Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jonasnuts

Jonasnuts

A ressacar

Jonasnuts, 01.09.08

15 dias completos sem Internet. Cobertura de rede em S. Martinho do Porto, é mentira. Never again.

 

Qual router, qual banda larga, qual computador topo de gama. Népia. Não havia pauzinhos de rede. Nem 3G nem GPRS.

 

Resultado? Um stress do caraças, uma caixa de correio com mais de 1000 mensagens à chegada, um leitor de feeds com mais de 3000 novos posts, e, o pior, uma espécie de perda de contacto com a realidade que me deixou doente, quase literalmente. Não volta a acontecer.

 

Nestas quase 3 semanas não se passou quase nada, a julgar pelos Blogs. Uma séria de assuntos chatos, já não posso ouvir falar de criminalidade, nem de Phelps, nem do presidente da república, nem do divórcio.

 

Fico-me pelo tema que mais tinta fez correr, o da prestação da comitiva olímpica portuguesa.

 

Eu tenho os jogos olímpicos atravessados. Nunca saberei se poderia lá ter chegado, nunca saberei se o potencial que viram em mim, quando era miúda, se concretizaria. Fiz natação de competição, a minha especialidade era a velocidade, no crawl. Diz quem acompanhou que eu tinha jeito, e as competições em que participei, ganhei. Mas há 30 anos, a profissão "nadadora" não tinha futuro (hoje tem?) e a exigência que os ritmos dos treinos impactavam com a família toda. Jantares fora de horas, todos os dias, pouco tempo para trabalhos de casa, e o facto de ser muito elegante dentro de água, mas um armário fora dela fizeram com que os meus pais acabassem cedo com a coisa. Ficou-me atravessado até hoje. Não sei, nem nunca saberei, se teria, de facto, podido ir aos Jogos Olímpicos. Portanto, não fui, mas gostava de ter ido.

 

Isto tudo leva-me não tanto à prestação da comitiva portuguesa, mas aos comentários que se ouviram por cá. Principalmente antes das medalhas.

 

"À hora do jantar, enquanto come as costoletinhas de borrego com arroz de feijão feitas pela D. Lídia, o Sr. Soares, o esposo, comenta com a esposa que é uma vergonha. Já viste os rapazes e as raparigas? Não querem trabalhar, querem é ir viajar à borla, não se esforçam, e vão para lá, à nossa conta, com os nossos impostos. É para isto que andamos nós a trabalhar e a pagar impostos.

A D. Lídia, enquanto desenforma o pudim ara a sobremesa do Sr. Soares vai ateando a conversa com uns "é uma vergonha" e "a juventude de hoje é uma vergonha".

 

Andam à volta disto mesmo durante todo o jantar. Andam à volta é como quem diz. Ele anda à volta, ela anda atrás, obediente, concordante.

 

Um pouco cansada da conversa, a D. Lídia aventura-se como uma mudança pouco subtil de assunto. Ó Soares, veio cá hoje o homem dos caxilhos, trazer o orçamento para fechar a marquise. Em alumínio castanho, lacadinho como nós queremos. Ele diz que se quisermos factura é mais caro, por causa do IVA. Eu disse-lhe que queríamos sem factura, que a diferença faz jeito para darmos de entrada para a estante do quartinho do Fenandinho.

 

Fizeste bem filha, fizeste bem."

 

Não me venham falar da merda dos impostos. Devem ser da mesma raça daqueles que sempre que estão a ser atendidos num serviço público sacam logo da cartola com o "são os meus impostos que lhe pagam o ordenado, por isso respeitinho". Coisa que me acontece com alguma frequência, quando refiro que trabalho na PT, coisas do passado, que custam a passar. Quando me dizem isso não desfaço o engano, e devolvo resposta rápida, olhe, então se me paga o ordenado, arranje-me lá um aumento, que o meu ordenado é uma merda e não paga o trabalho de estar aqui a aturá-lo.

 

Identifiquem mínimos exigentes (e não mínimos para português ver), acompanhem o trabalho dos atletas durante todo o ano. Dêem prémios a quem se dedica e se esforça e se suplanta. Multem ou deixem de apoiar quem faz o contrário, de forma sistemática. Não prometam medalhas. Sejam sérios. Dêem aos atletas uns cursinhos de como falar com a comunicação social, alguns estão bem precisados. Eduquem a comunicação social (que alguma também precisa), e deixem de lado a cultura de apenas olhar para os vencedores das medalhas.

 

Pela parte que me toca, parabéns a TODOS os atletas que lá foram, e se esforçaram, independentemente dos resultados. Um abraço especial à Naide Gomes. No matter what, continua a ser uma atleta de topo. E quando ganhar qualquer coisinha no mundial, ou nos europeus, ou em Londres, espero que dedique a medalha a todos quantos a vilipendiaram por causa da sua prestação nestes jogos olímpicos. Que lhes dedique a medalha da forma mais rectal possível.

Abrandar

Jonasnuts, 06.08.08

Normalmente quando vou de férias, demoro uma semana até conseguir desligar quase completamente. É uma semana de férias quase perdida, porque o telefone toca, o ritmo, apesar de mais brando, não é aquele completamente calmo. Não são só as solicitações exteriores, é também o meu próprio ritmo, ando acelerada durante uns tempos, até conseguir abrandar.

 

Ora, convenhamos, isto é um disparate. Este ano optei por uma estratégia diferente. Comecei a abrandar antes de tempo. Trabalho normalmente, mas já comecei a desligar, já não vejo tantas vezes o mail quando estou em casa, já não estou colada ao computador durante grande parte da noite, já estou a abrandar.

 

Resultado? Acho que, pela primeira vez na minha vida, estou de facto ansiosa pelo fim da semana, e pelo início das férias.

 

Em busca dos clássicos

Jonasnuts, 22.07.08

Há imensos planos, para estas férias, as bicicletas, o descanso, a piscina, a calma e coiso e tal, mas faltava-me algo. Tenho saudades de ler. Sempre li muito, desde muito cedo. Ficava muito tempo sozinha em casa, e a biblioteca era diversa. Não havia computadores, nem consolas, nem televisão durante a tarde, os trabalhos de casa eram despachados em 3 tempos, sobrava muita hora para queimar. Ler era a opção, e marchava tudo. Li Émile Zola cedo demais, para mim uma taberna não tinha nada a ver com A Taberna. Policiais era ao quilo, enciclopédias, livros de miúdos e de graúdos.

 

Sempre adorei ler.

 

Com o computador, e a miudagem, a casa, o dia-a-dia, foi fugindo o tempo, e a leitura foi sacrificada, pelo menos a dos livros. Não tenho tempo, nas férias, de pôr a escrita em dia, mas quero atirar-me aos clássicos.

 

Guerra e Paz, Ulisses (o do James Joyce) e essas coisas assim "pesadonas".

 

Quais foram os clássicos da vossa vida? Alguma sugestão?

Horário de Verão

Jonasnuts, 19.06.08

A entrada em vigor do horário de Verão não acontece quando muda a hora.

 

Na realidade, e pelo menos para mim, a hora de Verão entra em vigor quando acabam as aulas do puto. Já não tenho de me levantar de madrugada para o pôr na escola a horas.

 

O meu horário de Verão começou ontem.

 

São quase 3 meses durante os quais os meus níveis de stress baixam substancialmente, e as minhas horas de sono disparam na proporção inversa.

 

Quase tão bom como os 4 meses de férias grandes que tínhamos há uns anos.

Crise? Está tudo grosso?

Jonasnuts, 31.03.08
Qual crise?

Ando à procura de casa para alugar durante as férias grandes. Não julguem que vou adiantada, a casa que costumo alugar já está reservada, portanto, toca de andar à procura, que não quero que me aconteça o mesmo que aconteceu o ano passado, em cima da hora a casa do costume borregou e toca de andar à procura de algo para desenrascar.

Como mãe de uma criança que anda na escola sou obrigada a fazer férias em Agosto. Este ano fico com a segunda quinzena.

Ora, eu não sou esquisita, nem faço qualquer questão de ir para o Algarve. Preciso de praia perto (ou piscina), e de um T3. Ou um T2 com sótão. No litoral, centro sul. Basicamente, de S. Martinho até Sagres, qualquer coisinha serve.

Andei a ver preços.

Mas está tudo grosso? Um apartamento T3, em Corroios (Corroios, pelo amor de Deus), e passa para cá 700€ por semana?

Eu não sou esquisita, a sério que não sou esquisita. Onde é que as pessoas normais (e tesas) passam férias?

Último dia em Barcelona

Jonasnuts, 18.08.07
O tempo não ajudou.

Já ontem ao final do dia ameaçava chuva, e hoje choveu mesmo, logo de manhã. Tenham em conta que o meu logo de manhã é mais perto da uma da tarde, mas férias são férias.

A Sagrada Familia (em espanhol escreve-se família sem acento no i) ontem ao final do dia já está bastante mais construída do que quando cá vim da última vez. Antes entrava-se e via-se céu aberto, agora está quase todo concluído, o tecto. Não sei se não gostava mais de ver o céu, mas pronto. A Sagrada Familia é um portento, e devia ser considerada património mundial. Deve ser provavelmente o monumento de que mais gosto, no mundo (dos que conheço, pelo menos).

E sim, a Sagrada Familia também está em obras :)

Descobri que os dias são muito mais agradáveis se não planear nada. Vou andando e entrando onde me apetecer. Consegui fazer este programa duas vezes, é de longe muito melhor.

Tem as suas desvantagens. Falhei o Parque Güell. Quer dizer, eu já lá estive, mas o tempo hoje não era para parques. 

Amanhã só saio às 8 da noite, mas todos os sites de meteorologia dão chuva forte, portante, não sei o que é que vou fazer.

Descobri que há sites de meteorologia para todos os gostos. Invariavelmente, à noite, via o tempo que iria estar no dia seguinte. A primeira consulta dava quase sempre chuva, mas depois eu pensava "vê no outro, vê no que dá bom tempo" e só falhou ontem :)

Barcelona continua fantástica. Nunca cá tinha estado em Agosto, e não tenciono voltar nesta altura do ano. Demasiados turistas, que são uma verdadeira praga. Muitos italianos e franceses, imensos brasileiros. Ouvi falar mais vezes italiano e francês do que castelhano.

Barcelona, I'll be back.

Constatações várias sobre Barcelona

Jonasnuts, 16.08.07
O tempo hoje está uma porcaria, portanto, não há luz para grandes fotos, mas está mais fresco, o que é simpático.

A Pedreira por dentro é uma enorme desilusão, especialmente se for visitada depois da Batlló.

O pessoal de Barcelona não aderiu às Crocs. Portanto, se dou com um par de Crocs, sei à partida que estou a olhar para uns pés portugueses, principalmente se têm pins. Já as vi à venda (mais baratas do que em Portugal, por sinal).

As minhas Crocs têm sido a única coisinha que os meus pés vêem. Desde o dia 29 de Julho que não calcei outra coisa, e mesmo depois de uns kilómetros em cima (estou farta de andar por aqui), continuam confortáveis e são óptimas. Não estava muito segura de que fossem ideais para andar durante tanto tempo, mas são os melhores sapatos para andar que já calcei na vida. Dou o meu dinheiro por muito bem gasto.

Também não aderiram aos Smarts, vi meia dúzia até agora, e todos eles versão antiga.

Não têm uma loja Apple, mas em compensação têm uma loja Camper, eu sei que para os geeks não é grande compensação, mas para mim é, e já lá comprei uns sapatinhos que tenho dúvidas que cheguem a Portugal.

Há uma marca nova, tipo Zara mas em giro e em bom, chamada Desigual. Ainda não chegou a Portugal, mas cheira-me que é uma questão de tempo. Também já lá fiz umas compritas.

Ainda não sei o que é que vou fazer hoje, e tenho aproveitado as férias para dormir até tarde, que não somos do tipo de acordar cedo para ir ver monumentos e afins. Talvez da parte da tarde aproveite para visitar de forma mais aprofundada o bairro gótico, talvez não. É fixe, não ter horas marcadas, e é porreiro não haver stress. É uma mudança porreira, depois de um ano inteiro de stress e depois de umas férias em família (que tem mais stress que um ano de trabalho).