Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



No meu post anterior (auto-link) falei do chico-esperto Rogério Gomes, e da novela de sábado de manhã.

 

Mas induzi-vos em erro. Disse eu que o senhor tinha apagado o post e bloqueado quem lá foi comentar.

 

Não é verdade. Quer dizer, ele bloqueou a malta que fez a festarola, mas não apagou o post.

 

E como é que tu sabes disso, Jonas Maria?

 

Sei disso porque o senhor além de ser chico-esperto, ou é burro, ou tem a memória de um peixinho de aquário e no dia em que bloqueia uma M João Nogueira (que sou eu), pede amizade a uma Ana Nogueira.

 

Sim, Nogueiras há muitas, mas esta calha ser minha irmã, que me liga a dizer que o senhor, de quem ela nunca tinha ouvido falar a não ser no meu post, lhe tenha ido pedir amizade. Aproveitou ainda para dizer que eu sou uma besta, porque desanco as pessoas, porque se calhar o rapaz é tímido, porque nós fomos agressivos nos comentários e não lhe deixámos outra opção senão a do bloqueio, porque....... enfim, o costume.

 

E depois aprofundou o mural do senhor.

 

Começou logo por dizer que não, que o post em causa não tinha sido removido e que lá estava, sem quaisquer créditos ou correcções, apenas com os comentários da festarola apagados.

 

Depois começou a parte divertida. O caramelo é daqueles que faz like aos próprios posts. Espera...... não é aos próprios posts, porque os posts não são dele. Enfim, ao menos coerência.

 

E depois fez uma experiência. Foi ver outros posts. 

 

E é aqui que tenho uma péssima notícia para dar à Helena. Ela não é caso único. 

 

Dos outros 4 posts que a minha irmã viu, era TODOS plagiados, sem qualquer referência à origem, ou crédito. Exactamente a mesma coisa, um parágrafo de introdução de autoria própria, e depois a continuação que é um copy paste sem qualquer alteração, de um post alheio.

 

As provas.

 

rogerio1.jpg

 

Que é tirado deste post do Jumento

 

 

rogerio2.jpg

Que é tirado deste post do Diário do Purgatório.

 

 

rogerio3.jpg

Que é tirado deste post da Pipoca mais Picante.

 

rogerio4.jpg

Que foi tirado deste post do Delito de Opinião.

 

Depois a minha irmã fartou-se de chafurdar em merda, e não fez mais pesquisas, mas o padrão está identificado. Entretanto o servicinho estava feito, o caramelo fez um post ordinário (provavelmente roubado a um blog rasca) e ela fartou-se e desamigou-o.

 

Portanto, o senhor anda nos blogs, cata o que lhe parece bem, copia no Facebook como sendo dele, e bane quem lá vai deixar comentários a chamar a atenção para o plágio.

 

Eu e a minha irmã acabámos a concordar. Não, o gajo não é tímido. É mesmo imbecil.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



18 comentários

Sem imagem de perfil

De Helena Araujo a 13.04.2016 às 13:01

Agora divirto-me eu mais um bocadinho:

http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/ah-e-tal-que-a-coisa-dos-reis-magos-e-8069748
(6.01.2016:
Ah e tal que esta coisa dos Reis Magos é sexista...
Pois, pois. Como se houvesse por aí muitas mulheres com o sentido de orientação necessário para irem atrás de uma estrela durante milhares de quilómetros até chegarem a uma gruta.)

https://lourencobray.wordpress.com/2015/11/16/bom-dia-5/
(4.01.2016:
Boa tarde...
Atropelei um pássaro no Alentejo, na A2. Uma recta gigante, o meu era o único carro num raio de quilómetros e o idiota foi mesmo passar à minha frente a rasar o asfalto. Ouvi um “poc” e pulverizou-se. Ficaram só umas penas e sangue na grelha frontal.
Desculpa pássaro. A sério. RIP.)

(http://diariodopurgatorio.com/carta-de-principios-para-o-novo-ano-530291?thread=2361715
2.01.2016:
Para 2016…
Diverte-te como se o fim do mundo fosse já amanhã. Protege os fracos, enfrenta os fortes. Pensa com a tua cabeça, e sobretudo com o coração. Marimba-te para o que os outros acham de ti, excepção feita aos que te são queridos. Dá o que te for possível e dá sobretudo amor.
Não te resignes, luta contra que o achas errado. Sê justo, leal, frontal, mesmo que isso te possa trazer dissabores. Ama até que o peito se fique gasto, cansado, mas esplendorosamente feliz. Perdoa sempre que puderes, o rancor gasta mais energia.
Abraça um estranho. Bate palmas a um músico de rua. Sorri, mesmo quando o lógico seria chorar. Um novo ano é metaforicamente um renascimento. Aproveita-o, renasce, vive. Tu mereces.
Para todos, feliz 2016.)

Imagem de perfil

De jonasnuts a 13.04.2016 às 13:04

Mas como é que lá chegaste?
Sem imagem de perfil

De Helena Araujo a 13.04.2016 às 14:19

hehehehe
O ilusionista nunca conta os seus truques. ;)
Sem imagem de perfil

De Rui Cruz a 13.04.2016 às 13:06

Esqueceste-te de dizer uma coisa positiva do senhor: visita bons sites.

R.
Imagem de perfil

De Descontos a 13.04.2016 às 17:57

Chicos-espertos há muitos. Por exemplo, há um blog que faz copy past dos meus posts e é tão esperto que os links para as minhas imagens aparecem todas no meu mural de "reacções".
Imagem de perfil

De Descontos a 13.04.2016 às 17:58

Correcção. Um utilizador, porque ele/a copia para vários blogs.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 13.04.2016 às 18:01

Opá...... mas então...... tu tens uma ferramenta fabulosa. Tens um espaço premium nos posts dele. Muda a imagem, mas mantém o url da imagem..... com a mensagem que quiserem. Outra imagem, mesmo endereço :)
Imagem de perfil

De Descontos a 14.04.2016 às 06:58

LoL
eu gosto de como a tua mente funciona ;)
Vou já ver como fazer isso.
Imagem de perfil

De Descontos a 14.04.2016 às 07:24

Afinal não era um link para as minhas imagens, mas para outros auto-links, quando remeto para os respectivos vales de desconto.
Aliás, já reparei que depois de a/o ter avisado há uns meses, passou a tirar o sinal do euro e as já só replica as imagens sem logotipo. Mas faz copy past integral na mesma.
Há chicos-espertos cheios de espertezas saloias.

De qualquer modo, muito obrigada pela dica.
Imagem de perfil

De Bad Girl a 14.04.2016 às 11:21

Em cima disso, ainda é gajo que faz like nos próprios posts. Ah, espera, não são próprios...
Sem imagem de perfil

De AB a 14.04.2016 às 22:02

Jonas, em primeiro lugar, ainda bem que está de volta.
Vou falar de algo sem relação com o que está a ser discutido e peço desculpas. Acontece que você se mexe bem nas redes sociais e eu não.
Acha que seria boa idéia fazer uma petição pública para termos um único número de identificação perante o estado? Temos o de identidade, de contribuinte fiscal, de contribuinte da SS, de beneficiário, de utente do SNS, de eleitor, de condutor, e provavelmente outros.
Para mim isso não faz muito sentido, penso que bastaria um.
O que acha?
Abraço.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 15.04.2016 às 17:33

Bom.....eu não adoro a ideia de um número único :)
Já não gosto da ideia dos vários números concentrados num único sítio (o cartão de cidadão), quanto mais ser tudo o mesmo número.
(Privacidade, segurança, identidade, liberdade).

Mas, respondendo directamente à questão, não me parece que as redes sociais sejam a melhor estratégia. Na minha opinião, a melhor estratégia passa por encontrar um partido que esteja sensível a essa questão, e ir por aí.

As petições públicas, da minha experiência pessoal, não servem para nada, a não ser para criar visibilidade, e para isso é preciso que tenha mesmo muitas assinaturas. Mesmo levadas às últimas consequências (Assembleia da República), e dando uma trabalheira desgraçada e consumindo imensos recursos (tempo, disponibilidade, etc....), chega-se lá e bate-se com os burros na água.

Por último......do ponto de vista prático e operacional...... estamos a falar de sistemas individuais, provavelmente cada um assentando em estruturas muito diferentes e em tecnologias díspares. Centralizar tudo (sob que tutela?) não seria. do ponto de vista operacional, tarefa fácil ou rápida, sem contar com os óbvios obstáculos que a Comissão Nacional de Protecção de Dados (e muito bem) levantaria.

Boa sorte? :)
Sem imagem de perfil

De AB a 15.04.2016 às 18:54

Bem, não tinha pensado nisso como cruzamento de dados ou centralização, o facto de ter o mesmo número de identificação, à partida, não autoriza o Fisco a ter acesso aos meus dados do SNS. E se esse acesso existir não é o facto de ser um nº diferente que o impede.
Mas já estou a ver onde é que uma idéia assim podia descambar. Ou onde já descambou, não sei se face ao Estado ainda nos resta alguma privacidade, com mais ou menos números.
Obrigado, e um abraço.
Sem imagem de perfil

De ana a 18.04.2016 às 16:49

Na Suécia há só um número e funciona bem, mas por lá não têm grandes pruridos relativamente a privacidade - o que me dava sérias comichões quando por lá andava.

Na altura pesquisei umas coisas e já não me lembro bem como era, mas acho que está consagrado na nossa Constituição que nenhum cidadão poderá ser identificado por número único...

Acho muito bem, e mais não digo que me falta tempo e energia mental para escrever coisas sérias.

/ana
Sem imagem de perfil

De AB a 18.04.2016 às 23:42

Eu não estava a pensar em algo como tatuarem-nos um número à nascença, ou levarmos um chip como os cães. É que, mesmo tendo o Cartão de Cidadão quase todos os números que usamos perante o Estado, para mudar de morada é preciso ir a tantos sítios pedir tantas certidões, que chateia.
Mas haja privacidade e liberdade - a questão é: há?
Imagem de perfil

De jonasnuts a 19.04.2016 às 10:20

A questão não é essa, a questão é "queremos?". Pelo que tenho visto, lido, ouvido, as maioria das pessoas está-se borrifando :)
Sem imagem de perfil

De ana a 19.04.2016 às 13:08

"Prós e Contras da aplicação do Artº 35º da Constituição" aqui: http://www.apdsi.pt/uploads/news/id183/relato.pdf

/ana
Sem imagem de perfil

De AB a 20.04.2016 às 15:26

Antes de mais, obrigado pelo link e pelo seu tempo.
Pelo que depreendo, o problema não será o número único, mas os acessos que ele pode permitir. Suponho que seja possível implementar uma, ou mais que uma base de dados, com acessos condicionados. Um funcionário do Estado, por exemplo da AT, ao digitar o número único, teria de escolher a que valência vai aceder - SNS, AT, IMTT. Se não tiver acesso à valência SNS, porque não está autorizado a isso, não pode ir bisbilhotar o meu historial médico. A privacidade não seria beliscada.
Suponho que exista a possibilidade técnica de um departamento ter acesso aos dados comuns a todos e apenas esses. A morada, por exemplo. Todos os serviços do Estado precisam de ter a mesma, e actualizada. Deve ser possível alterar a morada a partir dum ponto central e ficar alterada em todas as bases de dados, sem que haja acesso aos outros conteúdos, por exemplo o historial médico.
É claro que estou apenas a falar da interacção com o Estado. Bancos, ginásios, lojas, operadoras móveis, todos os outros sítios onde temos dados e dos quais temos cartões, não têm de, nem devem entrar nisso.
E no entanto, note como a AT quer ter acesso ao nosso historial bancário, até ao acesso sem limites, automatizado, aos extractos mensais. Eu acho um abuso.
Sou cioso da minha privacidade. Evito preencher formulários, se, por exemplo, me perguntam o estado civil ou a idade, e vejo que não é importante. Não tenho cartões dos hipermercados ou das bombas de gasolina por isso mesmo.
Ana, Jonas, obrigado pelo feedback.
Abraço.

Comentar post






Arquivo