Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Arquivo



No meu post anterior (auto-link) falei do chico-esperto Rogério Gomes, e da novela de sábado de manhã.

 

Mas induzi-vos em erro. Disse eu que o senhor tinha apagado o post e bloqueado quem lá foi comentar.

 

Não é verdade. Quer dizer, ele bloqueou a malta que fez a festarola, mas não apagou o post.

 

E como é que tu sabes disso, Jonas Maria?

 

Sei disso porque o senhor além de ser chico-esperto, ou é burro, ou tem a memória de um peixinho de aquário e no dia em que bloqueia uma M João Nogueira (que sou eu), pede amizade a uma Ana Nogueira.

 

Sim, Nogueiras há muitas, mas esta calha ser minha irmã, que me liga a dizer que o senhor, de quem ela nunca tinha ouvido falar a não ser no meu post, lhe tenha ido pedir amizade. Aproveitou ainda para dizer que eu sou uma besta, porque desanco as pessoas, porque se calhar o rapaz é tímido, porque nós fomos agressivos nos comentários e não lhe deixámos outra opção senão a do bloqueio, porque....... enfim, o costume.

 

E depois aprofundou o mural do senhor.

 

Começou logo por dizer que não, que o post em causa não tinha sido removido e que lá estava, sem quaisquer créditos ou correcções, apenas com os comentários da festarola apagados.

 

Depois começou a parte divertida. O caramelo é daqueles que faz like aos próprios posts. Espera...... não é aos próprios posts, porque os posts não são dele. Enfim, ao menos coerência.

 

E depois fez uma experiência. Foi ver outros posts. 

 

E é aqui que tenho uma péssima notícia para dar à Helena. Ela não é caso único. 

 

Dos outros 4 posts que a minha irmã viu, era TODOS plagiados, sem qualquer referência à origem, ou crédito. Exactamente a mesma coisa, um parágrafo de introdução de autoria própria, e depois a continuação que é um copy paste sem qualquer alteração, de um post alheio.

 

As provas.

 

rogerio1.jpg

 

Que é tirado deste post do Jumento

 

 

rogerio2.jpg

Que é tirado deste post do Diário do Purgatório.

 

 

rogerio3.jpg

Que é tirado deste post da Pipoca mais Picante.

 

rogerio4.jpg

Que foi tirado deste post do Delito de Opinião.

 

Depois a minha irmã fartou-se de chafurdar em merda, e não fez mais pesquisas, mas o padrão está identificado. Entretanto o servicinho estava feito, o caramelo fez um post ordinário (provavelmente roubado a um blog rasca) e ela fartou-se e desamigou-o.

 

Portanto, o senhor anda nos blogs, cata o que lhe parece bem, copia no Facebook como sendo dele, e bane quem lá vai deixar comentários a chamar a atenção para o plágio.

 

Eu e a minha irmã acabámos a concordar. Não, o gajo não é tímido. É mesmo imbecil.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escolha difícil

por jonasnuts, em 10.12.09

É algo com que me deparo TODOS os dias, logo pela manhã, na carneirada de trânsito que segue na direcção de Lisboa.

 

E escolha eu o que escolher, nunca fico satisfeita com a escolha.

 

É melhor encaixar-me na categoria dos tansos, ou na categoria dos chico espertos?

 

Não gosto de chico espertos. Os palermas que acham que sabem mais do que os outros, e que pensam que são mais importantes, ou que a pressa deles é mais urgente que a minha.

 

Por outro lado, irrita-me pelo menos o mesmo, o gajo (ou a gaja) que deixa passar os chico espertos.

 

É uma verdade universal que só há chicos espertos porque há outros tantos tansos a facilitar-lhes a vida (ou, pelo menos, a não a dificultar).

 

Eu não sou nem tansa, nem chica esperta. O problema é que não há uma fila de trânsito alternativa para as pessoas como eu. Se me ponho na fila dos tansos, não deixo entrar chico espertos, mas irritam-me os chico espertos que entram à frente dos tansos atrás de quem eu vou e que, coitados, por mais luzes ou apitadelas, continuam a ser verdadeiras madres teresas e a deixar entrar os chicos espertos. Nem percebem a que é que se devem os sinais de luzes (a senhora está com um problema nos faróis, já ouvi a um - e estava a ser sincero).

 

Ser chica esperta é fácil, mas colide com a minha maneira de pensar, e colide com o que quero ensinar ao meu filho, que vai ao meu lado no carro, no que concerne ao respeito pelos outros.

 

Mas é uma decisão difícil, ensino o puto a ser um tanso ou a ser um chico esperto?

Autoria e outros dados (tags, etc)

As pessoas que não existem

por jonasnuts, em 29.05.09

Há muitas pessoas que não existem. A sério. Isto ocorreu-me há já algum tempo, no trânsito da A5 a caminho de Lisboa.

 

Por exemplo, eu não conheço ninguém que, em conversa com amigos diga, ah sim senhor, sempre que passo por um acidente, eu paro ou abrando para olhar e ver se há mortos ou feridos, ou para ver o estado em que ficaram os carros para depois poder pensar com os meus próprios botões "eish, o estado em que aquilo ficou, vai ser uma despesa enorme de bate chapas, espero que ninguém se tenha magoado" (e no entanto abranda um pouco mais, à procura do sangue).

 

Também não conheço ninguém que diga, ah, eu sou chico esperto. Quando vejo uma enorme bicha (desculpem, mas para mim é bicha, não gosto do politicamente correcto), quando vejo uma bicha, dizia o meu personagem inexistente, tento sempre encontrar forma de dar a volta ao texto, mesmo que isso passe por meter por uma escapatória e ultrapassar os outros pela direita. Ou ir na faixa rápida e mesmo em cima da saída da auto-estrada, meto-me à frente dos desgraçados que estão à espera há meia hora.

 

Também não conheço ninguém que se vanglorie de passar à frente na bicha do supermercado ou do cinema.

 

Também não conheço ninguém que se assuma como incompetente. Lido com alguns incompetentes, alguns mesmo mais próximos do que o que gostaria, mas não conheço ninguém que assuma e diga "eu sou incompetente".

 

Nunca ouvi uma pessoa dizer sistematicamente "ah, aquela empresa é uma merda e está cheia de incompetentes" e depois, ao primeiro vislumbre de cravar a dita empresa nalguns cobres, é a primeira da bicha (provavelmente passando à frente dos que já lá estavam).

 

No entanto, sei por experiência, que este tipo de pessoas existe. Cruzo-me com eles todos os dias, na estrada, na rua, na empresa onde trabalho.

 

Devo ser eu que tenho uns amigos muito selectos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Gosto pouco de chicos espertos.
Chicos espertos ao volante comigo têm poucas hipóteses.

Aqueles caramelos que saem da mesma fila em que eu estou, lá atrás, vão para a faixa da esquerda, que está a andar mais rapidamente, e depois, mesmo à entrada do túnel do Marquês (sentido Monsanto - Lisboa) tentam meter-se à sucapa, de novo na faixa da direita.

Não gosto.

Não gosto e não deixo.

Acelero, à minha frente não entram.

O condutor do veículo com a matrícula XN-60-15, esta manhã, fez o que tantos outros fazem. Tentou ser chico esperto. E aconteceu-lhe o que acontece aos outros. Foi entalado.

Então se são assim tantos, porque é que este teve direito a ver a sua matrícula anotada, e teve direito a post?
Porque este caramelo, puto da vida por ter sido entalado usou a sua sirene não uma, mas duas vezes.

Caro senhor proprietário do veículo com a matrícula XN-60-15, a sua atitude, que pretendeu ser, presumo, intimidatória, teve o efeito contrário. Em vez de proceder como habitualmente procedo com os chico espertos (entalo-os e depois ou os ignoro ou, se estão realmente pissed, digo-lhes adeus), desta vez, dei-me ao trabalho de anotar a matrícula, e deixar o post a fermentar para quando tivesse tempo e pachorra.

O tempo em que autoridades chica-espertas intimidavam os cidadãos com uma simples demonstração (sonora) da sua existência, já lá vai.
Se por acaso não se tratava de um agente da polícia à paisana, num carro civil mas apetrechado com uma sirene, a alternativa não é melhor. Era um carro shunado.

E toda a gente sabe que, melhor que entalar um chico esperto, só mesmo entalar um chico esperto do shunning.

Autoria e outros dados (tags, etc)






Arquivo