Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Automatic for the people

por jonasnuts, em 22.05.11

Não gosto de automatismos demasiados. Como em tudo na vida, as coisas devem ser usadas com alguma parcimónia.

 

Automatizar tudo, investir na palermice de achar que "as máquinas fazem as coisas, todas as coisas, melhor que o homem" é idiota. E, convenhamos, uma vez que não há limites para a estupidez humana, as máquinas são perdedoras à partida.

 

Não gosto de automatismos porque são impessoais. Não gosto de automatismos porque estes não são, na sua grande maioria, senão formas de automatizar as generalizações.

 

Quem é que gosta de receber um mail automático? Uma resposta automática a uma pergunta que, sendo frequente, é única, porque é nossa?

 

Não gosto de automatismos porque embrutecem. Valorizam o todo, desvalorizam a parte.

 

E são falíveis. Altamente falíveis.

 

NADA substitui o humano.Pode ajudar, facilitar, mas não substitui.

 

Qualquer coisa completamente automática é sempre meia. É sempre menos do que poderia ser se, para além do automatismo, integrasse o homem. De preferência um homem inteligente. Mas mesmo estúpido a coisa seria melhor.

 

Não gosto de generalizações nem de massificações. Não gosto de receber uma carta a dizer Caro(a) Senhor(a).

 

Atenção, não sou contra todos os tipos de automatismos, uso muitos e há-os úteis, muito úteis. Sobretudo quando o seu objectivo é facilitar a vida das pessoas. Se à partida o automatismo servir para substituir as pessoas, é uma merda. Porque não funciona, porque pode induzir as pessoas em erro.

 

Tenho muita pena das pessoas que acreditam nos automatismos puros. Tenho mais pena ainda das pessoas que trabalham em projectos de automatismos puros. Acredito vivamente que estas pessoas têm problemas graves de auto estima, e têm limites grandes na sua inteligência, porque não sabem pensar, e querem pôr as máquinas a fazer o trabalhinho de que não se acham capazes.

 

Automáticos? Não, obrigada.

Autoria e outros dados (tags, etc)



14 comentários

Sem imagem de perfil

De Arzebiu a 22.05.2011 às 21:21

Eu concordo.

Mas sabes, há uns dias estava num banco para ser atendido e dei por mim a pensar: "Porra, o bonequinho de braços abertos das caixas MB é mais simpático que estes gajos todos juntos."
Imagem de perfil

De jonasnuts a 22.05.2011 às 21:29

Pois, mas atender público é uma arte que não é para todos. Eu, por exemplo, NUNCA poderia fazer atendimento numa loja.
Nem isso nem ser professora. Não tenho jeito.
Sem imagem de perfil

De Marta Neves a 23.05.2011 às 12:44

Adooorei!
Sem imagem de perfil

De PALAVROSSAVRVS REX a 23.05.2011 às 16:01

Resumiria exactamente assim os últimos seis anos, minha cara.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 23.05.2011 às 16:04

Mas este não é um post político :)
Sem imagem de perfil

De PALAVROSSAVRVS REX a 23.05.2011 às 17:19

Eu sei, mas a vida toda é política. Pura e dura. lol
Sem imagem de perfil

De Ricardo a 23.05.2011 às 16:40

Este post faz-me lembrar os meus pensamentos quando surgiram as máquinas automáticas das portagens (aquelas que vieram tirar o emprego a muitos portageiros).
Aposto que muito boa gente já foi tratar da via verde, pois aquelas máquinas do inferno nunca funcionam à primeira.
Enfim, acho que é querer modernizar o que não precisa de ser modernizado. É só mesmo estarmos a andar para trás...
Sem imagem de perfil

De Walker a 23.05.2011 às 20:40

Dois comentários em tão pouco tempo, estou a ficar preocupado.
Relativamente a uma das respostas sobre portagens e vias verdes, pois eu enquanto não me obrigarem por um dos métodos automáticos, e apesar das filas continuo a pagar ao funcionário, bem sei que muitas vezes com MB mas se andamos à rasca, muitas vezes é por causa dos automatismos e não é por as máquinas lá estarem que as portagens baixaram. Assusta-me quando uma máquina com voz metálica me diz efectue o seu pagamento no fim diz obrigado mas nunca nos cumprimenta com um bom dia ou lá o que seja.

Segundo esta mensagem o teste ao produto Mia da empresa Lelo, vai para o galheiro. :)

Eu sou tal como a autora a favor de automatismos que não substituam em pleno as pessoas sem elas terem algum proveito com isso, (e agora como devemos sempre algo construtivo nas mensagens) adoro o automatismo para abrir o portão da garagem então nos dias de chuva "quase" que o amo.)

(O verificadores ortográficos dizem que galheiro é um erro? Raios partam os automatismos.)
Imagem de perfil

De rui.freitas a 24.05.2011 às 19:14

Cara ex-colega, estava eu a concordar consigo na abominação dos automatismos, que embrutecem, eis se não quando reparei que este blog "nasceu" em Maio, há seis anos. Por isso, e porque acredito na humanização interpessoal, deixo-lhe um beijinho de parabéns!
Imagem de perfil

De jonasnuts a 24.05.2011 às 19:16

Obrigada :)
Sem imagem de perfil

De Blondewithaphd a 25.05.2011 às 10:47

Subscrevo! Sociedade mais parola...
Sem imagem de perfil

De Sabrina Sato a 25.05.2011 às 11:00

Muitas tarefas podem ser feitas em automático melhor do que nós próprios fariamos. Por isso é que vemos paises muito mais competitivos uns que outros. Eles não trabalham no duro, trabalham de uma maneira mais inteligente.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 25.05.2011 às 11:26

Se o automático for complementar, concordo, se o automático for exclusivo, discordo :)
Sem imagem de perfil

De GatoPreto a 26.05.2011 às 15:00

Existe um automatismo no qual não confio, é o das passagens de nível, pois tem uma placa a informar como proceder em caso de avaria que a passagem fica sempre em fechado, como conseguem inventar algo que em caso de avaria fica fechado, essa parte também pode avariar, ou tem um automatismo para verificar o automatismo que verifica a que verifica a avaria?
Eu por mim, não ponho as vidas do meu carro em risco, uso o método ancestral das passagens antigas:
Pare, escute e olhe.
Se bem que no caso do Alfa pendular não funcione muito bem mas pronto.

Comentar post






Arquivo