Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Tardou, o facto do Palácio Güell estar fechado para obras, não ajudou.

Mas hoje visitámos a Casa Batlló, e vimos a Pedreira por fora (bicha demasiado grande, bateria da máquina demasiado descarregada).

Parece que se convenceu. Já estão as mochilas preparadas para amanhã. Levamos a maquinaria pesada (literalmente pesada) para fotografar o Parque Güell e a Sagrada Família. Orgia de Gaudí, portanto.

Fica a faltar o bairro gótico (por onde já passámos mas não nos demorámos), a Boqueria (por onde já passámos mas a uma hora onde já estava quase tudo fechado), e ainda queremos (quero?) passar no Museu do Picasso, que quando cá vim da última vez não tinha a colecção completa (estava emprestada, em Portugal).

Ele parece estar convencido que o génio de Gaudí passou obrigatoriamente pelo consumo de substâncias ilegais (já ouvi falar de ácido e de álcool), ainda não se convenceu de que era génio mesmo. A mim, ninguém me tira da cabeça que Gaudí passou por Lisboa, numa viagem não documentada. As calçadas de Lisboa estão aqui.


Já disse antes que os espanhóis não sabem falar inglês e não sabem fazer café? Também não conduzem grande coisa. Tenho a sensação que me estou a repetir. Também não sabem cozinhar, e abençoado Starbucks (sim, leram bem, Starbucks).

Por último, uma nota para a RTP. Senhores que escolhem a programação da RTP Internacional, este canal, para além de servir a diáspora, serve também de cartão de visita. Lamento informar que, de acordo com o actual alinhamento de programas, o cartão de visita de Portugal no mundo é, digamos, uma merda.


Por último mesmo último, todas as programações matinais de todos os países são uma cagada. Nesse aspecto, não temos o exclusivo.

Autoria e outros dados (tags, etc)



4 comentários

Sem imagem de perfil

De Marco a 14.08.2007 às 23:54

Eles não sabem comer, ponto final. Desses lados só gosto mesmo da tortilha.

A paelha, bem o nosso arroz de marisco deixa essa coisa com vergonha de ser comida, rais parta os espanhóis e a adição exagerada de condimentos nas comidas. Mas o melhor pão com chouriço que comi foi em Espanha.
Sem imagem de perfil

De Ric a 15.08.2007 às 20:07

Quando se fala de comida, e de Barcelona, compreendo quem desabafa. Mas lamento dizer-te que se come lindamente em Barcelona. Infelizmente, tal como em muitas outras cidades (Lisboa inclusive), é uma questão de descobrir os melhores sítios. Como tenho amigos a trabalhar e viver aí, fui ajudado sobremaneira.

Recomendo-te, vivamente, o TAXIDERMISTA, na plaza real, bem como uma visita ao Catre Gats (Picasso por todo o lado). este último, mais caro (€12/pessoa) compensa pela decoração interior - espantosa!!! O Taxidermista é um assombro de comida - €9. Ambos têm incluído: entrada, prato carne, prato peixe, vinho, sobremesa, café.

No Raval há um indiano de aspecto 'chunga' de que não lembro o nome mas que é também excelente.

Em toda a Barcelona, regra geral, só se come bem e por um preço justo ao almoço. Esquece os jantares...
Imagem de perfil

De jonasnuts a 16.08.2007 às 00:19

Por acaso, lembro-me de ter passado por esse taxidermista no 1º dia, e pensar "quem terá sido o palerma que deu o nome taxidermista a um sítio para comer" :)

Ver se passo por lá.

Obrigada pela recomendação :)
Sem imagem de perfil

De Pedro Rebelo a 16.08.2007 às 11:16

Pois que Barcelona é Barcelona e apesar de já lá ter ido 3 vezes continuo a dizer "minha rica Madrid". Mas enfim, gostos são gostos e como entendo a opinião dele sobre Gaudi... De certeza que haveria por ali algumas substancias menos legais. Só pode. De toda a obra fico-me pelo Parque Guel que não me importo de visitar vezes sem conta...
Quanto a tal visita não documentada do senhor Gaudi por lisboa não me admiro uma vez que me lembro de ter descoberto varios cacos com a inscrição "fabrica de loiças de sacavém" nas chaminés de uma das casas Gaudi que por ai há...
Comida... Bem, lembro-me de ter comido algo a que chamam de botifarra (por conselho de familiar espanhol com andanças pelo mundo) e de ter ficado bem satisfeito. Acho que só se apanha nas tascas... Perto do teatro municipal há um café/restaurante que é o restaurante do teatro (com imensos cartazes e coisas do género). O dono era galego e quando ouviu falar português saiu da cozinha e entre "alhos" e "azeitonas" sempre falou da amalia e do eusébio. Durante 3 dias não pagámos o pequeno-almoço... Bons velhos tempos...

Comentar post






Arquivo