Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jonasnuts

Os chico-espertos do plágio - Take 2 do Take 2

No meu post anterior (auto-link) falei do chico-esperto Rogério Gomes, e da novela de sábado de manhã.

 

Mas induzi-vos em erro. Disse eu que o senhor tinha apagado o post e bloqueado quem lá foi comentar.

 

Não é verdade. Quer dizer, ele bloqueou a malta que fez a festarola, mas não apagou o post.

 

E como é que tu sabes disso, Jonas Maria?

 

Sei disso porque o senhor além de ser chico-esperto, ou é burro, ou tem a memória de um peixinho de aquário e no dia em que bloqueia uma M João Nogueira (que sou eu), pede amizade a uma Ana Nogueira.

 

Sim, Nogueiras há muitas, mas esta calha ser minha irmã, que me liga a dizer que o senhor, de quem ela nunca tinha ouvido falar a não ser no meu post, lhe tenha ido pedir amizade. Aproveitou ainda para dizer que eu sou uma besta, porque desanco as pessoas, porque se calhar o rapaz é tímido, porque nós fomos agressivos nos comentários e não lhe deixámos outra opção senão a do bloqueio, porque....... enfim, o costume.

 

E depois aprofundou o mural do senhor.

 

Começou logo por dizer que não, que o post em causa não tinha sido removido e que lá estava, sem quaisquer créditos ou correcções, apenas com os comentários da festarola apagados.

 

Depois começou a parte divertida. O caramelo é daqueles que faz like aos próprios posts. Espera...... não é aos próprios posts, porque os posts não são dele. Enfim, ao menos coerência.

 

E depois fez uma experiência. Foi ver outros posts. 

 

E é aqui que tenho uma péssima notícia para dar à Helena. Ela não é caso único. 

 

Dos outros 4 posts que a minha irmã viu, era TODOS plagiados, sem qualquer referência à origem, ou crédito. Exactamente a mesma coisa, um parágrafo de introdução de autoria própria, e depois a continuação que é um copy paste sem qualquer alteração, de um post alheio.

 

As provas.

 

rogerio1.jpg

 

Que é tirado deste post do Jumento

 

 

rogerio2.jpg

Que é tirado deste post do Diário do Purgatório.

 

 

rogerio3.jpg

Que é tirado deste post da Pipoca mais Picante.

 

rogerio4.jpg

Que foi tirado deste post do Delito de Opinião.

 

Depois a minha irmã fartou-se de chafurdar em merda, e não fez mais pesquisas, mas o padrão está identificado. Entretanto o servicinho estava feito, o caramelo fez um post ordinário (provavelmente roubado a um blog rasca) e ela fartou-se e desamigou-o.

 

Portanto, o senhor anda nos blogs, cata o que lhe parece bem, copia no Facebook como sendo dele, e bane quem lá vai deixar comentários a chamar a atenção para o plágio.

 

Eu e a minha irmã acabámos a concordar. Não, o gajo não é tímido. É mesmo imbecil.

 

Escolha difícil

É algo com que me deparo TODOS os dias, logo pela manhã, na carneirada de trânsito que segue na direcção de Lisboa.

 

E escolha eu o que escolher, nunca fico satisfeita com a escolha.

 

É melhor encaixar-me na categoria dos tansos, ou na categoria dos chico espertos?

 

Não gosto de chico espertos. Os palermas que acham que sabem mais do que os outros, e que pensam que são mais importantes, ou que a pressa deles é mais urgente que a minha.

 

Por outro lado, irrita-me pelo menos o mesmo, o gajo (ou a gaja) que deixa passar os chico espertos.

 

É uma verdade universal que só há chicos espertos porque há outros tantos tansos a facilitar-lhes a vida (ou, pelo menos, a não a dificultar).

 

Eu não sou nem tansa, nem chica esperta. O problema é que não há uma fila de trânsito alternativa para as pessoas como eu. Se me ponho na fila dos tansos, não deixo entrar chico espertos, mas irritam-me os chico espertos que entram à frente dos tansos atrás de quem eu vou e que, coitados, por mais luzes ou apitadelas, continuam a ser verdadeiras madres teresas e a deixar entrar os chicos espertos. Nem percebem a que é que se devem os sinais de luzes (a senhora está com um problema nos faróis, já ouvi a um - e estava a ser sincero).

 

Ser chica esperta é fácil, mas colide com a minha maneira de pensar, e colide com o que quero ensinar ao meu filho, que vai ao meu lado no carro, no que concerne ao respeito pelos outros.

 

Mas é uma decisão difícil, ensino o puto a ser um tanso ou a ser um chico esperto?

As pessoas que não existem

Há muitas pessoas que não existem. A sério. Isto ocorreu-me há já algum tempo, no trânsito da A5 a caminho de Lisboa.

 

Por exemplo, eu não conheço ninguém que, em conversa com amigos diga, ah sim senhor, sempre que passo por um acidente, eu paro ou abrando para olhar e ver se há mortos ou feridos, ou para ver o estado em que ficaram os carros para depois poder pensar com os meus próprios botões "eish, o estado em que aquilo ficou, vai ser uma despesa enorme de bate chapas, espero que ninguém se tenha magoado" (e no entanto abranda um pouco mais, à procura do sangue).

 

Também não conheço ninguém que diga, ah, eu sou chico esperto. Quando vejo uma enorme bicha (desculpem, mas para mim é bicha, não gosto do politicamente correcto), quando vejo uma bicha, dizia o meu personagem inexistente, tento sempre encontrar forma de dar a volta ao texto, mesmo que isso passe por meter por uma escapatória e ultrapassar os outros pela direita. Ou ir na faixa rápida e mesmo em cima da saída da auto-estrada, meto-me à frente dos desgraçados que estão à espera há meia hora.

 

Também não conheço ninguém que se vanglorie de passar à frente na bicha do supermercado ou do cinema.

 

Também não conheço ninguém que se assuma como incompetente. Lido com alguns incompetentes, alguns mesmo mais próximos do que o que gostaria, mas não conheço ninguém que assuma e diga "eu sou incompetente".

 

Nunca ouvi uma pessoa dizer sistematicamente "ah, aquela empresa é uma merda e está cheia de incompetentes" e depois, ao primeiro vislumbre de cravar a dita empresa nalguns cobres, é a primeira da bicha (provavelmente passando à frente dos que já lá estavam).

 

No entanto, sei por experiência, que este tipo de pessoas existe. Cruzo-me com eles todos os dias, na estrada, na rua, na empresa onde trabalho.

 

Devo ser eu que tenho uns amigos muito selectos.

Dedicado ao condutor do veículo com a matrícula XN-60-15

Gosto pouco de chicos espertos.
Chicos espertos ao volante comigo têm poucas hipóteses.

Aqueles caramelos que saem da mesma fila em que eu estou, lá atrás, vão para a faixa da esquerda, que está a andar mais rapidamente, e depois, mesmo à entrada do túnel do Marquês (sentido Monsanto - Lisboa) tentam meter-se à sucapa, de novo na faixa da direita.

Não gosto.

Não gosto e não deixo.

Acelero, à minha frente não entram.

O condutor do veículo com a matrícula XN-60-15, esta manhã, fez o que tantos outros fazem. Tentou ser chico esperto. E aconteceu-lhe o que acontece aos outros. Foi entalado.

Então se são assim tantos, porque é que este teve direito a ver a sua matrícula anotada, e teve direito a post?
Porque este caramelo, puto da vida por ter sido entalado usou a sua sirene não uma, mas duas vezes.

Caro senhor proprietário do veículo com a matrícula XN-60-15, a sua atitude, que pretendeu ser, presumo, intimidatória, teve o efeito contrário. Em vez de proceder como habitualmente procedo com os chico espertos (entalo-os e depois ou os ignoro ou, se estão realmente pissed, digo-lhes adeus), desta vez, dei-me ao trabalho de anotar a matrícula, e deixar o post a fermentar para quando tivesse tempo e pachorra.

O tempo em que autoridades chica-espertas intimidavam os cidadãos com uma simples demonstração (sonora) da sua existência, já lá vai.
Se por acaso não se tratava de um agente da polícia à paisana, num carro civil mas apetrechado com uma sirene, a alternativa não é melhor. Era um carro shunado.

E toda a gente sabe que, melhor que entalar um chico esperto, só mesmo entalar um chico esperto do shunning.

Pesquisar

No twitter


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D