Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Lourenço Medeiros e o Google Earth

por jonasnuts, em 03.03.07
Acabo de ver, há 15 minutos, uma peça "jornalística" na SIC, durante o jornal da noite. Falava sobre o Gogle Earth, e é verdade, eu tenho sempre imensa curiosidade em ver como são tratados pelos jornalistas os temas tecnológicos.

É uma espécie de gosto mórbido, ou esperança de ser surpreendida, ou ambos. Não sei. Mas a verdade é que nunca fui surpreendida, e sempre que termina mais uma dessas peças, cheia de incorrecções, erros grosseiros, falhas e omissões, eu limito-me a encolher os ombros e pensar para com os meus botões "porque é que raio é que são estes gajos a fazer este tipo de coisas? Porque é que não entregam estes temas a pessoas que realmente percebam do assunto?"

Esta questão já vem de longe, desde há 15 anos, em que eu rejubilava (pateta ingénua) sempre que passava uma reportagem sobre Internet. "É desta que toda a gente vai perceber as vantagens da Internet, é desta que deixam de me olhar de lado, quando eu disser que passo grande parte do meu dia online". E pumba, lá vinha mais uma reportagem sobre fraudes com cartões de crédito ou pornografia.

Isto foi há uns anos, esperar-se-ia que as coisas tivessem mudado. Mas não, pelo menos não mudaram na direcção certa.

A reportagem que me leva a escrever este post falava então do Google Earth. Tema insuspeito. A hora, 8 e pouco da noite. E é então que se dá a coisa. Depois de ilustrar as várias funcionalidades do Google Earth, refere também este senhor Lourenço Medeiros, que a AMI usa o serviço, para ilustrar o seu trabalho. E pumba. Toca de mostrar crianças, gravemente feridas, estropiadas, amputadas.

Assim, de repente, e sem mais nem porquê. Com um (interminável?) leque de opções de imagens que lhe permitiriam ilustrar muitíssimo bem o que pretendia, este "jornalista " escolhe imagens violentas, imagens que custam a um adulto (pelo menos a esta adulta), de forma completamente gratuita.

Estarão os critérios editoriais da SIC a seguir o mesmo caminho que os da TVI, isto é, direitos ao esgoto?

Foram poucas as vezes que, até hoje, escrevi para canais de televisão. A primeira vez foi para a TVI por causa do Fiel ou Infiel. Não há televisões sintonizadas na TVI cá em casa desde essa altura. A segunda vez foi hoje, para a SIC.

Recomendei duas acções de formação, com carácter de urgência, para o Sr. Lourenço Medeiros. Uma sobre técnicas e éticas jornalísticas, e outra sobre os princípios básicos da língua inglesa e sua pronúncia. O colaborador em causa está necessitado de ambas. Rapidamente.

Agora com licença que eu vou ali remover a SIC da minha lista de canais preferidos.

Autoria e outros dados (tags, etc)



1 comentário

Imagem de perfil

De esquisito a 08.07.2007 às 01:26

Aahhh esse senhor... Intitulado de "especialista", esse senhor vem regularmente ocupar o tempo de antena (e emitir CO2, já que hoje n se fala noutra coisa) com um chorrilho de banalidades e asneiras, incorrectamente explicadas como se todos fôssemos todos burros que nem portas. Tantas pérolas desse senhor... estou a lembra-me do 2nd life, do "hacker" que andou a "invadir" as redes wireless de lisboa... qualquer dia são clássicos, vistos e revistos no yout... desculpa, sapo vídeos... :P

Comentar post






Arquivo