Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Os filhos dos governantes

por jonasnuts, em 23.12.13

Nesta época, parece que todas as estações de televisão tiveram a mesma ideia. Fazer reportagem à boca das...... chegadas dos aeroportos. A nova geração de emigrantes vem passar o Natal a casa, e a entrevista da praxe comove-me, como mãe. Não quero ser uma potencial entrevistada, daqui a meia dúzia de anos.

 

Logo de seguida, um governante qualquer, nem lhe fixei o nome, fala das vantagens que esta saída do país representa, quer para os jovens, que vão aprender, quer para o país, que fica com belíssimos embaixadores lá fora.

 

O presidente da república, o mesmo discurso, da diáspora enquanto representante dos valores portugueses, e aproveitar esta vaga que saiu (e continua a sair), para criar oportunidades lá fora.

 

Meus senhores...... a não ser que estejam disponíveis para mandar os vossos filhos e os vossos netos, calem-se. Vão mesmo puta que vos pariu. Se eu quisesse que o meu filho fosse embaixador de qualquer coisa tinha-lhe feito a cabeça para relações internacionais.

 

O desplante com que estes cabrões falam dos sacrifícios que impõem aos outros tira-me do sério.

 

Ah, e feliz Natal, e toda a restante fruta da época.

Autoria e outros dados (tags, etc)



5 comentários

Sem imagem de perfil

De Tiago a 23.12.2013 às 20:56

Vindo de um ano no estrangeiro para cá passar o Natal (e sim, podia ver a RTP lá fora, mas cansei-me há bastante tempo de qualquer televisão), parece-me que se tornou *comum* substituir o conceito de "jovens emigrantes" por "jovens que saiem por um período de forma a aprenderem melhor lá fora"... quando é que este discurso apareceu? E já agora, onde é que será que eu me inscrevo como "Conselheiro da Diáspora"?

Como filho, sinto muita pena pelos pais que vêem nos seus filhos aquilo que nunca imaginaram voltar a repetir-se. Como "emigrante", espero que todos possam ter a mesma sorte que eu tenho, e se a tiverem, que a agarrem bem, e só voltem mesmo quando as coisas por cá estiverem melhores. Até lá, prefiro fazer de Portugal o meu destino de férias, e nada mais... tristemente :(
Imagem de perfil

De jonasnuts a 23.12.2013 às 21:01

Tiago..... o meu post é escrito na perspectiva duma mãe. Não quero cortar as asas ao meu filho, pelo contrário, quero que ele voe. Gostava era que ele pudesse voar mais perto de mim. Para que não fosse preciso vê-lo apenas quando ele vem cá passar férias.
Sem imagem de perfil

De Roberto a 26.12.2013 às 13:31

Os Portugueses têm que gostar de ser Portugueses e saber como melhorar as suas vidas em Portugal. A vida e igual em toda a parte do mundo. Eu próprio vivi nos EUA por 15 anos, estou de volta e daqui não saio! Nos temos que conhecer Portugal e descobrir qual o nosso talento e como podemos melhorar a nossa vida. Convido-vos a conhecer Portugal no www.Portugal351.com e peco que tenteis descobrir uma solução entre as nossas fronteiras.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 26.12.2013 às 15:07

E se fosses fazer publicidade mascarada de comentários para o raio que te parta?
Sem imagem de perfil

De ana lima a 13.01.2015 às 09:17

Sou portuguesa, emigrei sozinha aos 19, tenho 21... Desde adolescente sempre fui muito independente, trabalho desde os 14 seja voluntaria estagiaria ou trabalhadora normal. A minha mae nestas ultimas ferias q fui a portugal (so consigo ir duas vezes ao ano uma semana de cada vez) disse-me "eu sempre soube que tu largarias da minha saia cedo, nunca esperei foi que te perdesse da minha vista"... Chorei eu e chorou ela. É muito bonito dizer 'os jovens la fora aprendem e melhoram" era bom sim se fosse uma escolha. No meu caso nao foi uma escolha. Com 19 anos sentime obrigada a deixar o meu país pq me cansei dum frigorifico com apenas leite, dum armario de despensa só com arroz, atum e cafe, cansei desta permissividade com a pobreza do "isto esta mau pra todos" "o q importa é ser honesto" nao conheci tempo de vacas gordas, cresci com tudo medido e remediado. Nao é assim que pretendo deixar q os meus pais vivam a sua velhice

Comentar post






Arquivo