Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




subscrever feeds


Arquivo



Tricéfala

por jonasnuts, em 20.06.17

Até há uns dias eu era bicéfala. Agora sou tricéfala.

 

Eu explico.

 

Sabem aquela coisa da Maria patroa e da Maria empregada? Eu era a Maria condutora e a Maria peona (eu sei). 

 

Enquanto Maria condutora irrito-me com os peões que empatam o trânsito, que se metem à beira das passadeiras a mandar passar a malta que pára, que passa nas passadeiras na oblíqua, com os que andam na faixa das bicicletas, etc...

 

Enquanto Maria peona (eu sei) irrito-me com os carros que não param nas passadeiras, com os que me fazem razias, com os que não fazem piscas, com os que buzinam, com os que estacionam em cima das passadeiras, etc...

 

Enquanto Maria motard descubro a tríade da coisa, há muito mais coisas com que me irritar ao volante duma mota, nomeadamente com os senhores da câmara municipal de Lisboa que têm a responsabilidade de zelar pelo pavimento (nos carros também se nota, mas não é a mesma coisa), e tenho a certeza de que descobrirei mais coisas à medida que for aprendendo a relaxar.

 

Fica a nota de que é oficial........ não só já comprei a mota, como já dei umas voltas para me habituar como já vim para o trabalho. E estou a adorar :)

 

Ainda não tem nome, mas há-de ter.

 

19359229_10212723961751039_350421039_o.jpg.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Jonas, a motard

por jonasnuts, em 04.05.17

Isto das motas é um mundo e está cheio de truques. Estou farta de aprender cenas.

 

Aparentemente, já tenho mota, porque um amigo de um amigo tinha uma pcx para venda, o negócio parece simpático, e apenas aguardo a devolução do dinheiro do IRS para fechar o negócio. Há-de ser mais ou menos assim:

pcx.jpg

 

 

Portanto, não é uma Peugeot Django, o que é uma pena, mas foi o que se arranjou.

 

Muitas foram as recomendações de aulas de familiarização pelo que decidi seguir os conselhos, e já estão marcadas.

 

Outra recomendação muito frequente, aliás, a mais frequente de todas tem a ver com o equipamento. NÃO SE POUPA EM EQUIPAMENTO. Ok. Qual equipamento?
O ideal é que seja capacete, luvas e casaco. Se não der para tudo, compra-se o casaco depois, mas capacete e luvas, sempre.

E agora? Que tipo de capacete? Que marca de luvas? 
O capacete não vai ser fashion, porque toda a gente me diz que os fashion são uma treta, porque não protegem. Os que são mesmo bons são os integrais, one piece. 
Ainda ando à procura de lojas porreiras onde me possam recomendar estas cenas sem me levarem couro e cabelo.

Seguro, outro mundo. Preciso de um seguro contra terceiros e de responsabilidade civil. Isto dá muito mais trabalho do que o que eu imaginava.
 
Mais as protecções contra roubo, cadeados e afins. E um tracker gps (são baratuchos, online e tenho pena de não ter comprado um para a minha bicicleta, a esta hora saberia do seu paradeiro).

 

A família não gosta da ideia. Provavelmente é uma questão de hábito :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Em busca da moto perfeita

por jonasnuts, em 17.04.17

Já percebi que as motos são como as opiniões, há para todos os gostos.

 

Para quem, como eu, não percebe nada, a quantidade e a qualidade do feedback que recebi, por causa do post anterior, foram esclarecedoras, mas também baralharam.

 

Roda alta, roda baixa, roda intermédia? Sei lá eu, que achava que as rodas eram todas iguais,

 

Capacete já percebi que tem de ser integral, mas one piece ou modular? 

 

E alugo uma para treinar, faço um test drive ou tenho aulas? Eu só sei andar de bicicleta e com calma.

 

Tenho achado que o mercado está pouco preparado para pessoas como eu. Está preparado para a miudagem, que já sabe conduzir porque aprendeu nas motos dos amigos. Está preparado para quem já conhece e já domina.

 

Não encontrei uma única escola de condução com oferta de aulas de condução, sem falar em carta. Se eu tenho carta de ligeiros, não preciso de tirar a carta para conduzir uma 125. Tenham uma oferta de aulas para quem quer aprender, mas não quer (ainda) tirar a carta.

 

Também já percebi que a questão estética é importante. Para mim também é, mas o argumento €€€€ fala mais alto. Eu gosto da Django Evasion. Do look retro e, sobretudo, do tom de azul. Mas € 2.700 é muita fruta, sobretudo assim de repente e não encontrei em 2ª mão.

 

Peugeot - DJANGO EVASION.jpg

 

Em cima disso, não sei quais são os consumos, nem ninguém me diz se isto é alguma coisa de jeito ou não. E é francesa. E tem um leão mesmo ali à frente.

O consenso parece ir para a Honda PCX. Porque gasta muito pouco, porque é fiável, porque tem uma boa relação qualidade/preço. A grande maioria das pessoas com quem falei recomendou-me esta PCX. Nova é mais cara que a Django, mas, não só há promoções e facilidades de pagamento como há várias em 2ª mão.

 

PCX125 Campanha Financiamento  Honda Portugal.jpg

Outra dúvida, mas esta já a tenho há MUITOS anos. Porque é que a buzina das motos é tão fraquita? Se há veículo que precisa duma buzina potente, é uma moto. Um camião TIR, com aquele tamanho todo, não apanha ninguém desprevenido, não precisa daquele buzinão para nada, a simples deslocação de ar chama a atenção. Uma moto é mais discreta, tem muito mais necessidade duma buzina de jeito, mas não, têm umas coisinhas imberbes que mal se ouvem. Comprando uma, a primeira coisa que lhe faço é meter-lhe uma buzina de jeito. A não ser que não se possa.

 

Os seguros são outro mistério. Não percebo porque é que não há seguros contra todos. E também não percebo porque é que não há seguros contra roubo. Não tendo garagem para a deixar durante a noite, vai ter de ficar na rua. Amarrada a um poste da luz, mas na rua. Ficaria mais descansada se pudesse ter um seguro, apesar de toda a gente me dizer que ninguém rouba 125.

 

É todo um mundo novo que descubro, devagarinho. Irei dando notícias e estarei atenta ao feedback que me quiserem dar, porque tem sido muito útil :)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Baby motard

por jonasnuts, em 13.04.17

Mentira, não sou nada :)

 

Estou apenas a considerar muito seriamente a possibilidade de comprar uma acelera, máximo 125cc, que a minha carta não dá para mais, de momento, para me deslocar mais rapidamente e sem problemas de estacionamento, e para ser mais barato do que de carro.

 

Esta ideia surgiu, em primeiro lugar, confesso, por estar parada nas bichas, e vê-las passar, às motos, leves e airosas, sacanas, entre os carros, sem que as bichas as afectem, muito, vá. Depois porque, por motivos que não acbem aqui, neste momento, deixei de ter estacionamento perto do meu local de trabalho, e andar de transportes públicos é muito giro, mas demorar 2 horas a chegar a casa, em vez dos tradicionais 30/45m, se formos a ver bem, cansa.

 

E depois, várias circunstâncias se reuniram, para proporcionar esta decisão. Sendo que a morte da minha mãe foi a que mais contribuiu. Nunca daria este passo se a minha mãe fosse viva, ela pura e simplesmente não me deixaria fazê-lo. Sim, maior e vacinada, mas para algumas coisas, a minha mãe tinha autoridade :)

 

Vai ser uma coisa muito ponderada porque, para ser sincera, não percebo nada de motos. Sim, andei, quando era mais miúda, mas já passaram uns anos valentes e ter andado quando era adolescente não faz de mim conhecedora.

 

Preciso de saber o que comprar, quando comprar, a quem comprar (vou comprar em segunda mão, que sou uma tesa desgraçada, não tenho dinheiro para coisas novas), portanto, sugestões recomendam-se :)

 

Sugestões a todos os níveis........ vendedores, marcas, modelos, gadgets, acessórios, percursos, fiscalidade criativa, sítios para praticar, preços e tudo o que acharem que pode ser útil a uma marinheira de primeira viagem.

 

Muito agradecida.

Autoria e outros dados (tags, etc)





subscrever feeds


Arquivo