestas coisas com antecedência), os rankings são das poucas ferramentas disponíveis para ajudar a uma decisão.

 

É isso, o passa-palavra e uma tentativa de visita à escola (quando tentei visitar escolas oficiais do 1º ciclo, aqui ao pé de mim, foi uma desgraça, numa até me diziam que era preciso eu pedir uma autorização especial do ministério da educação).

 

Que mais ferramentas têm os pais para escolher uma escola?

 

Candidatam-se à escola da zona de residência e rezam para que seja boa?

 

E quem não sabe rezar?

 

E já agora, onde é que se encontra o ranking deste ano que está a ser anunciado e comentado na comunicação social? É que no Ministério da Educação, nem vê-lo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Rankings, autoridades, visitas e tops

por jonasnuts, em 06.01.08
Sempre me fez confusão a importância que se dá aos números. Não é de agora, já na instrução primária (antigamente era assim que se chamava ao 1º ciclo), dizia eu que já na instrução primária me fazia confusão a importância que se dava aos números. Não temos uma relação fácil, é verdade, e tende a piorar, porque encontro no mundo que me rodeia uma sensibilidade cada vez maior às questões dos números.

Eles disfarçam, e dizem que os números "valem o que valem" mas fazem-se e desfazem-se para terem cada vez mais números.

Vem isto a propósito duma discussão que andou aí pela geekosfera (e não só), sobre os rankings, e sobre os melhores Blogs (basendo-se a lista dos melhores no ranking do Technorati), e etc.

A autoridade do Technorati é baseada em números de links. Sim senhor, se alguém faz um link para um site, está a atribuir-lhe alguma autoridade, mas é uma autoridade exclusivamente numérica. Não é uma autoridade qualitativa. Mas o ranking do Technorati parece estar muito na moda, e já se fazem tops com base neste parâmetro.

Bem sei que para o Google Adsense, e para aparecer nos tops, a qualidade não é um dos factores mais importantes. Afinal de contas até há uns scripts que se põem a correr no Blog que fazem as vezes de visitas. E isso faz com que apareçam nos Tops e, já se sabe, os Tops são um íman de visitas, e é uma espécie de pescadinha de rabo na boca.

Não são muitos os Blogs portugueses que podem dizer que estão nos Tops e nos Technoratis da vida sem maroscas, sem cross linking, sem alfinetes de peito virtuais, sem scripts.

Noutro dia perguntei a dois autores de dois conhecidos e populares Blogs se eles quereriam ocupar os lugares cimeiros de vários tops. Usando SEO de guerrilha (que é como eu chamo ao SEO fajuto) seria fácil e rápido, chegar lá acima. A resposta não me surpreendeu muito, e foi idêntica em ambos os casos, e  apenas confirmou o que eu já pensava destes dois autores. Não, muito obrigado, não ligo muito a tops, e prefiro que seja aquilo que escrevo a levar as pessoas ao meu Blog, e não uma técnicas maradas de inflacionar artificialmente o número de visitas.

Autoria e outros dados (tags, etc)






Arquivo