Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Apelo (com agravo)

por jonasnuts, em 30.05.07
Mulheres deste país. Irmãs, camaradas, palhaças e demais fauna.
 
Prestem muita atenção ao que vos vou dizer.

Estão a ver aquelas estradas assim mais largas, onde cabe mais do que um carro a circular na mesma direcção?

Ok, chamam-se auto-estradas. Servem para que possam coexistir carros, a rodarem na mesma direcção, uns mais rapidamente que outros (atenção o limite mínimo é de 60Km/h).

A faixa da esquerda, ao contrário do que pensam, é para quem quer andar mais rapidamente, portanto, abancarem na faixa da esquerda, a uns velozes 80Km/h, não é seguro. E aquelas buzinadelas todas que ouvem, de carros que olimpicamente vos ultrapassam pela direita, correcção, que circulam mais rapidamente que vós na faixa imediatamente à direita, não tem a ver com os vossos atributos físicos. Tem, isso sim, a ver com os vossos atributos intelectuais, mais propriamente à inexistência dos ditos cujos.

Portanto, agora que já estão informadas:

SAIAM DA PORRA DA FAIXA DA ESQUERDA DA AUTO-ESTRADA, CARAÇAS.

Para quem ler isto e perceber aquela do limite mínimo de 60Km/h, não se descaiam, pode ser que passe.

Autoria e outros dados (tags, etc)



60 comentários

Sem imagem de perfil

De Joao Barros a 31.05.2007 às 00:52

Faço muitas vezes a A1 a caminho da casa da minha namorada e a faixa da direita, principalmente à noite, está deserta, excluindo os ocasionais TIR.
Na A1 sendo uma AE com 3 faixas é comum circular-se na faixa do meio o que me irrita solenemente.
E só em Portugal é que isto acontece! Digo-o alto e com conhecimento de causa.
Além de várias viagens a Espanha, tive o prazer de ir até à Alemanha de carro e não via nada disto.
Quer dizer, na Alemanha vi um carro a andar na faixa do meio com a faixa da direita desimpedida: era uma prima minha, Portuguesa concerteza!
Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 11:11

Ja' conduzi durante *11 anos* em montes de paises. Desde os Estados Unidos, ao Reino Unido, Espanha, Franca, Singapura, Australia, Portugal entre outros.

A faixa da direita e' comunmente chamada a "crawl lane" - e' uma faixa para veiculos pesados ou para quem esta' para sair da auto-estrada.

Ir na faixa central a 100 km/h nao tem nada de "chato" nem de perigoso - e' normal, e ve-se isso em Espanha e muitos outros paises. Quem quiser ultrapassar da' o pisca e passa na faixa da esquerda - qual e' o problema ?
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 11:34

Dar o exemplo de Espanha como limiar do sítio onde se conduz bem é, à partida, perigoso. Terem melhores estradas que nós não faz deles melhores condutores.

Qual é o sentido de se ir na faixa central a 100Km/h, se estamos a ser ultrapassados por todos quantos vão na tal da "crawl lane"?

É simples.....saiam da frente. Não peço mais nada. Já não peço para entregarem a carta de condução na esquadra mais próxima, não peço que vendam o carro, não peço nada de extraordinariamente radical, só peço que saiam da frente.
Imagem de perfil

De pedrocs a 31.05.2007 às 09:06

Nada como passar uma lomba a 180 e dar de caras com uma besta a 50 à hora na faixa da esquerda. Abençoada faixa da direita, que ia vazia!

Não que eu ande a 180... claro. É contra a lei!
Sem imagem de perfil

De Batata Feita a 04.06.2007 às 02:24

Espero que nunca mates ninguém a conduzir a essas velocidades na via pública. Só alguém com muito pouco senso e experiência o faz. Claro que os corredores de F1 não têm acidentes... ou antes, quando os têm, eles é que são uns nabos, e tu até fazias melhor, naõ é ? E o teu carro é o teu mundo, não é ? És o maior lá dentro. Até assumes postura de bom condutor. O típico tuga acha que conduz depressa e bem. Isso de ser o país com mais mortes nas estradas da UE, é coisa para os outros... Não para ti, que a ti nunca acontece. Afinal, tu vales mais que os outros.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 04.06.2007 às 10:51

Ena, parece que este Blog tem um especial poder de atracção de condutores que gostam de abancar na faixa da esquerda de uma auto-estrada, a uma velocidade nunca superior a 100 Km/h.

Muita gente a amofinar-se com este meu post.

Cara Batata Feita. Eu não valho mais do que os outros. Eu valho exactamente a mesma coisa que os outros. nem mais, nem menos.
A questão não é se eu valho mais. A questão é que alguns dos outros, não valendo menos, andam menos. Não tenho problema nenhum com isso, desde que não empatem aqueles que querem andar mais rapidamente.

Espremido, era o que dava este post. Não me importo que sejam lentos (nem tenho nada a ver com isso), importo-me é que a sua lentidão atrapalhe a minha vida, sem necessidade nenhuma. Vão devagar. Mas vão na faixa da direita. Capiscou agora?
Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 10:23

Quem deve mudar o comportamento nao sao as pessoas que propositada, ou incautamente, se encontram na faixa da esquerda a circular a 80, 90, 100, ou 120 km/h.

Quem deve mudar sao as grandes bestas (que nao ha' outro nome para lhe dar) que pensam que a faixa da esquerda e' delas, e que se "colam" ao carro da frente ignorando qualquer distancia de seguranca a circular a 120 km/h (isto, no minimo, que ja' tive bestas coladas 'a minha traseira a 150 km/h e mesmo mais).

Quem pensa que em portugal o que mata e' o excesso de velocidade deve ser automaticamente classificado como burro. O que mata sao estas "preciosidades" como as filas de 5 e 6 carros na faixa da esquerda a 150 km/h, e todos a uma distancia de 1 metro uns dos ouitros.

Sao as tais bestas.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 10:27

É sair da frente, é sair da frente.

Também não gosto de quem se cola ao carro que tem à frente e, no caso que descrevo, nem sequer serve de nada, porque as senhoras não olham pelo espelho retrovisor, mas eu acho mais irritante que não saiam da faixa da esquerda.

Querem ir a 80Km/h? Acho lindamente. Vão para a faixa da direita.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 10:46

Nao e' nada sair da frente. Se eu for a ultrapassar um camiao TIR e o quiser fazer a 120 km/h (que e' o limite de velocidade) nao posso, nem devo, sair da frente.

Quem vai atras e' que tem que ter paciencia e manter a distancia.

E' que "senhoras" a 80 km/h na faixa rapida ve-se um caso ou outro - bestas todas em filinha na faixa da esquerda e' regra.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 11:28

Senhoras a 80Km/h na(s) faixa(s) rápida(s) não é um caso ou outro, todos os dias, sem excepção, apanho duas ou 3, na A5, sentido Cascais Lisboa.

Há mais senhoras destas do que TIRs que tenhas de ultrapassar.

E, se queres ultrapassar a 120Km/h, tens primeiro de te certificar que na faixa onde queres entrar, não vem um carro a uma velocidade superior, para não obrigares a uma travagem brusca que, principalmente em auto-estrada, é sempre de evitar.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 12:17

Devo dizer que esse fenomeno de encontrares senhoras a 80 km/h na faixa rapida soa-me a paranoia - eu tambem conduzo muitas vezes (nao todos os dias, mas mais do que uma vez por mes) na A5 e muitas outras estadas 'a volta de Lisboa e nao as encontro assim tao regularmente. O que encontro e' sim montes de pessoas que nao estao para conduzir a 160 km/h, e como tal, se calhar aparentam estar a conduzir a 80 km/h quando estao de facto a conduzir a 120.

Quanto a essa de ultrapassar a 120 km/h, claro que verifico (e nao sou so' eu) que nao vem um carro mais rapidamente para evitar a travagem brusca - e' evidente. Nao e' e' que isso sirva de muito, porque uma besta a vir a 160 km/h a 500 m de distancia vai-se deixar ir a 160 apesar de ver alguem a ultrapassar 'a distancia. Vai-se deixar ir claro ate' estar a 2 metros da traseira do gajo que vai 'a frente, no qual vai comecar com os maximos e as buzinadelas.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 12:27

Ja' agora, como usei a palavra "Lisboa" - que fique ja' no registo que no Norte (especialmente no Porto) conduz-se 10x pior do que no Sul. Alias, as piores bestas encontram-se no Porto.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 12:46

Antes fosse.

Acho que nesse aspecto estamos todos mal servidos, e as bestas distribuem-se de forma geograficamente homogénea.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 12:32

Não é paranóia. A diferença entre nós é que estas senhoras me irritam e a ti não, pelo que nem dás por elas :)

Quanto à pessoa que vem a 160 a 500m, és tu, que tens de avaliar a velocidade a que vem o carro que está na faixa onde queres entrar. Ele já lá est
á, tem prioridade. Tu não podes passar para a faixa da esquerda se te aperceberes que, seja a que distância for, vem um carro a alta velocidade. Se isso o obrigar a fazer uma travagem, estás a ser pouco civilizado. Porque é que é ele que tem de travar?

Tu é que tens de deixar que ele passe, e depois disso, fazes a tua ultrapassagenzinha.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 12:47

Estas clara e totalmente enganada - repara que disse "a 500m" - quem diz a 500m diz a 1000, ou 300m. Ninguem falou em atirar-me para a faixa da esquerda com um tipo lancado a ultrapassar-me. Estamos a falar de entrar na faixa da esquerda em tempo razoavel para ultrapassar.

Para veres a falta de logica no que acabas de dizer, se todos nos comportassemos assim, andava tudo na faixa da esquerda (que, por acaso, e' o que acontece) porque ultrapassar seria impossivel ja' que ha' sempre bestas na faixa da esquerda a 160 km/h.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 12:50

Se calhar expliquei-me mal.

O que eu queria dizer é que há mais do que um factor a avaliar antes de iniciares a ultrapassagem. Se a distância a que está o carro que aí vem é um desses factores, a velocidade a que ele vem também deve ser considerado.

Se vier a 500m e a 120Km/h no prob. Se vier a 500m e a 220Km/h já tens um problema.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 13:20

Deves ter chumbado a fisica no liceu :-)

Julgar a velocidade de um carro que vem atras de ti pelo retrovisor a uma certa distancia e', no minimo, dificil, no maximo impossivel. O maximo que um condutor minimamente competente pode fazer e' tentar jogar com a distancia, nao necessariamente a velocidade.

A besta que vem atras e' que tem que conduzir com precaucao (chama-se conducao defensiva), especialmente considerando que ja' vem a ultrapassar o limite de velocidade, e que esta' na faixa da esquerda.
Sem imagem de perfil

De flavio a 16.09.2007 às 01:19

homens como tu,devem ser muito observadores,tu deves mesmo olhar prô retrovisor(deves),tas sempre a ver se as mulheres olham para o retrovisor,em vez de estares atento a tua condução.dahhhhhhhh
Imagem de perfil

De jonasnuts a 16.09.2007 às 12:49

Observador por observador acho que tens dotes para a troca. Eu não sou um homem :)

Quem cospe para o ar....

Boa sorte para as aulas de condução.
Sem imagem de perfil

De Mario a 31.05.2007 às 10:27

Eu acho que a maioria das pessoas já se esqueceram de que até podem circular pela direita a 120KM/H, a não ser que algo diga o contrário, e que apenas devem usar a faixa da esquerda para ultrapassar.

Quantas vezes já eu vi carros aos zigs zags nas faixas mais a esquerda e eu confortavelmente a na faixa da direita sem carros.
Sem imagem de perfil

De Ber a 31.05.2007 às 10:30

Isso já serão efeitos SMART ??? :p

É o primeiro sintoma... isto afinal até anda :)
O segundo é algo como... e até cabe entre a faixa da esquerda e o separador central.

Welcome to the small(but not so slow) world
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 10:33

Não tem nada a ver com o Smart, embora eu ache patético ter um smart e querer andar, e o mercedes classe A que vai à minha frente não me desampara a loja.

Eu já tinha a mesma sensação com os outros carros, e tenho esta sensação mesmo quando não sou eu a ir ao volante.
Imagem de perfil

De amadex a 31.05.2007 às 10:48

1000% de acordo!!!!!!!! Damn . Porque diabo os Portugueses têm a mania de "passear" na faixa da esquerda (ou na do meio, quando exista) estando a da direita desimpedida?!?...

É algo que escapa à minha compreensão...

Adicionalmente, ainda podemos dividir estes espécimes em 2 tipos:

os distraídos - aos quais até podemos perdoar, sempre e quando se apercebem do seu erro e, mesmo que paulatina e lentamente , se desviam para a faixa imediatamente à sua direita;

os teimosos - que apesar de termos o pisca a assinalar a intenção de ultrapassagem, passando já com algum nervosismo para os sinais de luzes, seguido de algumas buzinadelas, chegando à aproximação extrema ao seu pára-choques traseiro e, finalmente, optando nós pela ultrapassagem pela direita - punida por lei - porque S. Exas. não se dignam a tirar o cú e respectivo veículo do raio da faixa da esquerda!!!!

Sim, é verdade, fico "doente" com estes filhos de uma certa senhora.

Ninguém é obrigado a andar depressa, mas o civismo obriga-nos, pelo menos, a respeitar os outros. Se existe mais do que uma faixa de rodagem é exactamente para que coexistam duas vontades: a de querer andar devagar e a de querer andar depressa, passe o óbvio.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 11:20

Ora aqui esta' a atitude tipica da "besta" - veja-se portanto:

"chegando à aproximação extrema ao seu pára-choques traseiro e, finalmente, optando nós pela ultrapassagem pela direita - punida por lei - porque S. Exas. não se dignam a tirar o cú e respectivo veículo do raio da faixa da esquerda!!!!"

Aqui esta' a caracteristica numero 1 das bestas em accao - repara-se, sinais de luzes, buzinadelas, encostoes, e finalmente, ultrapassa-se pela deireita - comportamente muito civico sem duvida!

E' que se isto acontece-se nos casos realmente extremos (da maneira como estes comentarios estao escritos parece que pessoas a 50 km/h na faixa da esquerda e' uma coisa muito comum) ainda se comprendia. Mas acontece independentemente da velocidade. E' que para as "bestas" nao 'a diferenca entre 50 km/h ou 120 km/h - se alguem for na faixa da esquerda mais devagar do que a "besta", automaticamente esta-se a ir a "50 km/h" (ate' se podia ir a 160 km/h, nao faz diferenca) - e' a atitude da "besta" de "a faixa e' minha e tens que sair da frente"... muito civico, muito civico...
Imagem de perfil

De amadex a 31.05.2007 às 11:38

LOL !!!

Passe o exagero do meu comentário anterior, o facto é que a faixa da esquerda serve exclusivamente para ultrapassagem, tal como consta no código da estrada. É assim em muitos outros países civilizados porque é que em Portugal não nos comportamos civicamente?

Se existem comportamentos excessivos face aos "condutores de Domingo" eles, apesar de injustificados, surgem porque se está perante uma notória situação de comportamento também excessivo do outro no que concerne a falta de civismo.

Porque diabo tem que se conduzir na faixa da esquerda ou na do meio, estando a da direita disponível? É algum fetiche? Ilusão óptica? Delírio? Não compreendo!

E sim, é extremamente irritante querer-se conduzir mais depressa pela faixa da esquerda e "apanhar" com alguém a "pisar ovos", sem ninguém nas faixas adjacentes e quaisquer razões objectivas e cívicas para o fazer, que não seja o "apetece-me conduzir aqui" ou "tenho medo de circular na faixa da direita, pois posso ser abalroado por alguém que entre por um acesso" ou "no meio é que vou bem porque tenho imenso espaço à esquerda e à direita"!

Que alguém ultrapasse a 120km h (cumprindo escrupulosamente os limites de velocidade) é perfeitamente plausível e justo. O que já não é compreensível é que, não estando a proceder a qualquer ultrapassagem, se mantenha na faixa da esquerda por tempo indefinido e não querendo aceitar que alguém possa ir mais depressa, dando-lhe passagem.

Se vou a 40km h , 80, 120, 150, 180, 200 ou 220 é um problema meu desde que com isso não afecte a liberdade e a segurança dos que me rodeiam.

Existe uma constante culpabilização da velocidade no que respeita aos acidentes (até porque interessa às entidades competentes culpabilizar a velocidade, uma vez que é a potencial infracção mais fácil de medir e multar). A velocidade per si não é motivo de acidentes, o motivo é, muitas vezes, a inadequação da velocidade às condições do tempo, piso e fluxo rodoviário.

Alguém a conduzir a 40km h numa auto-estrada , apesar de ir devagar e perfeitamente dentro dos limites de velocidade previstos para a via, pode ter ou causar um acidente muito grave. E sim, é extremamente comum ver-se alguém a conduzir a velocidades de 50 ou 70km/h na faixa da esquerda sem quaisquer razões objectivas para tal...
Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 12:25

"Se vou a 40km h , 80, 120, 150, 180, 200 ou 220 é um problema meu desde que com isso não afecte a liberdade e a segurança dos que me rodeiam."

I rest my case.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 12:44

Mas não é verdade?

A parte desta frase que é fundamental reter (e aplicar a todas as outras situações) é: "Desde que com isso não afecte a liberdade e a segurança dos que me rodeiam".

É civilizado.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.05.2007 às 12:50

Nao, nao e' verdade e nao e' civilizado. Os limites de velocidade (tanto os limites minimos como os maximos) existem por uma razao. O que achas "seguro" e' relativo, e e' por isso que os limites existem. Para impor um "level playing field" de seguranca.

Isso sim, e' civilizado.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 12:53

Sim senhor, mas eu apenas reconheço à polícia o direito (e o dever) de me fazer cumprir esses limites.

Não reconheço essa competência a mais ninguém.

Se eu quiser infringir a lei, infrinjo-a, assumindo depois as responsabilidades dos meus actos.

Ou isso é a apologia de que devemos ser todos polícias uns dos outros?

Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 13:02

Sim, devemos todos ser a policia uns dos outros - especialmente na estrada. Ou julgas que em Portugal morrem mais pessoas na estrada do que em qualquer outro pais da Europa porque ? Achas essa estatistica bonita ?

Porque os comportamentos estupidos na estrada sao tolerados. A policia pode *regular* o comportamento das pessoas, mas nao o pode mudar. Isso tem que partir de todos nos.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 13:21

hum.....deves ser muito novo :)

O tempo em que era incentivado esse policiamento de uns pelos outros, já lá vai.

Em Portugal morrem mais pessoas na estrada do que em muitos países da Europa não se deve exclusivamente ou mesmo principalmente) ao excesso de velocidade.

Deve-se ao facto das pessoas não terem uma educação cívica. Bebem e depois conduzem. Não se respeitam. São chicos espertos. As estradas são péssimas e mal construídas. O parque automóvel, embora esteja melhor, não ajuda. As pessoas deviam ser obrigadas a fazer testes de condução de x em x anos.

A velocidade é uma mera desculpa. Se um fiat 600 for a 120Km/h na auto-estrada fá-lo dentro da legalidade, no entanto, é muito mais perigoso que um audi A3 a 180Km/h.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 14:19

"hum.....deves ser muito novo :)

O tempo em que era incentivado esse policiamento de uns pelos outros, já lá vai."

Nao sei se sou muito novo, estou quase entre os 30 e os 40 :-)

Quanto ao auto-policiamento de uma sociedade, a mim parece-me ser uma coisa positiva e nao negativa. Ou vamos ter policias a ver se ha' gente que atira lixo para o chao ou a mijar contra as paredes ?

"Em Portugal morrem mais pessoas na estrada do que em muitos países da Europa não se deve exclusivamente ou mesmo principalmente) ao excesso de velocidade."

Pois nao, deve-se ao excesso de velocidade em conjunto com as filinhas na faixa da esquerda com 1 metro de distancia entre carros porque estao as bestas todas convencidos que a faixa da esquerda e' a faixa privada deles :)

"Deve-se ao facto das pessoas não terem uma educação cívica. Bebem e depois conduzem. Não se respeitam. São chicos espertos. As estradas são péssimas e mal construídas. O parque automóvel, embora esteja melhor, não ajuda. As pessoas deviam ser obrigadas a fazer testes de condução de x em x anos."

A infraestructura tem sempre a culpa... e' as estradas, os carros, e "os outros" - as "pessoas nao sao civicas", e tu, es ?

Fica a questao.

"A velocidade é uma mera desculpa. Se um fiat 600 for a 120Km/h na auto-estrada fá-lo dentro da legalidade, no entanto, é muito mais perigoso que um audi A3 a 180Km/h."

Continuas a ignorar as leis da fisica - a nao ser que por alguem ir a conduzir um A3 a 180 km/h o seu tempo de reaccao aumente. Os A3, BMW's e afins devem ter um dispositivo relativistico especial que abranda a passagem do tempo dentro do carro, e leva com que o condutor carrege no travao mais depressa que o gajo no Fiat 600...
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 14:27

Os A3 têm de facto um dispositivo que o fiat 600 não tem.

Chama-se travões de jeito.

:)

O que é que achas que trava mais rapidamente?
Um fia 600 a 120 ou um A3 a 160?

E não percebi a do "quase entre os 30 e os 40". Ou estás quase nos 30 ou estás entre os 30 e os 40 :)
Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 14:54

"O que é que achas que trava mais rapidamente?
Um fia 600 a 120 ou um A3 a 160?"

Um Fiat 600 a 120... sem a mais pequena duvida - claro que a pergunta imediata, e' se o A3 devia ir a 180, mas pronto.

Mas como nao acreditas nestas coisas com palavras, aqui fica um desenho (e' capaz de ser mais facil) - sugiro que experimentes este teste, talvez clarifique as coisas:

http://www.phy.ntnu.edu.tw/ntnujava/index.php?topic=138

Poe la' 180 km/hr, uma distancia de 10 ou menos metros (em Portugal e' mais 2 metros, mas pronto) e se conseguires travar sem bater no tipo da frente retiro tudo o que disse ate' aqui. Alias, se conseguires a 60 km/h e uma velocidade de 2 metros faco o mesmo.

Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 15:06

Humm, eu sei que sou loira, mas não vás por aí. Não preciso de desenhos :)

Já percebi qual é que é o teu problema.

Estás farto de conduzir carros, mas nunca conduziste um automóvel.


Acredita, eu já conduzi o fiat 600 e já conduzi o Audi A3, portanto, eu não preciso de gráficos para me "provarem" aquilo que eu sei por experiência própria. Pára mais depressa um Audi A3 a 160 do que um fiat 600 a 120 (a não ser que o travão seja uma parede, e aí travam os dois o mesmo).

E por último......quem é que falou a em ir a 180Km/h e querer travar em 10 metros?



Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 16:51

"Já percebi qual é que é o teu problema.

Estás farto de conduzir carros, mas nunca conduziste um automóvel."

Ora bem... essa ja' mexe com o meu sentido "macho", por isso vais levar com a resposta...

Nos 12 anos ha' que tenho carta, estes foram os carros que tive (repara que nunca tive um por mais do que dois anos :)), isto fora os que conduzi mas que nao foram meus, se incluir estes podemos comecar a falar de TVR's (ja' conduziste um carro com mais de 350cv de potencia e traccao atras ? e' que senao entao nem vale a pena falarmos mais), Noble's e Invicta's.

* VW Polo 1.0 (o primeiro, e o original :)),
* Audi A3 1.9 TDI (o da primeira geracao),
* Audi TT 275cv (era um de 225 original, mas foi tweaked - eu era novo e tinha as manias),
* Audi A3 2.0 (o de 3a geracao isto de ter um filho quer dizer que e' preciso mais espaco atras),
* Volvo V50 T5 (o meu carro actual - tem um grande "GB" atras e uma matricula amarela, se vires um na A1 ou A5 ja' sabes que sou eu).

Por isso, tu com o teu Smart talvez conseguisses te encostar atras do Polo, mas pouco mais... :-)

Bem, mas agora que o meu ego esta' recuperado - vamos la' ver, fizeste o teste ? A que distancia consegues parar sem bater indo a 120 ou 180 ? Ate' me dizeres nao vale a pena continuar...

"E por último......quem é que falou a em ir a 180Km/h e querer travar em 10 metros?"

Ninguem, mas tu e' que falaste que um A3 para melhor a 180 do que um Fiat 600 a 120. Logo, a nao ser que as leis da fisica nao se apliquem ao A3, para parar mais depressa que o Fiat vai ter que parar em pouco mais :)
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 22:44

Se vamos comparar graduações, façamo-lo a sério :)

Nos quase VINTE anos que tenho de carta, a conduzir praticamente todos os dias, os carros que conduzi de forma periódica foram os seguintes, por ordem de entrada em cena:

Renault 5C
Renault 5 qualquer coisa que não me lembro
Peugeot 205
Honda Civic (o primeirinho de todos)
Clio 1.2 (o primeiro Clio)
Twingo
Honda Civic (o segundo)
Renault Mégane Scenic (1.4)
Volkswagen Touran 1.9 TDI
Audi A3 2.0 TDI Sport
Audi A3 2.0 Sportback (dos novos, com 170 cavalos)
Audi TT (dos novos)
Smart

O Smart, o último A3 e o TT fazem parte do parque actual.


Mas agora, a pergunta que realmente interessa.......... para que querias tu esses carros todos....se depois andas a 120 e te amofinas com quem anda a 160 ou mais?

Por último.....já conduzi um carro de Fórmula 1, no
Durante muito pouco tempo e, sobretudo, num percurso curtíssimo, mas conduzi.
No autódromo do Estoril, há uns valentes anos atrás.

Acompanhas? :)
Sem imagem de perfil

De Nuno a 01.06.2007 às 09:49

Com a carta 'a 20 anos ja' se esperaria teres mais juizinho na conducao talvez... digo eu.

"Mas agora, a pergunta que realmente interessa.......... para que querias tu esses carros todos....se depois andas a 120 e te amofinas com quem anda a 160 ou mais?"

Portanto, devo assumir que em Portugal quem nao anda de SMART vai automaticamente circular a 160 ? Ou ter um motor com mais de 0.5 litros de cilindrada automaticamente faz de alguem um acelera ?

Se calhar ha' gente que inexplicavelmente, usa o motor nao para andar a colar-se 'a senhora na faixa da esquerda mas sim para ter uma conducao controlada, segura e *dentro da lei*.

Talvez... que isto sao umas ideias malucas estrangeiras. Mas se calhar com a tua extensiva experiencia de Formula 1 possas explicar melhor.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 01.06.2007 às 10:18

Bom, claramente não percebes o que eu digo, e insistes em manter uma discussão "séria".
Não é esse o meu objectivo.

Juizinho é algo que eu espero ter, quando tiver 90 ou 95 anos. Ter juizinho, é tão, mas tão bacoco.......
De qualquer forma, em 20 anos, tive 1 acidente, sem feridos, apenas com danos materiais. Não me parece uma má média.

Desejo-te as maiores felicidades na condução, e espero que te mantenhas sempre na faixa da direita. Ou, já que pareces apreciar tanto o que é estrangeiro, e a primorosa condução de todos os que não são tugas, talvez te recomende uma mudança de país. :)
Sem imagem de perfil

De Batata Feita a 04.06.2007 às 02:52

EXACTO! É a resposta mais correcta, mas o que se passa na estrada é o que está dentro da cabeça das pessoas. Pequenez.

Os que andam a meio e à esquerda, são uns desgraçados irracionais. Agora, piores, só mesmo o que passam por cima do código. Limites, semáforos, passadeiras, etc. E então quando aparecem com a mentalidade: "sai da frente... "...

A experiencia dos condutores é diversa, por isso os limites são para nivelar a segurança. Senão, não fazia sentido alguém com 300.000km andar com limites de alguém recem-encartado. Para a mentalidade generalizada dos faster_then_120kmh_tugas é meter radares e câmaras e multá-los quantas vezes fôr preciso. Hão-de sentir alguma vez nos 250 contitos que auferem... Sim, porque quando fôr aumentado para 350 contitos, já posso andar ainda mais depressa...

A velocidade mata. A velocidade magoa. A velocidade tem estropiado crianças pelo país fora. Tem feito milhares de órfãos. Tem levado familias à miséria humana. Tem feito crianças irem para a escola de cadeira de rodas. Porque é que não se veste a CAMISOLA pela condução segura ? Pela condução a obedecer ao código ? Aos limites. Às manobras perigosas. Ou aqui, OS OUTROS é que têm de VESTIR A CAMISOLA ?

Nem se dão ao trabalho de relativizar: alguém que passe a 160kmh ou 170kmh é um senhor/senhora, sim senhora, douto, civilizado, há que o deixar passar. Mas se passa uma mota a 300kmh já é um animal ??? Então ? Onde é que colocámos o limite para a decência ? É livre arbítrio ? É só o que eu penso ? Uma moto a 300kmh é uma serra, um Audi A6 a 170kmh é um TIR. São os dois acéfalos.

Jonas, nunca foste à Suécia pois não ? Lá é: há limites ? então são para cumprir, nem que nas 3 faixas de rodagem dos próximos 10km não haja nenhum carro. Não. os. posso. passar. Simples: EDUCAÇÃO
E D U C A Ç Ã O. É dê ú cê à cê à com til, ó. Vá repitam: eeeducaaaçãoo. Eduuucaçãaoo.

Preferia ver mulheres a conduzir os TIR. São muito mais delicadas e cuidadosas.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 11:40

Mas ó Nuno.....aquilo que leva a uma ultrapassagem pela direita é um acto de falta de respeito por parte de quem acampa na faixa da esquerda.

Eu sou sincera. Se há uma caramela (ou um caramelo, é-me indiferente) que acampa na faixa da esquerda e não sai, tendo espaço para o fazer, e depois de eu ter pedido passagem (com sinais de luzes, pisca aberto, aproximação razoável e, por fim, buzinadelas) leva com uma ultrapassagem pela direita.

E, se a auto-estrada estiver vazia, ainda me ponho à frente, desacelero, e faço-lhe sinais para ir para a outra faixa.

É pouco civilizado? É sim senhor, mas com pessoas que de civilização percebem pouco, não podemos usar argumentos e procedimentos civilizados.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 12:24

Prontos... nos realmente nao nos vamos entender :-)

Eu estive aqui pacientemente a tentar explicar que o perigo maior nao advem de quem conduz a 80 km/h na faixa da esquerda - isso e' uma raridade quer queiras aceitar ou nao, e o que causa acidentes nao e' isso.

O que e' perigoso e o que causa acidentes e' o que foi suberbamente descrito pelo Robert Kaplan (http://query.nytimes.com/gst/fullpage.html?sec=travel&res=9C0CE3DF113AF931A15754C0A966958260) sobre os condutores portugueses:

"Worse than their habit of passing in the midst of oncoming traffic is the delight Portuguese take in high-speed tailgating. I use my blinking lights to let a driver know he is following too close. Because this happens often, and because I am always turning high-beam lights on and off on account of oncoming traffic on unlighted roads, I find I do more work with the light switches than with the clutch and gearshift.

It is hard to fathom just what's in the mind of a Portuguese driver when he's tailgating and passing you in his new car on a blind, uphill bend with the possibility of a truck's rumbling down in the opposite direction. One would assume that even if he doesn't care about himself and his passengers, he would at least care about the car. In terms of how long people must work in order to afford them, cars in Portugal are considerably more expensive than in the United States. Insurance reimbursements, moreover, are said to be not so quick and automatic after accidents. RIGOROUS driving tests appear to have done little to improve the situation."

E isto e' o que e' a norma em Portugal devido a essa mania de que a "faixa e' minha". Sugiro que experimentes conduzir no Reino Unido como conduzes em Portugal durante um mesito - veras quanto tempo sobrevives com a carta :-)
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 12:43

ah...mas eu já conduzi em Londres :) E seria idiota conduzir lá da mesma forma que se conduz cá. É diferente, e tens de te adaptar.

Não tive um oitavo dos problemas que tenho cá.

As pessoas têm uma forma mais civilizada de conduzir. E não há tantos chicos espertos.

O meu ponto é, o facto das pessoas não respeitarem as outras gera mais desrespeito. E é a zorra total.

(E também já conduzi em Espanha, e no Brasil, e em França, e assim de repente é o que me ocorre).

Quanto à opinião do senhor......é americano. É natural que se choque com as diferenças. Se for um verdadeiro americano também se choca com a nossa publicidade gráfica, acha-a demasiado explícita, só porque vê mupis (cartazes) de senhoras com as maminhas à mostra.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 12:57

"As pessoas têm uma forma mais civilizada de conduzir. E não há tantos chicos espertos.

O meu ponto é, o facto das pessoas não respeitarem as outras gera mais desrespeito. E é a zorra total."

Mas tu continuas a nao ver a luz! A questao nao e' uma de respeito - no UK tambem vez tailgating, condutores de carrinha branca, etc. A diferenca esta' na forma como as pessoas reagem a isso (em particular a policia).

No UK comportamentos absurdos na estrado *nao sao tolerados* nem justificados ("porque ele fez isto, eu fiz isto e por isso nao faz mal"). Sao sim castigados (tanto em termos judiciais como sociais) e evitados pela vasta maioria das pessoas.

Em Portugal, pelo contrario, ha' as pessoas (aparentemente como tu) que acham que uma accao merece uma accao ainda pior, e prontos, os nossos maus habitos estao justificados.

E' sempre a culpa dos outros, e nunca e' a nossa - "a culpa e' da senhora que vai a 80 km/h na faixa da esquerda" - quando na realidade a culpa e' a das bestas que se acham justificados a andar a 160 km/h a 1 metro do carro da frente na A5.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 13:08

Já me aconteceu ser multada por ter feito uma dessas ultrapassagens.

Não refilei.

O outro que vinha a pastelar na faixa da esquerda, também foi multado.

O meu ponto é, se ele não pastelasse na faixa da esquerda, ninguém teria sido multado.

Somos todos bestas, mas há o pecado original, neste caso, a besta riginal, que, no meu caso, desperta a besta que há em mim.
Imagem de perfil

De qvieira a 31.05.2007 às 12:34

a melhor maneira de chegarmos ao lugar pretendido mais cedo é sairmos de casa tambem mais cedo... é que por vezes não é o da frente que circula devagar, nós é que vamos com pressa.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 12:48

Não tem a ver com o factor pressa, ou stress.

Mesmo ao fim-de-semana, ou de férias, estas questões irritam-me.

É a falta de civismo, a estupidez, a falta de cultura.

A velocidade a que se vai é um sintoma, a doença é a estupidez :)
Sem imagem de perfil

De Nuno a 31.05.2007 às 13:00

"A velocidade a que se vai é um sintoma, a doença é a estupidez :)"

Sim, e' a estupidez - mas e' a estupidez *nossa* nao a dos outros.


Imagem de perfil

De jonasnuts a 31.05.2007 às 13:11

"a velocidade a que se vai é um sintoma de estupidez"
Isto aplica-se a todos. Nem mais nem menos.
Imagem de perfil

De dottoratoamilano a 31.05.2007 às 15:52

Já para não falar dos tipos que têm 3 faixas livres, e vão descansadamente no meio!!! (obrigando-nos ou a passar pela direita, ou a passar 2 faixas para a esquerda...)
Sem imagem de perfil

De Joao Barros a 31.05.2007 às 19:07

Dou razão ao Nuno depois de "confessares" que ultrapassas pela direita depois de tentares passar uma daquelas "prendas" coladas na via da esquerda. Eu ultrapasso pela esquerda. (Confesso ter prazer em cortar a passagem aos meninos que andam a trocar de faixa constantemente na 25 de Abril ou mesmo em AEs - sue me)
Não dou razão ao Nuno quando diz que o problema em Portugal são os tailgaters . Eu vou mais longe: nem é a velocidade!
Consegui fazer na Alemanha algo que aqui seria impossível, não só pelos limites de velocidade mas principalmente devido aos outros condutores: Enchi o depósito na Alemanha, entrei na AutoBahn e só voltei a sair para encher o depósito de novo. Foram mais de 400KM a uma média de 183KM h num Seat Ibiza que o fabricante afirma ter velocidade máxima de 195KM h
NUNCA tive de fazer pisca ou sinais de luzes a ninguém, porquê? A mentalidade dos Alemães é: eu vou a 200KM h aqui, mas atrás pode vir alguém a 250KM h . Ultrapassou, saiu da faixa.

Em Portugal não se sabe conduzir. Esta para mim é das maiores razões da sinistralidade que apresentamos. São os gajos a pastelar na esquerda, as ultrapassagens pela direita, o pessoal que muda de faixa constantemente, os tailgaters , é o pessoal que se "esquece" que o piso até está molhado, é o pessoal que pensa que anda sozinho na estrada e "espelhos para quê?!", é o pessoal que bebeu uns copos, etc
Mas oh Nuno, as 3 primeiras razoes que aponto não começam com a razão de queixa da Jonas? ;)
Sem imagem de perfil

De Batata Feita a 04.06.2007 às 03:13

Depois de ler isto tudo, é esperar que as "Jonas" acabem por desaparecer, e os "Nunos" sejam a geração futura deste país. É a minha esperança sincera. Enquanto assim não fôr, reina a mortandade que temos assistido... e o chico-espertismo, sempre superior ao do vizinho.

Há uma expressão hororrosa que reza: "dar pérolas a porcos". Mas é isto que muitos de nós fazemos com os carros que temos...
Imagem de perfil

De jonasnuts a 04.06.2007 às 10:59

Ah, mas não tenhamos ilusões.
As poucas "Jonas" que existem têm tendência a desaparecer, não tenho a mínima dúvida.

A geração do meu filho terá muito poucas oportunidades de conduzir como eu conduzo. Não só os veículos serão diferentes, como as leis serão outras.

Espero sinceramente é que a extinção se aplique aos dois grupos. Aos que aceleram e aos que empatam.

Não percebo porque é que aterraram aqui os protectores da falta de civismo por parte dos lentos :)
E que ainda por cima não entendem que a lentidão, quando injustificadamente atrapalha terceiros, É falta de civismo.
Sem imagem de perfil

De Batata Feita a 05.06.2007 às 00:04

"A geração do meu filho terá muito poucas oportunidades de conduzir como eu conduzo. Não só os veículos serão diferentes, como as leis serão outras."

"ó querida", se não ensinar o seu filho a respeitar a leis, de nada vale mudá-las... É por isso que é tudo uma questão de educação. E a educação dá-se em casa. Por isso, se não fôr cívica na estrada, que exemplo vai ter a criança ? Só mais uma coisa. Eu circulo devagar, sempre à direita, e sim cometo erros. Somos humanos. Teremos é de minimizá-los. Velocidade excessiva não permite minimizar os erros. Nem é discussão a relação velocidade/acidente_grave: está mais que bem documentada. Mais uma coisa, a velocidade máxima a que já conduzi legalmente, foi a cerca de 265km/h. No dia a dia, evito passar os 100kmh. Vá, nas AE posso chegar aos 120 para uma ultrapassagem, mas mais não. É que a velocidadde vicia, e já a consegui controlar. Não é fácil. Vá lá passar 2 anitos à suécia...

Vista lá a "camisola" do civismo. Só lhe fica bem ;-)
Imagem de perfil

De jonasnuts a 05.06.2007 às 00:12

Tendo em conta o tom do comentário, quem está a precisar urgentemente de ir a qualquer lado aprender não só civismo mas regras básicas de boa educação, não sou eu.

Não costumo entrar em casa das outras pessoas (leia-se Blog), e começar a chamar "querida" à dona da casa, sem sequer me apresentar ou identificar.

A minha boa educação, não preciso de ir à Suécia ou a qualquer outro país adquiri-la, porque já a recebi em casa.

Quanto aos exemplos a dar aos que me rodeiam, são certamente exemplos de civismo e respeito pelo próximo, e tenho muitas oportunidades de o fazer, infelizmente, pela negativa. Do tipo estás a ver filho, este senhor que não sai da frente e está a congestionar o trânsito? É mal educado e não respeita os outros. isto não se faz".
Sem imagem de perfil

De Batata Feita a 05.06.2007 às 02:10

"Do tipo estás a ver filho, este senhor que não sai da frente e está a congestionar o trânsito? É mal educado e não respeita os outros. isto não se faz""

E se a criança responder: "mas a mãe vinha a 140, acima do limite legal, e agora ultrapassou pela direita... isso não é errado ?"

Não poderá responder aquilo que disse acima, ao Nuno, que "faço asneiras porque os outros as fazem e como resposta a elas" ? Não é pedagógico nem cívico (na mera hipótese de o fazer, que não acredito).

Vamos fazer uma coisa ? Desafio-a a durante 5 dias não ultrapassar os limites de velocidade legais dentro e fora das localidades, e nas AE. Vá, aceite, por favor hihihihihi Só isso. Ao inicio vai parecer que anda num perigo. Depois vai achar que a generalidade dos outros condutores são ainda piores do que pensava. Vá, eu farei o mesmo, e quem ceder, terá de o referir aqui :-) Atenção que nas localidades (cidade) é onde é pior, onde custa mais... :-) Aceita ?
Imagem de perfil

De jonasnuts a 05.06.2007 às 11:18

Não preciso de ir a mais de 120 para encontrar caramelos que não me saem da frente, na faixa da esquerda. Portanto, consigo fazer tudo isso dentro dos limites legais.

Eu não transgrido os limites de velocidade, principalmente agora que ando com o Smart, com tanta frequência como isso.

Mas tenho pena. Considero que, principalmente em auto-estrada, é mais perigoso andar dentro dos limites do que transgredi-los.

Quanto ao desafio, não vale a pena. A minha opinião em relação a muitos dos condutores com quem partilho as vias já é a pior. Não vale a pena piorá-la ainda mais.

Comentar post


Pág. 1/2






Arquivo