Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jonasnuts

O tema incontornável - Do Portugal Profundo

Eu acompanho as várias Blogosferas. Sim, falo no plural. Há várias. A geekisfera, a intelectosfera, a florisfera, a babyesfera, enfim.....o que não faltam são nichos da Blogosfera.

Até hoje, e desde que acompanho o fenómeno (como está na moda chamar-lhe) houve apenas 1 tema que foi transversal. O da interrupção voluntária da gravidez, vulgo, aborto. Não houve Blog que não tivesse referido o tema.
De resto, pode ser lançado o iPhone em Portugal que a intelectoesfera nem dá por isso, ou pode vir o Friedrich August von Hayek ressuscitado, que a geekisfera nem levanta os olhos do teclado.

Até hoje, foi assim.

Hoje, por causa de uma queixa  que alguém fez, mandado por ou em nome de José Sócrates, contra o autor de um Blog, toda a gente fala, outra vez, do Blog Do Portugal Profundo.

Não sei quem são os conselheiros de comunicação do nosso primeiro ministro, não sei sequer se tem tais personagens mas, das duas uma, se tem conselheiros de comunicação, estão a fazer um péssimo trabalho, se não tem, devia ter.

Não ponho em causa o direito que qualquer cidadão, incluindo o primeiro ministro, tem de apresentar queixa, se se sente lesado. Mas há formas mais inteligentes de intervir, sobretudo formas mais eficazes, esta estratégia não tem vitória possível, para o primeiro ministro.

Se eu mandasse alguma coisa, e pudesse aconselhar o cidadão José Sócrates a gerir esta questão, a minha recomendação seria uma, e só uma.

Crie um Blog. Mas não crie um Blog para o dar a escrever a um fantoche qualquer. Crie um Blog e escreva. Use as mesmas ferramentas, o mesmo meio, entre no debate, diga de sua justiça, permita os comentários (moderados, se quiser).

Porquê a via da comunicação e não a via da justiça?

Porque, será difícil a um primeiro ministro, garantir que a queixa que apresentou, enquanto cidadão, será tratada exactamente da mesma forma que seria tratada a de qualquer outro cidadão. Não tem como ganhar esta guerra. Se a queixa for em frente, e um Tribunal lhe der razão, a opinião pública pensará sempre, que houve marosca. Se a queixa for em frente e um tribunal não lhe der razão, perdeu em tribunal.

Mas será que ninguém que esteja próximo do senhor, vê isto? Não há ninguém que lhe abra os olhos?

É uma loose loose situation.

Quanto ao Do Portugal Profundo, acho que está a ser coerente, e está a fazer o seu papel,  e arrisca-se a ser o primeiro mártir da Blogosfera portuguesa.
Só tenho pena que não esteja no SAPO, mas na concorrência :)

5 comentários

Comentar post

Pesquisar

No twitter


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D