Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jonasnuts

Caro Obama

Um teu antecessor na casa branca, claramente mais visionário do que tu, escreveu umas palavrinhas às quais deverias dedicar a tua atenção.

 

"They who would give up essential Liberty, to purchase a little temporary Safety, deserve neither Liberty nor Safety."

 

Benjamin Franklin

 

Tradução livre: Aqueles que estão dipostos a abdicar liberdades fundamentais, para obter um pouco de segurança temporária, não merecem nem Liberdade nem Segurança.

 

Link para fonte em inglês, para te facilitar a vida.

Pedidos de Portugal ao Google

Por causa da notícia que refere o número de pedidos que cada país faz ao Google, inflamou-se certa Blogosfera, já a engatar a primeira no discurso da liberdade de expressão, e da intervenção disto e daquilo na liberdade das pessoas.

 

Tenham calma senhores, o Google foi relativamente vago, não especificou quem pediu e o que pediu, e os pedidos, sei-o por experiência própria, são como os chapéus, há muitos.

 

Todos os dias me chegam pedidos de identificação de autores disto e daquilo, e todos os dias me chegam pedidos de remoção de conteúdos. Chegam-me do país e do estrangeiro. Legítimos, portanto, provenientes de entidades com competência para fazerem esses pedidos (os tribunais, em alguns casos o ministério público e a polícia judiciária), uma larga minoria.

 

E acho muito bem que esses pedidos, os legítimos,  sejam feitos, seja a quem for, porque não existe liberdade sem responsabilidade. E se alguém pensa que num determinado post existe um crime (seja ele qual for), deve usar os meios legais ao seu dispor para se queixar. E os meios legais existem, para os conteúdos publicados online, como para qualquer outra plataforma de comunicação que não seja online. A lei aplica-se a todos, e o anonimato de que alguns julgam gozar por aqui, não é tão fácil como isso. Aliás, só pessoas com competências técnicas muito acima da média é que conseguem, de facto, ser anónimas.

 

A mim não me preocupam os pedidos feitos por tribunais (ou por outras entidades competentes), é sinal de que as coisas estão a funcionar como deve ser. A mim preocupam-me sobretudo os pedidos ilegítimos, os pedidos de pessoas que querem saber quem fez o post A, B ou C, para lhe irem pregar um enxerto de porrada, ou o político que não gostou de ler aquilo que o autor do Blog escreveu e quer que seja removido, assim, sem passar por um tribunal. Preocupam-me as pessoas que, apesar de vivermos há tantos anos em liberdade, ainda não sabem o que é a liberdade de expressão.

Já não se fazem PRECs como antigamente

Leio no Público que houve uns gajos da UGT que vandalizaram uns cartazes da CDU.

 

Vai daí, o que é que fazem os gajos da CDU? Apresentem queixa às autoridades.

 

Há 35 anos nada disto teria acontecido.

 

Há 35 anos, os gajos da CDU não teriam abandonado os cartazes, havia turnos para guardar cartazes, e era frequente a guarda de cartazes resultar em cenas de pancadaria.

 

Entre os movimentos políticos que surgiam na altura como cogumelos havia rivalidades profundas, por isso, quando se colavam cartazes, era preciso ficar a guardá-los, para que nenhuma das cinquenta mil facções opostas os removesse. Fazia parte das noites de qualquer cidadão mais interventivo.

 

Se a minha memória não me engana, o meu pai passou algumas noites a guardar cartazes, e algumas vezes chegou a casa com relatos de pancadaria. Os gajos vieram, nós estávamos emboscados e caímos-lhes em cima.

 

Hoje em dia já não...... apresenta-se queixa às autoridades.

 

Amolecemos, é o que é. Já nã se fazem PRECs como antigamente.

O futuro da Internet discute-se a 5 de Maio

Já disse aqui várias vezes que não leio jornais, nem sou consumidora de notícias nos órgãos de comunicação social tradicionais. Talvez seja por isso que me tenha escapado algum barulho que certamente estes órgão de comunicação social mais tradicionais têm, obviamente, feito acerca deste tema. Deve ter havido imensos artigos de opinião, que pessoas conscientes e ciosas das liberdades de expressão (próprias e alheias) têm feito veicular acerca deste assunto.

 

Falha minha, certamente.

 

Chamo a vossa atenção para a votação que irá decorrer no Parlamento Europeu, no próximo dia 5 de Maio.

 

Pelos títulos das propostas, parece estar tudo bem, e parece que os direitos dos consumidores (nós) até estão a ser defendidos.

 

No entanto, sempre que vejo regulação, regulamentação e internet, na mesma frase, eu vou atrás. Não sei porquê, mas desconfio sempre. Deve ser da idade. Mais para mais, os senhores parece que estão com pressa em aprovar isto antes das eleições. E reguladores, regulamentos, Internet e pressa deixam-me ainda mais pulgas atrás da orelha.

 

Então parece que se estas novas propostas forem aprovadas, a Internet, como a conhecemos, pode estar a acabar. Sim, isto pode ser o princípio do fim. Se estas propostas forem aprovadas,  os ISP (Internet Service Providers - Fornecedores do Serviço de Internet) passarão a estar legalmente habilitados a limitar o número de sites a que podemos aceder, e a dizer-nos se estamos ou não autorizados a utilizar determinados serviços. Eles decidem por nós. Estará disfarçado de "Opções dos consumidores", parecendo, portanto, uma benesse, mas na realidade, isto permitirá aos fornecedores de acesso a venderem pacotes de internet como vendem os pacotes de televisão, com um número limitado de opções às quais poderemos aceder.

 

 

Eles escolhem os conteúdos e os serviços a que podemos aceder.

 

 

Os grandes não terão grandes problemas, mas os pequeninos, os Blogs, as pequenas empresas, os que estão fora do lobby, esses, não sobreviverão. E isto será apenas o princípio.

 

Deixaremos de ter uma Internet Livre, será a Internet pré-escolhida por terceiros. Com a liberdade que esses todos poderosos decidirem dar-nos. Uma liberdade assim-assim.

 

Portanto, se por acaso passar aqui algum candidato ao parlamento europeu, esta era uma pergunta para a qual eu gostaria de resposta. Como é que votaria estas propostas? O meu voto depende disso.

 

Quanto aos demais leitores, podem passar por sítios onde isto está mais bem explicado e documentado. Aqui por exemplo.

Pesquisar

No twitter


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D