Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo





Sei que és uma editora de livros em papel. Sei porque sou curiosa e atenta e até leio bastante (embora seja raro comprar livros em papel, nos dias que correm).

 

E escrevo-te esta missiva porque sei que o teu negócio está em crise, e que as editoras se queixam da queda das vendas, e da falta de leitores, e da falta de quem lhes compre livros.

 

Confesso que não sei se estás neste pacote, das editoras queixosas, mas presumo que sim.

 

E vem esta conversa a propósito de quê? Perguntarás (ou não).

 

Vem a propósito do último livro do João Magueijo. Bifes (ainda por cima) mal passados. O rapaz tem 3 livros publicados. O primeiro, e mais conhecido, é aquela coisa da velocidade variável da luz. Foi o que lhe trouxe alguma notoriedade na nossa comunicação social, aqui há uns anos. Não li. Pareceu-me ser demasiada areia para a minha camioneta de pouco amante da física, característica que me persegue desde que a Setoura Carepa entrou na minha vida, no 8º ano.

 

Tem um segundo livro, sobre o Majorana. Esse li e gostei.

 

Não é portanto de estranhar que, tendo visto um terceiro livro do rapaz em exposição na Fnac, eu me tenha aproximado, para aprofundar. Na contracapa li o resumo, que por sinal vocês têm disponível online:

"...João Magueijo é um estudioso do Cosmos, tendo sido um dos pioneiros da teoria da velocidade da luz variável. Está radicado no Reino Unido há mais de vinte anos, sendo actualmente Professor Catedrático no Imperial College, em Londres. Nas duas ocasiões em que foi à pesca apanhou um salmonete e uma piranha (um facto real, mas a melhor comédia é a que se passou mesmo, como mostra neste livro). Os seus livros Mais Rápido Que a Luz e O Grande Inquisidor estão publicados em Portugal pela Gradiva. "

 

E é aqui que a porca torce o rabo. Ora eu, que estou longe de ser especialista, sei que a teoria do João Magueijo é sobre a velocidade variável da luz, e vocês dizem que o rapaz é um pioneiro na teoria da velocidade da luz variável.

 

Das duas uma, ou vocês não conhecem o trabalho do autor que publicam, ou não sabem a diferença entre velocidade variável da luz e velocidade da luz variável. Ou ambas as duas. 

 

Em qualquer um dos casos, é grave.

 

Não comprei o livro (não compraria na Fnac, mas compraria noutro sítio).

 

Assim sendo, podem adicionar-me à coluna dos "deixaram de comprar livros". E a responsabilidade é toda vossa.

Ai Jonas, és uma fundamentalista, e por causa de um detalhe menor cais logo em cima dos desgraçados da Gradiva. Deixa lá isso e compra o livro do rapaz, que tu até queres ler, e não sejas radical. (sim, mãe). 

Pois que não. Se num detalhe tão básico e insignificante falham de forma tão clamorosa, o que é que me garante que não falhem noutras coisas mais importantes? Nada.

 

E numa side note, com o seu quê de cómico, adoro a descrição técnica da capa, disponível no site da Gradiva:

 

 

A sério? Não encontram outra forma de descrever um livro de capa mole? Tinha mesmo de ser brochado? Por mais que seja esse o nome técnico adoptado pela indústria a que pertencem, para as pessoas normais, brochado não é sinal de capa mole. 

Autoria e outros dados (tags, etc)



3 comentários

Sem imagem de perfil

De Luís Martins a 19.08.2014 às 18:33

Jonas,

Eu, que nunca vi o livro em causa, estou capaz de deixar passar esse erro da Gradiva porque eles já fizeram muita coisa certa.

É assim como quando um amigo faz algo de que não gostamos. Ralhamos com ele mas continuamos amigos.

Não deixes de comprar livros, se te apetecer.
;-)
Imagem de perfil

De jonasnuts a 19.08.2014 às 19:23

ok, e o brochado, como é que se dá a volta ao brochado, pelo amor de deus :)
Sem imagem de perfil

De sergie a 06.09.2014 às 02:00

Não entendo qual é o problema do brochado. No contexto do livro, só se forem os miúdos do 7º ano a rirem-se. De resto todos sabem o que quer dizer e a Gradiva está longe de ser a única a usar o termo. Até nas universidades se usa.
Ver mal nisso é um pouco à try hard.

Comentar post






Arquivo