Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




subscrever feeds


Arquivo



PSP de proximidade

por jonasnuts, em 17.08.16

Tinha ficado agendada uma conversa, na sequência daquele episódio (auto-link) entre o meu filho e alguns agentes da PSP, no Alive, por iniciativa do Comandante José Carlos Neto (Comando Metropolitano de Lisboa, Divisão Policial de Oeiras), que foi a pessoa com quem falei ao telefone quando aconteceu a coisa.

 

O Comandante já estava de férias (que interrompeu para tratar do "meu" caso), e tinha dito que gostaria de falar pessoalmente comigo quando regressasse e que alguém me contactaria para agendar a coisa.

 

Três dias depois estava a ser contactada, e a conversa ficou agendada para esta manhã.

 

Uma pessoa às vezes tem ideias pré-concebidas, e nada como o contacto com a realidade para desempoeirar as ideias.

 

Aguardava-me uma pessoa substancialmente mais nova do que o que tinha imaginado. Substancialmente mais moderna do que eu tinha pensado e muito mais informal do que eu tinha antecipado. E sem farda, abençoado.

 

Confirmou-se, isso sim, a ideia que eu tinha de que há, indubitavelmente, algo a mudar, para melhor, na PSP.

 

Conversas privadas mantêm-se privadas, e é o que vai acontecer com esta, mas estou convicta de que se todos os comandantes fossem assim, e tivessem esta postura, as coisas andariam ainda mais rapidamente.

 

PSP de proximidade com a comunidade (e vice-versa). É o caminho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Caros senhores políticos de Oeiras

por jonasnuts, em 04.10.09

O que não falta é comunicação sobre as vossas acções. Se forem do Team Isaltino, até recebi uma revistinha da cidade de Oeiras, com capa luxuosa, para me informar dessas e doutras demarches do senhor. Mas, para todas as forças políticas há publicidade por todos os lados.

 

Portanto, se eu quiser assistir a um comício, não falta informação acerca do onde, do quem e do como (já do porquê, nem por isso, mas não vem agora ao caso).

 

Tudo isto para informar que dispenso os cortejos de dezenas de carros ajaezados, que buzinam como se houvesse fogo, enquanto circulam por um bairro RESIDENCIAL num fim de dia de Domingo. Informo que não se trata de um bairro por onde tenham de passar para ir a qualquer lado, não, são 3 ruas, com trânsito em ambos os sentidos, todas elas becos sem saída, pelo que, a vossa operação de hoje às 19h30 foi propositada, passando diligentemente pelas 3 ruas do bairro, em alegre e ruidosa buzinadela. Já vos disse onde é que podem meter as buzinas?

 

Obrigada, mas não obrigada.

 

E já agora, apesar de saber que a legalidade das coisas não é tema valorizado no concelho, recomendo que consultem o código da estrada e vejam em que circunstâncias é que podem buzinar.

 

Aqui de cima não vi de que cor eram as bandeira, mas as buzinas eram potentes sim senhor, e não é importante saber a cor das bandeirinhas que isto serve para todos.

 

Desamparem-me a loja, caraças, que já nem em casa consigo estar descansada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Obrigatoriedade de post

por jonasnuts, em 16.03.06
Não tenho nada de novo para dizer.

A verdade é que neste momento da minha vida só consigo pensar em Blogs, respirar Blogs, procurar bugs de Blogs, e pensar no futuro dos Blogs.

Tédio, não?

Não tenho tido sequer oportunidade para pôr o meu mau-feitio a funcionar. Ah. Não. Esperem.

Por acaso hoje no Carrefour de Oeiras, aconteceu uma porreira.

Fui comprar o pequeno almoço dos putos, mas, como sempre, passei pela secção de DVDs, para ver as novidades. Lá estava, um enorme stand-up, mais alto que eu, a dizer Harry Potter - Cálice de Fogo. Disponível em DVD.

Como não vi no cinema, e tenho os outros todos em DVD, fui à procura.

Nada nos filmes de crianças. Népia nos filmes de adultos.

A senhora das informações não sabia de nada. O responsável pela aquela área andou à procura nos mesmos sítios que eu, e depois lá fez um telefonema. A "chefe" disse que só sai no dia 25.

-Então porque é que têm um cartaz a dizer "Disponível em DVD"?
- Ah, deve ser daquela publicidade surpresa.
- Ah, eu chamo-lhe publicidade enganosa, e é proibida por lei.

Claro que ele ficou a olhar para mim como se eu fosse maluquinha. Agradeci e fui ao balcão das informações, onde tinha 12 pessoas à minha frente, e uma pessoa a atender.

Tinha mais que fazer, ficou uma cartinha, e explicar o que se tinha passado, e a pedir explicações.

Mais evoluções esperam-se :)

Autoria e outros dados (tags, etc)





subscrever feeds


Arquivo