Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




subscrever feeds


Arquivo



Community manager

por jonasnuts, em 30.03.16

Há quase 20 anos que tenho imensa dificuldade em responder, nos formulários que me caem no colo, à questão "profissão?".

 

Antes era mais fácil; "publicitária" ou "produtora de publicidade", que era esquisito, mas mesmo assim, era minimamente conhecido e modernaço.

 

Quando mandei a publicidade às favas e passei a fazer profissionalmente algo ainda mais esquisito, a dificuldade agravou-se. Ao princípio escrevia "Internet", porque era suficientemente vago e ninguém sabia bem o que era, só sabiam que era moderno. Depois passei a escrever "gestora de serviços de comunidade", que era mais exacto, mas que literalmente ninguém sabia o que era. Foram muitas as vezes em que, à minha frente, era riscada a parte dos "serviços de comunidade" para ficar apenas o "gestora". 

 

"Gestora" eles percebiam bem o que era, embora, na minha perspectiva, "gestora" seja quase tão abrangente como "Internet". Mas era um abrangente mais conhecido e, sobretudo, na perspectiva "deles" tinha mais élan.

 

Mas, na realidade, o que eu faço há quase 20 anos, entre muitas outras coisas, é mesmo isso; gestora de comunidades online. Devo ser a pessoa que, em Portugal, o faz há mais tempo.

 

Tive a enorme vantagem de poder aprender com as mãos na massa, e tive a sorte de, quando comecei, não existirem redes sociais, pelo que os erros que naturalmente cometi enquanto aprendia a coisa, não tomaram nunca proporções bíblicas. Fui uma privilegiada, na medida em que pude aprender à minha custa e à custa das comunidades que geri, e que me ajudaram, a perceber os "dos and don'ts" duma actividade acerca da qual havia muito pouco know how e o que havia era estrangeiro, que não é facilmente transponível para as idiossincrasias portuguesas. 

 

Foi por isso com muita satisfação que, de há uns meses para cá, vi começarem a aparecer anúncios de emprego para "Community Managers". Olá, pensei, as coisas começam a animar.

 

Vi muitos desses anúncios.

 

A grande maioria deles pede pessoas recém-licenciadas, com frequência, o que oferecem é um estágio (normalmente não remunerado). Pedem pessoas que saibam de SEO e SEM, e de Google Analytics, e de Facebook Ads, e de html e css, e de criação e gestão de conteúdos, e competências de design são factor preferencial. Estou a excluir os pedidos mais idiotas, como php, python, javascript e outros que tais, que se vê mesmo que não sabem muito bem de que é que estão à procura.

 

Em NENHUM anúncio eu vi pedidas as características que são mais importantes num community manager: disponibilidade e bom senso.

 

Disponibilidade, porque se é online, a coisa tem de funcionar 24/7. Bom senso porque é uma característica muito subvalorizada e é a que impede de fazer disparates, num mundo em que é preciso ser-se rápido no gatilho. Comunicação (quase) em tempo real exige MUITO bom senso. 

 

 

Foram raros os anúncios em que foram pedidas as segundas características mais importantes num community manager; a utilização irrepreensível da língua portuguesa e a cultura, quer geral quer específica do meio.

 

Um recém licenciado não sabe escrever. E não me refiro aos recém-licenciados das engenharias. Refiro-me a todos os recém-licenciados, e passaram-me muitos pelas mãos. Mas, pelos vistos, isso não interessa para nada, porque a utilização irrepreensível da língua portuguesa não é fundamental para quem anda à procura dos novos community managers, pelo menos a julgar pelos anúncios que vi.

 

Para mim, sempre foi fundamental, para qualquer posição, mas especialmente para aquelas que contactam directamente com os clientes/utilizadores, customer care incluído.

 

Cultura geral e cultura específica do meio, porque quem gere uma comunidade comunica com muitas pessoas diferentes e quanto mais o seu discurso estiver adaptado a cada interlocutor, mais eficaz será. Cultura geral impede argoladas básicas, cultura específica do meio permite uma resposta no mesmo tom, e deixa antever modernidade e actualidade que são muitas vezes (mas não sempre) factores decisivos. 

 

LuisB.jpg

 

Outra ausência gritante dos anúncios é a valorização da presença online dos candidatos. Em nenhum anúncio vi serem pedidos o endereço do Blog, do Facebook, do Twitter, do Instagram, etc....

Peço sempre isto, nos anúncios que coloco. Permite-me ter uma ideia acerca da personalidade da pessoa, da forma como escreve, há quanto tempo usa determinadas ferramentas, com que frequência, etc..

Tudo dados fundamentais para se desempenhar uma função de gestão de comunidades.

Já me aconteceu, no passado, ter de encontrar alguém que tivesse, também, competências (ou potencial) de community manager (enfim, de acordo com a minha definição da coisa). Não me enganei.

 

E, por último, os salários. À partida, um estagiário, não ganha grande coisa. Se não ganha grande coisa e é estagiário, é sinal de que está a aprender (o que contradiz o pedido frequente para estagiários, com experiência), ora, eu não quereria entregar a comunicação da minha marca ou do meu serviço a alguém que está a aprender porque, lá está, se está a aprender, que não seja às custas da minha marca e do meu serviço. Para community manager, nunca quereria ninguém com menos de 5 anos de experiência específica nesta área, mas essa não parece ser uma preocupação de quem recruta. Confirma-se assim o "If you pay peanuts, you get monkeys".

 

Vai na volta e a definição corrente de community manager é muito diferente da minha. Um community manager, na versão actual, é um gestor de redes sociais. Portanto, algo muito mais simples do que criar e gerir uma comunidade usando, entre outras ferramentas, as redes sociais. 

 

Para mim, community manager é a pessoa que cria e mantém uma comunidade. Por comunidade entende-se um grupo de pessoas que, por usarem o mesmo serviço ou o mesmo produto ou frequentarem o mesmo sítio se sentem incluídas e como pertencentes a algo que as diferencia de quem não tem essa presença ou utilização. E criar essa noção e esse sentimento de pertença num grupo (desejavelmente cada vez maior) de pessoas, não é tarefa fácil.

 

Criar e gerir uma comunidade não é um sprint (como muitos parecem achar), é uma maratona. É um trabalho que exige paciência, tempo, entrega, pertença à comunidade que se quer gerir e, muito importante, ouvir. Uma comunidade que não participa no processo de decisão, ou que não é ouvida nesse processo, não é uma comunidade.

 

Fazer like na página duma marca, no Facebook, não faz de mim membro de nenhuma comunidade. Seguir uma marca no Twitter ou no Instagram não faz de mim parte duma comunidade. 

 

E é assim que chego à conclusão de que hoje, tal como há 20 anos, a profissão de community manager é uma raridade. O resto da malta é gestor de redes sociais e, para mim, isso é muito diferente (faz parte, mas está longe de ser a única competência). 

Acho que vou regressar ao "Internet", nos formulários, para não correr o risco de acharem que sou só gestora de redes sociais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os links do #PL118 edição 2014 - Blogs

por jonasnuts, em 30.07.14

O que foi escrito sobre a lei da cópia privada, colheita de 2014, em Blogs.

 

Para o post que reúne o que foi escrito em órgãos de comunicação social tradicional, é aqui.

 

23/01/2015

 

Aberto até de Madrugada -Taxa sobre o armazenamento digital voltará a ser discutida

 

Jonasnuts - 5 perguntas dos Peticionários, 0 respostas do Grupo de Trabalho #pl118 (auto-link)

 

15/01/2015

 

Camelote - O estado polícial da Inês de Medeiros

 

 

19/12/2014

 

Jonasnuts - Ms. Nuts goes to São Bento #pl118 (auto-link)

 

16/12/2014

 

Jonasnuts - Caros assessores da 1ª comissão da Assembleia da República #pl118 (auto-link)

 

15/12/2014

 

Jonasnuts - Vamos à Assembleia da República #pl118 (auto-link)

 

14/12/2014

 

Balanced Scorecard - Curiosidade do dia

 

 

13/12/2014

 

ContraFactos & Argumentos - Sociedade Portuguesa de Autores e sites pessoais

 

09/12/2014

 

Tiago Sousa - Carta Aberta aos Deputados da AR (Proposta de Lei da Cópia Privada)

 

07/12/2014

 

O Insurgente - Hipocrisia e depredação fiscal

 

05/12/2014

 

Jonasnuts - Lei da Cópia Privada - Época natalícia e Socratesgate #pl118 (auto-link)

 

Paula Simões' Blog - Lei da Cópia Privada agendada na Comissão

 

04/12/2014

 

A different perspective - This is not madness. This is … THE INTERNET!

 

02/12/2014

 

O Insurgente - revisitando a famosa e infame lei da cópia privada

 

27/11/2014

Pensar em voz alta - A quem interessa a lei da cópia privada

 

26/11/2014

 

Jonasnuts - Manual de instruções de como impedir a lei da cópia privada #pl118 (auto-link)

 

Fu-Bar - AR QUER APROVAR #PL246 SEM DEMORA

 

Pensar em voz alta - Como parar a pirataria

 

05/11/2014

O Insurgente - Na Hungria foi assim

 

02/11/2014

 

Jonasnuts - Lei da cópia privada - Audiências já na próxima terça-feira #pl118 (auto-link)

 

20/10/2014

 

Pensar em voz alta - Propinas e megabytes

 

11/10/2014

 

Que treta - Treta da semana (passada): a matéria prima.

 

 

01/10/2014

O Castelo do Camelo - Desmontando os argumentos a favor da PL 246

 

30/09/2014

The Blog - Lei da Cópia privada acaba de ser aprovada

 

 

29/09/2014

 

O Castelo do Camelo - Mas onde é que está o dano!?

O Castelo do Camelo - Debate entre a Ensino Livre e a GDA

 

 

28/09/2014

 

Que treta - Cobrar direitos.

 
Aberto até de madrugada - Até a RIAA confirma que o streaming tem compensado o declínio das vendas digitais

 

 

26/09/2014

 

O Castelo do Camelo - Ensino Livre vai a debate sobre Cópia Privada com a GDA

 

 

25/09/2014

 

Paula Simões' Blog - #PL118 Cópia Privada em Debate, Domingo, na sede do Bloco

 

24/09/2014

 

Blasfémias - Parecer - Parte II

 

O Castelo do Camelo - Cópia Privada: será que tem mesmo que ser esta a solução?

 

23/09/2014

 

Blasfémias - Parecer

 

22/09/2014

 

2 Dedos de Conversa - será só fumaça dentro daquelas cabeças, ou andam a tentar atirar-nos areia para os olhos?

 

Narrativa diária - Impostos dissimulados

 

Paula Simoes' Blog - Exercício: Qual é o prejuízo decorrente da cópia privada?

 

Blasfémias - Palhaçadas II

 

Blasfémias - Palhaçadas

 

O Insurgente - Salvem os artistas-rentistas

 

O Insurgente - A agenda escondida da renovada lei da cópia privada

 

Blogtailors - Lei da cópia privada aprovada com os votos da maioria parlamentar

 

21/09/2014

 

 

Contrafactos & Argumentos - Querem perceber lei da cópia privada #118? É entender a velha contribuição audiovisual

 

Aventar - Nova lei da cópia privada gerará 3.5 a 4.7 milhões de receita em IVA

 

Que treta - Três confusões.

 

Bitaites - LEI DA CÓPIA PRIVADA: O FUMO DE INÊS PEDROSA

 

Blasfémias - Taxa da cópia de contestação

 

O Castelo do Camelo - Porque sou contra a nova Lei da Cópia Privada

 

O Insurgente - Leitura dominical

 

20/09/2014

 

O Insurgente - Sobre a aprovação da absurda nova Lei da Cópia Privada

 

O Insurgente - Sobre a aprovação da absurda nova Lei da Cópia Privada (2)

 

O Insurgente - A verdadeira lógica da nova Lei da Cópia Privada

 

 

19/09/2014

 

Aventar - Vitória dos intermediários, derrota dos autores

 

Blasfémias - Carta aberta à família da pessoa Tolstoi

 

O Insurgente - Petição contra a nova Lei da Cópia Privada supera as 7000 assinaturas

 

O Insurgente - Inês Pedrosa e a Lei da Cópia Privada

 

O Insurgente - Os contrabandistas e a lei da cópia privada

 

Jonasnuts - Cara Inês Pedrosa #pl118 (auto-link)

 

E agora? Sei lá, pá! - alguém simpático me explica

 

Curly aos Bocadinhos - Este Governo é um espectáculo!

 

Poupar Melhor - A colectivização do Zé Povinho

 

Opinactivamente - A lei da cópia privada aplicada aos Livros

 

Leituras - A lei da cópia privada é uma ausência de resposta

Sound/Zone - CRÓNICA: A Lei da Cópia Privada: mais um tiro no pé?

 

 

 

18/09/2014

 

Fu-Bar - POR FAVOR, PEÇAM À PRESIDENTE DA AR PARA SUSPENDER A VOTAÇÃO DO #PL246 #PL118

 

O Insurgente - A lei da cópia privada e a gestão das receitas do imposto

 

O Insurgente - Petição contra a nova Lei da Cópia Privada

 

Momentos económicos... e não só - lei da cópia privada e uma proposta diferente

 

Ângulo sólido - Confusão de autor

 

Jonasnuts - Lei da cópia privada - O que fazer #pl118 (auto-link)

 

Quadripolaridades - Não fosse estar numa fase monogâmica e casava com ele...

 

Perdido pela cidade - Aquela discussão sobre a cópia privada

 

Mr. V - Lei da Cópia Privada

 

Enter Tech Soul - Sete coisas que precisa de saber sobre cópia privada

 

Cirrus Minor - AS CÓPIAS NO PRIVADO

 

 

17/09/2014

 

O Insurgente -O estado-artista

 

O Insurgente - Os custos escondidos da nova lei da cópia privada

 

O Insurgente - Lei da cópia privada – Um bom exemplo de como funciona Portugal

 

O Insurgente - Gremlins e prostitutas

 

Blasfémias - PL 245/XII

 

Blasfémias - o espírito da lei

 

Blasfémias - Ideia para compensar a cópia privada

 

Aventar - A negação ao direito da cópia privada

 

Forum Música - SPA e a defesa dos direitos de autor - toda a verdade

 

Repórter 007 - Taxation without representation, Impostos e não somos representados

 

Der Terrorist - Quem não chora não mama

 

Blogtailors - Governo apresenta hoje Lei da Cópia privada no Parlamento

 

a35mm - Lei do roub… da cópia privada

 

16/09/2014

 

Blog dos 300 - Prós e Contras - Cópia Privada

 

Que Treta - O que faltou ontem

 

O gato no telhado - A ver se eu percebi…

 

Bad girls go everywhere - Sem título

 

A vida de uma gaja - Coitadinhos dos artistas

 

O homem do castelo alto - VIVER O SOCIALISMO

 

Aberto até de madrugada - Lei da Cópia Privada nos Prós e Contras

 

Aventar - A cópia privada e a Lei de Moore

 

Aventar - Proxenetismo sob o pretexto de cópia privada

 

O Insurgente - Versão culturalista da petição do fabricantes de velas

 

O Insurgente - A face da arrogância culturista

 

O Insurgente - A justificação da “lei da cópia privada” em poucas palavras

 

iPhil - Depois dos Prós e Contras #PL118 / #PL246

 

Der Terrorist - Impedir a aprovação da proposta de lei n° 246/XII, da Cópia Privada

 

Blasfémias - Nova compilação de sucessos dos Delfins chama-se iPhone 6

 

Luminária - PROPRIEDADE INTELECTUAL E LEI DA CÓPIA PRIVADA ( + IMPOSTOS ...)

 

StoneArt Portugal - Lei da cópia privada

 

Bitaites - A REDE DE ARQUEIROS E O EXÉRCITO BEM EQUIPADO

 

O Esbulhador - Opinião: Taxa privada para salvar tachos em risco

 

Fu-Bar - #PEC SOBRE CÓPIA PRIVADA #PL246, MOMENTOS #PL118

 

Pedro Oliveira's WebSpace - SPA, Passmúsica, direitos de autor, cópia privada e outros que tais

 

Edições PQP - Lei da cópia privada

 

Ministério Agridoce - A Lei da cópia privada

 

Esquerda Republicana - O Prós e Contras e a Lei da Cópia Privada

 

 

 

15/09/2014

 

Aventar - A lei da cópia privada no Prós e Contras

 

iPhil - Petição contra a Lei da Cópia Privada #PL118 / #PL246

 

Jonasnuts - A petição #pl118 (auto-link)

 

Má que jête? - Lei da cópia privada, que hipocrisia

 

Bitaites - PETIÇÃO CONTRA A LEI DA CÓPIA PRIVADA

 

Aberto até de madrugada - AGEFE contra a PL118

 

Ironia D'estado - Proposta de Lei da cópia privada não segue tendência europeia

 

PC Manias - Cópia Privada: uma estimativa do prejuízo

 

Planeta Soares - Petição contra a Lei da Cópia Privada

 

O Esbulhador - Lei da Cópia Privada: Proxenetas recusam comparações

 

 

13/09/2014

 

iPhil - A Matemática do Copyright #PL118 #PL283

 

12/09/2014

 

PC Manias - Cópia Privada - Uma estimativa do prejuízo

 

 

06/09/2014

 

Aberto até de madrugada - SPA volta às mentiras para promover a PL118/PL283

 

Gremlin Literário - 120 por cento?

 

Jonasnuts - Cara SPA #pl118 (auto-link)

 

Dioguinho - Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) faz plágio e ainda tenta fazer as pessoas de parvos

 

 

05/09/2014

 

 

SPA - SOBRE A LEI DA CÓPIA PRIVADA 2014

 

Fu-Bar - SPA FAZ FAQ AO #PL118 / #PL246 SEM CREDIBILIDADE

 

Ansol - Pacote Legislativo sobre Direitos de Autor

 

 

 

04/09/2014

 

Preguiça Magazine - PIRATAQUÊ??!!

 

Jonasnuts - Caro António - Lei da cópia privada #pl118 (auto-link)

 

 

02/09/2014

 

Ironia D'Estado - Nova Lei da Cópia Privada já foi publicada em Diário da República

 

 

01/09/2014

 

Blásfémias - PL 246/XII

 

Coluna Vertical - A abominável Lei da Cópia Privada ataca de novo

 

Ascenso Simões - Sobre a cópia privada

 

30/08/2014

 

Fu-bar - AS PROPOSTAS A ANALISAR COM ATENÇÃO #PL245 #PL246 #PL247 (#PL118)

 

O Insurgente - A abominável Lei da Cópia Privada

 

Mundo da Rádio - O universo da rádio, na Internet - Manifesto

 

 

29/08/2014

 

Que Treta - Treta da semana (passada): “direitos”, “autores” e “cultura”.

 

Ângulo Sólido - Ice bucket ao direito de autor / estranhas prioridades

 

O Ribatejo - A cópia privada

 

 

27/08/2014

 

A esquina do Rio - Tempos desfasados 

 

 

26/08/2014

 

 

Aberto até de madrugada - 20 factos sobre a PL118 / PL283

 

Marcha dos desalinhados - Lei da Cópia Privada 

 

Delito de Opinião - Taxar Pandora (2)

 

Cinematigraficamente falando - Somos todos piratas

 

 

25/08/2014

 

Poupar Melhor - #PL118 é uma lei da cópia privada

 

Nelson Cruz - Tentativa de cálculo dos "prejuízos"

 

Bitaites - LEI DA CÓPIA PRIVADA: NÃO HÁ SELFIES GRÁTIS

 

inÉpcia - Governo quer acabar com cheiro a urina em locais públicos taxando venda de líquidos

 

Jonasnuts - Cara SPA #pl118 (auto-link)

 

MAS (Movimento Alternativo Socialista) - Lei da Cópia Privada: mais taxas limitativas e generalizadoras

 

8IN)Transmissível - Sobre a proposta de lei da “Cópia Privada” (2)

 

24/08/2014

 

Delito de Opinião - Taxar Pandora

 

Edições pqp - Sobre a dízima da lei da cópia

 

Jonasnuts - Lei da cópia privada - Coisas que realmente interessam II #pl118 (auto-link)

 

 

23/08/2014

 

Blasfémias - Taxa da cópia privada = subsídio ao Zé Cabra

 

77 Colinas - Sem direitos de autor

 

Chatos do Demócrito - Lei da cópia pirata? II: O governo contra-ataca

 

O mundo dos queijos - A lei da cópia privada

 

Jonasnuts - Lei da cópia privada - Coisas que realmente interessam #pl118 (auto-link) 

 

Gremlin Literário - Duas morais para um romance de cordel

 

Contrafactos & Argumentos - Cópia privada em 2004

 

Aventar - Governo cria Lei da Corrupção Privada

 

Há e não são verdes - Mais uma vez a #pl118

 

Bitaites - 15 FACTOS SOBRE A LEI DA CÓPIA PRIVADA

 

Pingos de Chuva - Lei da cópia privada (ou Como sacar mais algum)

 

 

22/08/2014

 

Jonasnuts - FAQ Lei da cópia privada #pl118 (auto-link)

 

Mama que é de graça - Lei da cópia privada - O roubo...

 

O mundo maravilhoso do som analógico - Em sentido contrário

 

Pico da Vigia 2 - TAXA À TACHA

 

O Insurgente - O Extraordinário Cobrador

 

Wonderm00n - A lei da Cópia Privada para totós

 

Filipe Homem Fonseca - A despudorada Lei da Cópia Privada

 

Celso Martinho - Lei da cópia privada, versão 2014

 

Luís Soares - A cópia privada em sete pontos e uma coda

 

Os Comediantes - Go fuck yourself

 

Chatos do Demócrito - Lei da cópia pirata?

 

Descontos - A fotografia do cão passará a pagar direitos de autor ao Xico Garrafão

 

Aventar - Cópia privada

 

Portugal Glorioso - Qual é a estupidez do novo imposto sobre a “cópia privada”?

 

Amanhecer tardiamente - Aquele bicho estranho da nova lei da cópia privada (kékékéké-isso?)

 

Francisco Salgueiro - 10 razões que levam a que a lei da cópia privada seja totalmente idiota

 

Hugo Menino Aguiar - Lei da cópia privada

 

21/08/2014

 

Sonhos do tipo D - “Governo aprova taxa sobre telemóveis para remunerar direitos de autor”

 

(In)Transmissível - Sobre a proposta de lei da "Cópia Privada"

 

Autoridades - Voltaram os Piratas ao Parlamento

 

Blogtailors - Governo aprova legislação para proteger direitos de autor e conexos

 

There's no such thing as too much cheese - Uma acusação infundada. A lei da cópia privada

 

Bussolaavariada - Tributa-me o giga pf!

 

Portugal dos pequeninos - E ele foi copiado de onde?

 

Ideias a monte - Lei da Cópia Privada - Um imposto inventado para roubar a população.

 

31 da Armada - chamem o Xavier

 

31 da Armada - ainda a Lei da Copia Privada

 

31 da Armada - é sério? mesmo?

 

Contrafactos&Argumentos - Qual #pl118 ou #pl283? AT vai olhar para direito de autor...

 

Aventar - Chamam-lhe a nova lei da cópia privada, eu chamo-lhe a lei da extorsão (acho que faz mais sentido)

 

Movimento Partido Pirata Português - Taxas para Tachos

 

Der Terrorist - De um país de poetas tesos a um país de fotógrafos. Remunerados

 

Aventar - As Sacanices

 

Biovolts - Governo aprova lei da cópia privada, agora somos todos piratas

 

Planeta Soares - A lei da cópia privada

 

Sérgio Carvalho - Lei

 

Aberto até de madrugada - PL118 regressa como PL283 para taxar todos os bytes a favor dos "autores" 

 

O Insurgente - Extorsão feita taxa

 

20/08/2014

 

Blasfémias - A Cópia Privada Volta a Atacar

 

Estado Sentido -Da moderna arte de furtar

 

Os Comediantes - Asco

 

19/08/2014

 

Blasfémias - O Projecto de Lei sobre a «cópia privada»

 

Jonasnuts - A lei da cópia privada já não está em segredo - #pl118 (auto-link)

 

With Myself - má-língua cinzenta 1037.0

 

18/08/2014

 

Blog Diário Jurídico - Lei da Cópia Privada - em preparação alegadamente sem discussão

 

With Myself - só à chapada 006

 

Portugal dos pequeninos - As "reformas estruturais"

 

Jonasnuts - É fazer as contas - #pl118 (auto-link)

 

15/08/2014

 

Jonasnuts - Dúvida sobre a "consulta aos sectores directamente envolvidos" acerca da lei da cópia privada #pl118 (auto-link)

 

 

14/08/2014

 

Jonasnuts - Novidades sobre a lei da cópia privada #pl118 (auto-link) 

 

10/08/2014

 

Que treta - Treta da semana (passada): novamente a taxa.

 

 

08/08/2014

 

A Esquina do Rio - ISTO ANDA TUDO LIGADO

 

 

05/08/2014

 

Poupar Melhor - Taxa de Cópia Privada???

 

04/08/2014

 

Ironia D'Estado - Governo português adia taxa para telemóveis e tablets

 

IT Channel - Direitos de autor na era digital – taxar ou não taxar?

 

Associação Ensino Livre - AEL questiona SEC sobre a Proposta de Lei da Cópia Privada

 

02/08/2014

 

Fu-bar - “NIGHT OF THE RACKETEERING TAX” #PL118 REGRESSA QUAL FIME FOLEIRO DE ZOMBIES

 

01/08/2014

 

O Insurgente - Taxar telemóveis promove enriquecimento ilegítimo de alguns autores

 

Ouve-se - Resposta do Gabinete do Secretário de Estado da Cultura – #pl118

 

31/07/2014

 

Ouve-se - Carta aberta ao Secretário de Estado da Cultura – #pl118

 

2 Dedos de Conversa - Lei da cópia privada

 

30/07/2014

 

Digital Age - A famosa lei da cópia privada. A minha opinião

 

Portugal do Pequeninos - Da malandrice

 

Os Comediantes - Água mole em pedra dura

 

Tudo mudou novamente - Os Lunáticos Estão de Volta com a Lei da Cópia Privada II

 

Blogtailors - Cobrança de direitos de autor em suportes digitais «é um avanço tardio», diz a SPA

 

Edições pqp - Proposta de lei sobre cópia privada é "inoportuna e ilegal"

 

Jonasnuts - Caro Jorge Barreto Xavier (auto-link)

 

O que é o jantar? - #pl118, a lei da cópia privada, episódio 3

 

Blasfémias - Esclarecendo a taxa na compra da pen

 

Blasfémias -  Alguém me sabe explicar?

 

Aberto até de madrugada - Fantasma da PL118 ainda resiste

 

Jonasnuts - Lei da cópia privada, B, A, Bá. (auto-link)

  

Pechanense - Alguém me explica, sff?

Autoria e outros dados (tags, etc)

O meu francês já não é o que era (aliás, nunca foi), mas ainda chega para as encomendas. Isso, aliado ao facto de eu ser super fanzoca de Barbra Streisand (sou mesmo), mais o post que escrevi há bocado (auto-link), fazem-me transcrever aqui um post que já só está disponível nos web archives.

 

 

 

"Le Cap-Ferret est peut-être le Paradis, mais force est de constater qu’il y est un lieu, autrefois charmant, qui n’évoque plus guère ni le jardin d’Eden ni celui d’Épicure : le petit restaurant Il Giardino, spécialisé dans les pizza (mais pas que !) comme son nom italianisant le laisse présumer, et où nous avions l’habitude de nous rendre une ou deux fois par an. Cette année, ne dérogeant pas à cette tradition désormais ancrée dans le déroulement de nos vacances, nous y allâmes dîner.

 

Comme le titre de cet article le laisse présager, nous fûmes déçus. Pour plus de commodités, je vais laisser là le passé simple pour vous narrer cette aventure qui ne manque pas de piquant, mais qui par contre laisse désirer côté apéro et amabilité.

 

Lorsque nous sommes arrivés, un premier serveur nous a demandé, logiquement, si nous désirions manger en terrasse ou à l’extérieur, et comme il y avait pas mal de vent, nous avons opté pour l’intérieur, et sommes donc allés nous installer à une table. Immédiatement, une harpie en gilet fluo nous saute sur le paletot pour nous houspiller de nous installer sans autorisation (alors que, et d’une, nous en avions une, d’autorisation, et de deux… j’aime pas trop me faire engueuler par les serveurs, en général — par personne, du reste, mais encore moins lorsque je suis le client). Bref, ça ne commence pas très bien, mais le malentendu levé, elle nous file les menus. Et la, première erreur fatale dont découlera tout le reste : elle ne nous demande pas, comme c’est la coutume, si nous désirons un apéritif. Or, un apéritif, nous en désirions un (comme très peu de clients manifestement, mais enfin, c’est bien notre droit tout de même). Arrive une deuxième serveuse, qui prend notre commande, mais ne nous demande toujours pas si nous désirions l’apéritif (logique : sa collègue était supposée l’avoir fait), que nous sommes donc obligés de réclamer (nous y tenions).

 

Dix minutes passent, et toujours pas l’ombre ni de notre apéritif, ni de notre bouteille de vin d’ailleurs. Alors qu’immédiatement après avoir pris notre commande, la deuxième serveuse aurait dû nous le préparer et nous le servir : le principe de l’apéritif, c’est de permettre d’attendre sagement son plat. Enfin, il me semble. Donc je hèle un troisième serveur (nous reviendrons plus bas à cette question épineuse de l’enchaînement des serveurs) et lui dis (aimablement !) que ça serait bien de nous servir l’apéro, parce que sinon, nos plats vont arriver avant lui. Et bingo, alors que serveur n°3 nous apporte (enfin ! Nous commencions à nous dessécher) nos tant désirés apéritifs (sans cacahuètes. Fut une époque lointaine, dans ce restaurant, on nous donnait des cacahuètes avec l’apéritif. Ailleurs, on nous donne même des vraies tapas pour pas plus cher. Ta Panta Rei), nos plats arrivent avec serveuse n°1. Plats que nous renvoyons parce que zut, du coup nous n’en sommes qu’à l’apéro (par leur faute) et que le pastis accompagne mal l’entrecôte-frites. La serveuse bougonne.

 

Et ça continue. Alors que nous buvions, arrive la patronne, peu aimable malgré ce qu’elle voudra bien affirmer (à côté, les serveurs du café Marly méritent la palme d’or de la courtoisie), vient nous dire de nous signaler quand nous voudrons nos plats, parce qu’ils viennent déjà de jeter une entrecôte et que si ça doit durer 1/2 heure notre histoire, ça serait bien de le dire. Nous essayons donc de lui expliquer notre souci, et de lui faire remarquer ce qui, pour nous et depuis de nombreuses années, est la source du problème dans nombre de restaurants : que les serveurs n’ont plus de tables attitrées et qu’ils vadrouillent au gré du vent, ce qui fait qu’il n’y a plus aucun ordre et que règne la désorganisation la plus totale. Mais là, elle a une excuse (et là, je vous jure que je n’invente rien) : elle ne peut pas faire bosser ses serveurs plus de 44h et il faut qu’elle leur donne des jours de repos, alors comprenez mes braves gens, ça lui ferait trop de personnel à payer.

 

Stop ! Quoi ? Elle n’a pas le droit de faire bosser ses employés 24/24 7/7 ? Mais franchement, où va le monde !

 

Bref. On nous apporte notre vin (froid !) et nos plats, réclamés deux fois. L’entrecôte était nouvelle, ok, ce qui n’était pas le cas des pizza, sèche sur les bords. Bon. Nous prenons, quand même, un dessert (ce que n’ont pas fait les gens de la table d’à côté, partis en jurant qu’ils ne reviendraient pas). Bon, ok, les boules de glace étaient grosses. Mais bon.

 

Ma maman va payer, et essaie de revenir sur l’incident, et se fait envoyer paître par une patronne toujours aussi mal embouchée et dédaigneuse. Et elle a payé les apéros, source du conflit, alors qu’il est d’usage, dans la restauration, de les offrir aux clients lorsqu’il y a un souci (vu la marge qu’il se font dessus, ils peuvent se le permettre).

 

Conclusion ? Un restaurant où nous n’irons plus parce que la patronne se prend pour une diva (alors que, sérieusement, elle n’est pas la propriétaire de Chez Hortense, non plus), l’une des serveuses serait bien inspirée de ne jamais bosser à Londres parce qu’elle ne risque pas de pouvoir vivre de ses pourboires, et on se fout du client et le sens du commerce est plus qu’approximatif. Je vous engage à le noter dans votre liste noire si vous passez dans le coin !

 

(tout ça pour deux apéritifs… à quoi tiennent les guerres)

Il Giardino
71 Bd de la plage
Cap-Ferret"

 

Mais informações sobre este caso aqui e aqui.

 

O blog onde o texto foi escrito originalmente (e onde já não se encontra) pode ser visto aqui.

 

Obviamente, os senhores do Il Giardino estão a levar porrada, forte e feio, em tudo o que é lado, e espera-se que continue desta forma.

Autoria e outros dados (tags, etc)

10 anos

por jonasnuts, em 04.11.13

 

Há 10 anos e qualquer coisa, num corredor do SAPO, o Dr. Baldino (sem link porque ele não gosta) disse-me assim: Óh Maria João (das poucas pessoas que não me trata por Jonas), Ó Maria João..... isto dos Blogs é um fenómeno muito interessante, e nós devíamos ter uma plataforma de Blogs. Trate lá disso.

 

Esta foi a especificação inicial. 

 

Eu argumentei. Ó Dr. Baldino, isso dos Blogs é uma treta, isso não são mais do que homepages, com uns perlimpimpins (não estava desprovida de razão, tecnicamente falando). 

 

Bottom line, manda quem pode, obedece quem deve. E eu obedeci.

 

Por motivos que agora não interessam para nada (mas que eu não esqueço), optámos por uma plataforma tecnológica tenebrosa, o Movable Type (na altura também não havia muito mais escolha), e, faz hoje dez anos, lançávamos os Blogs do SAPO.

 

São, no SAPO, um dos meus projectos de vida profissional.

 

Dei muito aos Blogs, e os Blogs deram-me muito a mim (quer pessoal quer profissionalmente).

 

Hoje, noutro projecto, tento desligar-me, cortar o cordão umbilical, sei que estão bem entregues, os Blogs do SAPO. Mas é difícil.

 

Não é todos os dias que um filho faz 10 anos.

 

Parabéns, Blogs do SAPO :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicidade nos Blogs - Take 5

por jonasnuts, em 25.06.13

Como o título do post indicia, já falei deste tema aqui, aqui, aqui e aqui (tudo auto-links).

 

É um tema que me interessa, quer como ex-publicitária, quer como crente na teoria de que a publicidade no long tail é um dos caminhos, quer como autora de um blog quer, ainda, como ex-responsável por uma plataforma de Blogs (esta, a do SAPO).

 

Quase sempre que escrevo um post deste género é porque recebi um mail. Hoje não é excepção.

 

Não vou repetir o que já escrevi nos posts anteriores. Mas continua a surpreender-me a falta de senso comum e de know how demonstrado por pessoas que se dizem especialistas na matéria.

 

Esta malta deve achar que um bom community manager, é aquele que consegue escrever para um maior número de pessoas, parecendo que fala em exclusivo com cada uma dessas pessoas.

 

Não é isso, gerir uma comunidade. Gerir uma comunidade é conhecê-la, e antes de geri-la, há que criá-la, que elas não nascem, normalmente, de forma espontânea (embora possa acontecer).

 

Neste caso em específico..... acho piada que entrem a matar, pedindo o tráfego do Blog para verem que campanhas é que se adequam. Não perguntam se estou interessada ou se nem por isso. Dá cá os dados de tráfego, que a gente logo vê se isso nos serve, ou não.

 

Claro que percebo, mas não é isso que lá diz, que a quantidade é importante e que se o blog não tem tráfego suficiente (e este, clara e felizmente, não tem) não interessa. O que lá diz é, mande-me os dados de tráfego, para vermos o que é que se adequa. Ora..... o que se adequa é temático, não é numérico. Eu posso ter 100.000 visitas por dia (e não tenho), falando exclusivamente de ovos (para referir um tema recente), mas essas 100.000 visitas de nada servirão, a uma campanha que esteja a promover bicicletas. Lá está.... é preciso conhecer a comunidade de que dizem ser managers.

 

E, por último..... os beijinhos.

 

Quer dizer...... nem sequer um Olá Jonas, ou um Olá Maria João. Um texto que claramente indica ser generalista (blog/plataforma). E no final..... beijinhos.

 

Ah, faltou-me o detalhe mais delicioso...... o "sempre em consonância com o mundo da blogosfera". O que raio é consonância com o mundo da blogosfera? E.... que blogosfera? Qual delas?

 

A sério..... anda aí gente a trabalhar nesta área sem fazer a mais pálida ideia de como é que se fazem, realmente, as coisas.

 

E tanta gente boa no desemprego.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Exercício

por jonasnuts, em 29.12.12

Deu-me para fazer isto, nesta pequena pausa que chamei de férias, mas que de férias tem muito pouco, ler um blog. Um blog que nunca tinha lido antes. O meu.

 

Fui ao princípio, e li todos os posts. Muito erro dactilográfico, mulher, foi a primeira coisa que me ocorreu. Muito post enigmático, que deve ter tido imenso significado quando foi escrito, mas que hoje não sei a que é que se refere. Saltei algumas partes, a da ensitel e a do pl118. Muita promessa por cumprir, ah e tal, falo disto depois, e depois não falo nada. Nota-se uma certa reverência para com alguns blogs, pelo menos em 2007 e 2008, depois perdi a vergonha. Há temas recorrentes, o da escola do puto, o das férias do puto, o do material escolar e o Glorioso, claro. Muito falo eu de Blogs, quer em específico quer em geral. Digo mal do Twitter, digo que não percebo para que serve aquela merda.

 

Há 2 ou 3 posts que valem a pena, para mim, claro, e há uma meia dúzia que é divertida. Mas espremidinho espremidinho, é apenas e só um blog pessoal, pouco pretensioso, às vezes arrogante, às vezes palerma, às vezes generoso. Falo demais de trabalho. Faço demasiados disclaimers. Não tenho um about. Prometi (ameacei?) várias vezes que mudava de template, e aqui está o Blog, com o mesmo template com que comecei (mais coisa menos coisa).

 

Nota-se que não releio os posts antes de os publicar e que, muitas vezes não passo o corrector ortográfico.

 

Não foi um exercício narcisista, foi um exercício crítico. O Blog já tem tempo suficiente para me distanciar e ler como se fosse outra pessoa a escrever. Quase.

 

Preciso de linkar mais as coisas acerca das quais escrevo, senão, os posts enigmáticos ficarão enigmáticos para sempre. Preciso de correr sempre o corrector ortográfico. Preciso de escrever mais. Nota-se que quando escrevia mais a qualidade da escrita melhorava (enfim, o possível, pelo menos).

 

Fica a promessa (ameaça?), neste ano que agora aí vem, se tiver tempo, mudo o template, coloco um about e escrevo mais.

 

Mas foi um exercício giro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alegadamente Streisand

por jonasnuts, em 02.07.12

Acho que o título do post é explicativo, mas a história conta-se em meia dúzia de linhas (e já há quem o tenha feito muitíssimo bem). Mas, lá está, para que o efeito Streisand se complete, the more the merrier.

 

No Blog Poupar Melhor foi escrito um post, nos idos de Novembro do ano passado um post inócuo, com a opinião (e links a fundamentar essa opinião), sobre um determinado "dispositivo que poupa combustível". O post não recebeu qualquer atenção, e teve meia dúzia de visitas.

 

Pois que a coisa começa a dar para o torto quando alguém, associado à marca, descobre o post, e (ab)usa os comentários para defender o seu produto. Até aí, nada contra, acho muito bem que as marcas intervenham e participem e apresentem os seus argumentos. Mas a coisa descambou com o(s) senhor(es) que alegadamente representava a marca (ou participava em nome da dita cuja) a optarem por um registo muito pouco cordial, quando perceberam que os autores do Blog não iriam mudar de opinião por dá cá aquela palha. E surgiram os mimos “você é Burro, só Teimoso oe tambem é tudo junto e Casmurro”. Ora, quando uma marca alegadamente trata assim uma pessoa, vê-se logo que o caldo está mais do que entornado.

 

Daí até o alojamento do blog ter sido contactado, foi rápido, e apesar dos donos do Blog terem retirado a imagem que parecia ser a razão de incómodo dos senhores (foi o que alegaram no pedido que enviaram ao responsável pelos servidores que alojam o Blog). Mas nem mesmo assim os senhores ficaram satisfeitos e os problemas persistem.

 

Encanita-me um bocadinho, que as marcas não respeitem a opinião das pessoas. Encanita-me por motivos pessoais e por motivos sociais. Encanita-me mais ainda que as marcas sejam suficientemente burras, alegadamente, claro, para não terem ainda percebido que quanto mais espadanarem de forma abusiva, pior é. Um post que teria passado relativamente despercebido, ganha uma relevância e uma amplificação que, se tivessem ficado quietinhos, nunca aconteceria.

 

Faz-me lembrar um episódio que se passou comigo há uns anos, aqui neste Blog. Enfim, os que acompanham há mais tempo estarão recordados. Este Blog recebe meia dúzia de visitas, e de repente, durante o período duma semana....... a coisa disparou.

 

 

Vamos ver no que dá, tenho sempre muita curiosidade acerca destes temas.

 

Sei que a coisa já está a chamar a atenção, e ainda bem.

 

Os mais curiosos podem espreitar aqui e aqui.

 

E para os realmente curiosos, dando-se o caso do post original desaparecer da origem, aqui fica ele, devidamente linkado

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sempre que vejo as palavras "providência cautelar" e "blogs"  na mesma frase, os meus alarmes disparam. É raro, felizmente.

 

Sei, por experiência própria, o que é receber uma providência cautelar, no âmbito do que se escreveu, embora no caso dos Precários Inflexíveis não seja bem o caso, na medida em que a providência cautelar incide sobre o que foi escrito nos comentários do Blog, e não no Blog.

 

A história conta-se duma penada. Em Maio de 2011 (portanto, há mais de 1 ano), no Blog Precários Inflexíveis, foi escrito um post sobre uma empresa. Os comentários ao post sucederam-se. A empresa descobriu, não gostou do que leu, e intentou uma providência cautelar, para que os comentários fossem suspensos ou ocultados, e o tribunal deu razão ao queixoso.

 

Há aqui 2 questões importantes que eu aprendi à minha custa.

 

Porque é que o tribunal não mandou apagar os comentários? Porque se trata duma providência cautelar. O objectivo destas acções é, pura e simplesmente impedir a continuidade do dano. Garantir que até à conclusão da acção principal (já lá vamos) o dano não continua a ser cometido. Isto porque uma providência cautelar implica, obrigatoriamente, a existência duma acção principal, subsequente, em que o queixoso explica que leis é que acha que estão a ser violadas. É na sequência desta acção principal que, dependendo do resultado, os tais comentários são removidos (se o tribunal der razão ao queixoso), sendo também identificadas outras penas (multas, indemnizações, etc....), ou são de novo expostos (caso o tribunal, na sequência dessa acção principal venha a dar razão aos donos do Blog).

 

Outra questão importante é o direito ao bom nome. Eu estava convencida (e errada), de que o facto de eu dizer a verdade (que era o que acontecia nos posts da minha novela) me protegia contra processos por difamação. Se é verdade, não é difamação, certo? Errado. Pode ser verdade e, em simultâneo, difamatório. É algo que continuo a achar muito estranho, mas a verdade é que é o que a lei diz.

 

Outra questão que, não sendo importante, é interessante, é saber contra quem vai ser interposta a acção principal. Ao dono do Blog? Ou aos autores dos comentários que agora mandaram suspender? Porque, o autor do Blog não pode ser responsabilizado pelo que é escrito por terceiros. Pode suspender? Pode sim senhor, tecnicamente falando. Se o tribunal mandou suspender, na minha opinião, deve suspender (não sei se tem essa possibilidade técnica, mas pode apagá-los), mas apenas porque o pode fazer, e porque os comentários estão feitos num site de que é gestor e porque o tribunal mandou.

 

Mas pode ser responsabilizado? Não. A tal da empresa agora, na obrigação de dar andamento a uma acção principal (está obrigada, por via da providência cautelar), tem de pôr um processo a cada um dos autores dos comentários considerados difamatórios, pois são esses autores os responsáveis pelo que lá está escrito, e não o autor do Blog. O autor do Blog só pode ser responsabilizado por aquilo que escreveu, não por aquilo que escreveram terceiros.

 

Mas, e eu não sou jurista, nem andei em direito, nem percebo nada do assunto a não ser aquilo que aprendi e estudei a título pessoa (a necessidade aguça o engenho), a acção principal não tem de ser contra a mesma pessoa contra quem foi interposta a providência cautelar? Não sei (mas cheira-me que vou saber).

 

Este tema é tão interessante que, para além de me manter atenta, vou publicar aqui a sentença da providência cautelar (assim que saiba se é pública ou não), para memória futura.

 

Boa sorte para o autor (ou autores) do Blog. Independentemente do resultado, sei que não é fácil estar no lugar deles. Nem fácil nem barato.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Reuniões informais

por jonasnuts, em 29.05.11

Sou uma pessoa muito informal. Sou anormalmente informal, quer na minha vida pessoal, quer na minha vida profissional, que felizmente trabalho num sítio onde são permitidos estes informalismos (não confundir com bandalheira).

 

Mas, mesmo numa empresa informal, a minha informalidade é acima da média. Tão acima da média que quem passa e vê uma reunião dos Blogs do SAPO, acha melhor fotografar a coisa. Desta vez foi a Helena (que é a a Presidente do SAPO).

 

E sim, isto é mesmo uma reunião dos Blogs do SAPO.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Para os mais curiosos e porque obtive autorização da autora desta mensagem para o fazer, a empresa que me contactou, na pessoa da Ana, foi a Lelo, uma marca sueca de produtos eróticos de luxo. Para os mais curiosos ainda, o produto específico que me foi sugerido, foi o MIA.

 

Aprendam como se faz, anunciantes portugueses.

Autoria e outros dados (tags, etc)





subscrever feeds


Arquivo