Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jonasnuts

É impossível não gostar de Saramago

Bom, eu sei que não é impossível, aliás, há bem pouco tempo apercebi-me mesmo de que, para muitos, é extraordinariamente fácil não gostar de Saramago, mas eu gosto, pronto, e este Blog é meu e portanto, aqui, é impossível não gostar de Saramago.

 

E isto a propósito do post que fez no seu Caderno, sobre a brincadeira do 31.

 

As duas primeiras frases matam-me de rir (ia dizer "o primeiro parágrafo, mas depois lembrei-me que ia referir Saramago e optei pelo "as duas primeiras frases".

 

Que me perdoem os meus amigos monárquicos, mas isto, meus senhores, é humor de pontaria:

 

"O rei assim é o sr. D. Duarte de Bragança, pessoa medianamente instruída graças aos preceptores que lhe puseram logo à nascença, mas que, não obstante, detesta a literatura em geral e o que escrevo em particular, primeiramente porque considera que no Memorial do Convento lhe insultei a família e em segundo lugar porque a dita obra é, de acordo com o seu requintado linguajar de pretendente ao trono, uma “grande merda”. Não leu o livro, mas é evidente que o cheirou."

 

O resto aqui.

Um dos Blogs da minha vida

Não sei se já repararam, mas a minha lista de links é parca. O Blog do meu Namorado, o Vida de Casado (que foi o responsável directo pela existência deste Blog) e o Bitaites (que dispensa explicações). Não tenho mais, não porque não gostasse de ter por ali algumas coisitas que vou lendo, mas porque tendo em conta a minha profissão provavelmente algumas comadres acusariam o toque de não estarem por ali. E daí talvez não, talvez esteja a dar-me mais importância do que a que realmente tenho. Enfim. Estão ali os que eu quero que estejam e um dia destes ponho ali mais um ou outro. Para já estão estes e estão muito bem. Vou escrever sobre um dos Blogs da minha vida que, curiosamente, não é nenhum dos que referi ali em cima.

 

 

 

Faz hoje 2 anos, foi lançado o 31 da Armada. Um Blog de direita. Um Blog daquela Blogosfera mais elitista.

 

Quando me falaram pela primeira vez do 31 da Armada, o Miguel (sem link, que o rafeiro apesar de trabalhar comigo no SAPO não tem Blog), dizia eu que quando o Miguel me falou do 31 eu torci o nariz. Burra. Meio a contragosto lá marquei uma reunião (eu não gosto de reuniões, foi um almoço) com um Rodrigo Moita de Deus. Um beto. De direita. De gravata. De Deus. Tudo me afastava do Rodrigo à excepção do excelente e requintado bom gosto clubístico.

 

Fomos almoçar. Diverti-me, surpreendentemente. O Blog lá foi lançado e, à semelhança do que acontece com MUITOS dos Blogs que estão na plataforma de Blogs do SAPO comecei a segui-lo. Primeiro por obrigação profissional, depois curiosa, depois surpreendida, depois rendida.

 

Não me rendi ideologicamente falando, obviamente. Mas rendi-me.

 

O 31 contribuiu para limpar a minha cabeça cheia de teias de aranha lá colocadas cirurgicamente por anos de educação e formação familiares na esquerda pura e dura (teias essas que a idade já se deveria ter encarregue de limpar, é um facto). Dei por mim a pensar, epá, afinal esta malta de direita (malta e direita eram duas palavras que não se juntavam na mesma frase, quem é malta não é de direita), perdi-me.... ah..... afinal esta malta de direita está enganada, mas é divertida, inteligente, acutilante e, às vezes, até acertam numas coisas.

 

Hoje acompanho o 31 por gosto. Segui-lo-ia mesmo que mudasse de poiso (vade retro).

 

Por tudo isto, e porque hoje faz 2 anos, e porque, também hoje chegaram aos 2 milhões de pageviews:

 

Parabéns 31. Contra tudo o que eu poderia esperar, vocês são um dos blogs da minha vida. Obrigada por isso.

 

Pesquisar

No twitter


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D