Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




subscrever feeds


Arquivo



Olá

por jonasnuts, em 11.09.17

Gosto do Olá. 

Serve para muita coisa e para muita gente.

 

Não tem género, nem idade, nem hierarquia, nem estrato social. É universal.

 

Já o Bem-vindo, detesto. Sobretudo porque me exclui. Reparem, não estou a falar do plural, do Bem-vindos que, não me agradando por aí além, está linguisticamente correcto, inclui-me. Mas Bem-vindo, não. Bem-vindo é para gajos.

 

Se querem dar-me as boas-vindas, ou usam Boas-vindas ou usam Bem-vinda.

 

Se entro num site, ou no balcão de um banco ou na recepção de um ginásio ou onde quer que seja e vejo "Bem-vindo", fico sempre a pensar que:

1 - Os senhores não percebem nada de comunicação.

2 - Os senhores não estão interessados em fazer negócio comigo.

 

És uma esquisitinha, Jonas Maria. Pois que sou, mas não é por isso que o meu negócio deve ser menos importante.

 

Não percebo as marcas que insistem em não me incluir. Estão à partida a dizer que não estão interessadas no meu poder de compra.

 

Ai, Jonas Maria, és a única pessoa que liga a essas merdas, o resto das mulheres não se importa. Provavelmente é verdade, eu até defendo que a maioria das mulheres sofre de síndrome de Estocolmo, mas as coisas estão a mudar e não creio que as marcas possam dar-se ao luxo de destratar potenciais clientes. 

 

Pela parte que me toca, anoto-lhes um ponto negativo na listinha dos prós e contras que elenco antes de tomar a decisão.

 

O Bankinter não está interessado em fazer negócio comigo.

 

FullSizeRender.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)





subscrever feeds


Arquivo