Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Há um ano

por jonasnuts, em 08.07.16

Rita da Nova 🔊-1.jpg

 

Faz precisamente hoje um ano.

 

O Antes

 

Por motivos que agora não interessam, vi-me envolvida na organização de uma acção do SAPO que sai um bocadinho da minha área. Tive de organizar uma sessão de staring contest (jogo do sério), entre pessoas conhecidas, para que fosse usado nas campanhas dos festivais de Verão.

 

aguenta.jpg

 

 

Eu conheço muitas pessoas conhecidas, mas prefiro sempre telefonar a pessoas de quem gosto e a quem acho piada ou por quem tenho admiração e respeito. 

 

Algumas pessoas já estavam apalavradas, e eu só tinha de convidar mais 3 ou 4. Lembrei-me do Guilherme Fonseca, porque já me tinha cruzado com ele no Inferno, lembrei-me do Guilherme Por Falar Noutra Coisa Duarte e lembrei-me da Rita da Nova, que leio há uns anos, quer no(s) Blog(s) quer no Instagram quer no Facebook.

 

Para além destes convidados, havia outros e era preciso emparelhar as pessoas, de forma a que o staring contest funcionasse. Tinha de haver química, para que a coisa tivesse piada. O objectivo era um vídeo curtinho, em que um deles, ajudado pelo comentador de serviço que mandava umas piadolas, se desmanchasse a rir.

 

No dia 8 de Julho, fomos para estúdio.

 

Tudo estava a correr bem com o staring contest. As pessoas chegavam, eram emparelhadas, falavam um bocadinho antes de começarmos a gravar, para aliviar o ambiente e depois punham-se uma à frente da outra. Uns demoravam mais que outros, mas o vídeo mais longo que tínhamos era de uns longos 5 minutos.

 

O Durante

 

O Guilherme Fonseca chegou, à hora marcada. Eu tinha pensado emparelhá-lo com a Rita da Nova. Mais ou menos da mesma idade, os dois giros que se fartam, os dois talentosos e, julgava eu, fartinhos de se conhecerem.

 

Nada. À minha afirmação "vais ficar com a Rita da Nova" recebo um "quem é a Rita da Nova?". Não queria acreditar. Nem ele (nem, de resto, todos os presentes) sabiam quem era a Rita da Nova. Estava chocada, eu. Burros.

 

O Guilherme estava com pressa, porque tinha um compromisso logo a seguir.

 

Recebo um telefonema, da portaria "está aqui uma senhora para si". Era a Rita. Lá fui eu buscá-la, à portaria. Aproveito para lhe dizer, "vais ficar com o Guilherme Fonseca". "Quem é o Guilherme Fonseca?". "Aquele, do canal Q, do Inferno, do Curto-Circuito". Nada, nem um vislumbre de reconhecimento. Não fazia ideia. 

 

Bom, estavam em igualdade de circunstâncias, ao menos.

 

Entramos no sítio das gravações e procedo às apresentações. Rita é o Guilherme, Guilherme é a Rita. "Tens noção que vais perder?" é a primeira coisa que o Guilherme diz. Olhei para a Rita e pensei com os meus botões "talvez te lixes, Guilherme, talvez te lixes".

 

Depois do quebrar o gelo, lá se sentaram à frente um do outro, com a mesa pelo meio, e deu-se início à gravação.

 

Estávamos a contar com um vídeo de, vá, 3 a 5 minutos.

 

O animador esforçou-se. Tinha conseguido, com êxito, desmanchar os anteriores concorrentes em tempo record (alguns em meros segundos), e estava confiante.

 

Guilherme e Rita impávidos e serenos. Nada os demovia. Sérios que metia dó.

 

Passaram 5, passaram 10, passaram 15, passaram 20. O animador olhava para mim, perguntando-me em silêncio "isto está mesmo a acontecer? O que é que eu faço?". "Continua, respondo-lhe eu, mentalmente". Passaram 30, passaram 40. O animador desiste. O resto da equipa também. Deixámos tudo a gravar e fomos beber café.

 

Regressados do café, mantinha-se o jogo. Nenhum dos dois dava o braço a torcer. Decidi intervir e tentar eu desmanchar a coisa, assim como assim o vídeo já teria de ser editado, cortava-se a minha voz na edição. Olhei para eles. Caiu-me a ficha e disse, "o vosso primeiro filho terá de se chamar Jonas se for um rapaz ou Mª João se for uma rapariga". Nem assim.

 

Passaram os 50 minutos, a hora, a equipa de filmagens já só queria terminar aquilo, que já era fim do dia. 1 hora e 10 minutos e eu chego à conclusão de que não sairão dali nunca. Nenhum deles alguma vez dará o braço a torcer. Nenhum deles capitulará.

 

Chego-me ao pé deles e explico "meninos, não podemos esperar mais, proponho levar-vos ali para uma sala de reuniões onde podem continuar a vossa cena, e nós prosseguimos com o nosso trabalho". Nada. Nem olham para mim. Ninguém quer desistir. "Temos que terminar, e eu declaro-vos um empate técnico, sem vencedores nem vencidos". 

 

Só assim é que consegui acabar com aquele namoro, que se prolongou, em silêncio, durante mais de uma hora.

 

 

O Depois

 

O Guilherme continuava atrasado para o seu compromisso, mas, estranha e curiosamente, não manifestava muita pressa para sair. A Rita, mais despachada, ainda teve pachorra para tirar uma foto para o Instagram do SAPO, e depois saiu.

 

Instagram.jpg

 

O Guilherme descansou por uns momentos, sentado numa cadeira, parecia que tinha levado um enxerto de porrada. Lá se recompôs e saiu, rumo ao compromisso para o qual estava agora irremediavelmente muito atrasado.

 

As pessoas que estavam no estúdio entreolharam-se e eu, desbocada, verbalizei o que toda a gente estava a pensar: "isto vai dar molho". 

 

Tive muita curiosidade acerca do desenrolar da coisa, mas fiquei quietinha, só à procura de pistas. A primeira chegou em forma de likes. A Rita postava qualquer coisa, em qualquer lado, mesmo no sítio mais obscuro, e lá estava um like do Guilherme. 

 

Desconfiei que alguma coisa se estava a passar quando vejo um post de um brunch, no mural do Guilherme, e desde aí tenho acompanhado à distância. Acho que nunca mais estive pessoalmente nem com a Rita nem com o Guilherme, depois de dia 8 de Julho de 2015. 

 

É óbvio que nada tenho a ver com o assunto, fui só um instrumento do acaso, mas é impossível não me sentir o pontapé de saída, o primeiro nó da trança. 

 

Dirão vocês, que sorte eles têm, porque o momento em que se conheceram está registado, em 1h10 de footage. Nope, têm azar, porque, por ser demasiado longo, o vídeo não foi aproveitado e foi irremediavelmente apagado (era MUITO pesado) de todos os sítios por onde andou. E se eu procurei por ele. É um dos meus desgostos.

 

Parabéns, meninos. Já sabem, ou Jonas ou Maria João :)

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



3 comentários

Sem imagem de perfil

De Camões a 08.07.2016 às 14:57

«Chegou-me ao pé deles e explico»

Acho que querias dizer "Chego-me"

#herrarÉumano :)
Imagem de perfil

De jonasnuts a 08.07.2016 às 18:28

Já está corrigido :) Obrigada.
Sem imagem de perfil

De Peixinho de Prata a 11.07.2016 às 15:18

Que história deliciosa! :)

Comentar post






Arquivo