Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Arquivo



Comfortably numb

por jonasnuts, em 28.01.13

 

Oh, heresia, diz ela, antes de a escrever. Os Pink Floyd nunca foram a minha onda. Ah, mas são a banda da tua geração e coiso e tal e as letras, e o conceito, e o The Wall, e o melhor álbum de sempre e o caraças mas, temos pena, sou uma desgeracionada nisto também. Cheguei aos Pink Floyd demasiado cedo, e quando o frenesim atingiu o meu círculo, a mim já me tinha passado.

 

Posto isto...... gosto desta versão desta música, à excepção das partes onde o waters desafina (que são todas aquelas em que participa), e o Eddie Vedder quase compensa o estrago do outro.Pronto... o evento em causa também ajuda, que foi dos meritórios.

 

É assim que espero estar, um destes dias.... comfortably numb. Por um bocadinho, vá.

Link do vídeo, para quem lê isto por outras vias.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pink Morrison

por jonasnuts, em 19.04.11

Vou, numa só frase, dizer duas barbaridades musicais daquelas que arrepiam os melómanos. Pink Floyd e Doors faziam parte do que se ouvia lá por casa, quando eu era miúda, pelo que, quando os meus coleguinhas de liceu descobriram e extasiaram com aquilo, já eu tinha um grande been there, done that, got the t-shirt.Ora, ouvir pink floyd aos 6 anos e ouvir aos 16 é muito diferente, mas aos 16 já eu estava noutra. Portantos...... a modos que, Pink Floyd e Doors (entre outros, mas estes são os mais carismáticos) não me arrancam suspiros de revivalismos, nem lhes conheço a obra de trás para a frente, nem idolatro o dark side of the moon (está mais ou menos ao nível dos patinhos, de que eu gostava muito com 6 anos), nem tomo partidos entre o waters e o gilmour e essas coisas. Com Doors, a mesma coisa, se bem que estes tenham tido um argumento que os pink floyd não tiveram, chamado Jim Morrison.

 

E isto tudo para dizer o quê? Que descobri, por ele, o vídeo dum concerto do Roger Waters, em 2000, duma música a que nunca achei muita piada, o Money (sim, sim, herege, herege), mas aqui tocada e cantada com um je ne sais quoi que faz com que tenha sido a banda sonora dos últimos tempos.  O cabrãozinho que canta, tem uma pinta desgraçada, aguenta-se muitíssimo bem à bronca da música, sem ter medo dela, e dá uns ares a Jim Morrison em novinho. Um must.

 

 

A pedido de várias famílias,o rapaz chama-se Doyle Bramhal II

 

E para quem vê isto via Facebook, o vídeo pode ser visto aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)






Arquivo