Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




subscrever feeds


Arquivo



Piolhos

por jonasnuts, em 24.07.14

Ando para escrever este post há uns anos valentes. Quando eu digo anos valentes, estou a querer dizer há mais ou menos 10 anos, que foi quando tive o problema cá em casa. Tenho tido outras prioridades, claramente.

 

Ora.... na altura, confrontada com a necessidade de erradicar a piolheira cá de casa, debrucei-me sobre o tema da forma habitual como me debruço sobre os temas relacionados com a criança (que, entretanto, já não é criança). Investigo, pergunto, questiono, leio, e depois decido.

 

Não gosto de insecticidas nem de merdas químicas em contacto com o puto. Não gosto, pronto. 

 

A ideia de catar à mão piolhos e lêndeas também não me era propriamente agradável, sobretudo porque as sacanas das lêndeas são transparentes e vêem-se mal, especialmente em couro cabeludo muito branco, rodeado de cabelos muito claros.

 

E foi à procura de alternativas que encontrei os pentes dos piolhos. Não são pentes normais, estes. São eléctricos. Hummmm, um gadget anti piolheira.

 

Li muita coisa, falei com algumas pessoas (online, estrangeiras, que por cá não havia muita informação), falei com a pediatra, toda a gente me dizia maravilhas daquilo, e que não tinha efeitos secundários.

 

Poderia ter comprado online, mas estava com alguma pressa, pelo que tentei as farmácias das redondezas. Uma farmácia no Saldanha não tinha, mas encomendava e chegava nessa tarde (ou no dia seguinte, já não sei).

Comprei a coisa (que não é barata, na altura deverei ter gasto à volta de €50), e vim para casa. Experimentei em mim. Não doía, não arranhava, não fazia comichão.

Aquilo funciona com pilhas, liga-se e emite um zumbido suave mas audível. Penteamos os cabelos que, alegadamente, têm a piolheira. Sempre que o zumbido pára, marchou mais um. Limpa-se o pente (ou soprando o cadáver na direcção da sanita ou usando o meu método, uma escova de dentes velha que a seguir vai para o lixo), e uma vez removido o piolho do pente, regressa o zumbido.

 

Penteia-se a cabeça até deixar de haver zumbidos. Repete-se. Eu usava uma vez de manhã antes de sair de casa, uma vez no regresso a casa, e, logo ao início, uma vez antes de ir para cama.

Repete-se isto durante uma semana, sendo garantido que a partir do 3º dia, deixa de haver piolhos de manhã e à noite, podendo haver um ou outro no regresso a casa (quando apanham na escola e os trazem para casa).

Um descanso. 

Se bem me lembro, pode usar-se com o cabelo molhado, pelo que pais de crianças com cabelo comprido podem lavar o cabelo, pôr muito amaciador, e usar o pente com o cabelo molhado, para não custar tanto.


O meu é desta marca, e tem este aspecto:

 

 

 

 

Provavelmente, já há modelos mais modernos, e deve certamente haver outras marcas.

 

Recomendo vivamente.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Dilemas da maternidade

por jonasnuts, em 04.02.09

Factos:

 

1 - O puto não é habitualmente muito dado a abraços, pelo que acolho alegremente (e de braços abertos) todos os que, por sua iniciativa, me dá.

 

2 - O puto está a meio do tratamento de desparasitação capilar (tem piolhos, ou teve há pouco tempo, pronto).

 

Situação do dilema:

 

Percebe que fez cagada. Decide assumir a coisa. Diz: desculpa mãe. Abre os braços e vem direito a mim, pronto a diminuir drasticamente a distância que nos separa, encostando a sua cabeça à minha.

 

Arriscamos os piolhos ou dizemos: deixa lá isso filho?

 

Estou para aqui cheia de comichões, e neste momento não posso garantir que sejam comichões imaginárias.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Os piolhos

por jonasnuts, em 02.02.09

Os piolhos são uma merda.

 

Basicamente a frase ali de cima resume bem o que vou escrever a seguir pelo que, se está com pressa, já ficou com o essencial, adeusinho e até à próxima.

 

Antigamente, só os pobrezinhos é que tinham piolhos. Ter piolhos era sinal de que se era pobrezinho, ou porco, ou, mais facilmente, ambos. Hoje em dia, a democracia chegou ao mundo dos parasitas capilares, e qualquer pessoa pode ter piolhos.

 

O pior é que ainda há muita gente pobre de espírito que acha que ter piolhos é coisa de gente pobrezinha mora longe, e quando vêem as cabeças dos seus querubins infestadas por tão proletário parasita, mandam avisar que o menino está indisposto, falta dois ou três dias à escola, as empregadas catam a criança, e não assumem a verdadeira razão de ser da "indisposição". A escola, não estando avisada, não pode alertar os pais dos outros desgraçados para que estes estejam, pelo menos, mais atentos. Não que haja algo a fazer, não há nada que impeça os bichos de passarem dumas cabeças para as outras, mas, estando avisados os pais, mais rapidamente se aperceberiam da coisa, mais rapidamente a combateriam, impedindo-a de alastrar.

 

Se na escola me tivessem avisado que havia um surto, eu teria percebido logo na sexta feira a razão pela qual o meu puto estava a coçar a cabeça. Percebi qual era o problema quando lhe cortei o cabelo durante a tarde de hoje. Já o penteei uma série de vezes com o pente electrocutador de piolhos e lêndeas, e durante a semana é para continuar.

 

Eu não tenho piolhos, mas estou cheia de comichões. Alguém me explica como é que se matam piolhos imaginários?

 

Muito agradecida.

Autoria e outros dados (tags, etc)





subscrever feeds


Arquivo