Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Pedir ajuda

por jonasnuts, em 06.04.11

Esta é a expressão que parece estar na ordem do dia, e eu acho que os portugueses estão a ser enganados (nada a que não estejam habituados, mas mesmo assim).

 

Quando peço ajuda para qualquer coisa, parto do princípio de que a ajuda que me vai ser prestada é desinteressada, é fruto de amizade ou profissionalismo, que, a ser-me cobrada, o será em géneros, um dia, sem agendamento preciso, na base da reciprocidade da coisa.

 

Se procurarmos a definição de "ajuda" na Priberam, encontramos a primeira definição proposta:

"1. Acto! de ajudar; auxílio; favor."

 

Ora, o que eu acho, é que se for necessário recorrer a apoio externo do FMI ou do outro da União Europeia que tem muitos EE e de que nunca me lembro, não vamos estar a pedir ajuda, porque, o que nos vai ser prestado não tem características de ajuda. Não é desinteressado, não é um favor, não é grátis, enfim, não e ajuda. Pelo menos na primeira sugestão do dicionário.

 

Se virmos bem, a "ajuda" vai ter enormes custos, situação muito mais compatível com a segunda definição para a palavra "ajuda" proposta pela Priberam:

"2. Pop. Clister."
 

 

Esta, pode não ser a ajuda que vamos pedir, mas será certamente a que vamos receber.

Autoria e outros dados (tags, etc)



10 comentários

Sem imagem de perfil

De João Filipe Silva a 06.04.2011 às 15:39

Boas,

Este comentário poderia começar como tu mais gostas…(olá Maria José… :=))
Não vamos por ai… esse não é certamente o caminho.
Dos poucos comentários que já aqui deixei, todos tem a ver com as tags sobre as quais eu escrevo (não são muitas) como exemplo deixo 4:

1.Politica
2.Economia
3.A recuperação
4.Perfect Storm

A ultima já é uma divisão das anteriores e está muito relacionada com a 2ª e 3ª na maioria dos post’s…
Voltando à vaca fria…uma coisa é aquilo que eu julgo ser correcto, outra é aquilo que posso ter… e aquilo que eu posso ter está directamente relacionado com o meu comportamento e com os amigos a quem posso recorrer face às minhas necessidades.
Tendo isso em consideração acrescentei dia 15 de Dezembro de 2010 a TAG Perfect Storm.
Não te vou pedir para leres tudo, pois 20 Post’s até dá trabalho e é necessário paciência…
Mas não resisto a deixar 1 ou 2 perguntas.

1.Tendo em conta o comportamento de todos os partidos desde as últimas eleições legislativas os mercados financeiros estão a ser injustos com Portugal?
2.Vamos imaginar que foi a ti que saiu o ultimo euromilhões…(64 milhões de euros), investias o teu dinheiro para emprestar a Portugal? e a que preço?

Pois… é por estas e por outras que voto NULO (FMI) e não o faço com um sorriso nos lábios.
O que mais me chateia é que ao votar em qualquer partido político este recebe 12,60€ em 4 anos só com o meu voto!
E isso é areia a mais, certamente a culpa é minha que tenho uma camioneta pequena.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 06.04.2011 às 15:59

Lerei o teu blog, mas chamo a tua atenção para este post: http://manualdemauscostumes.blogs.sapo.pt/131829.html

Não é meu, não sou suspeita, mas diz lá umas coisas porreiras sobre o perigo de acharmos que a democracia é de borla :)
Imagem de perfil

De PortoMaravilha a 07.04.2011 às 21:05

Li a ligação para o blog citado e gostei. Obrigado pela info.

Penso que o populismo atual, quer de direita quer de esquerda, pode ser perigoso.

Já escrevi algures que a abstenção em Portugal só tem comparação com a antiga ex RDA. Dois países que atravesseram uma ditadura modelada em discursos diferentes. Após a primeira geração post ditadura, parece ter sido perdida a memória do passado.

É um caso de estudo.

Nuno
Sem imagem de perfil

De João Filipe Silva a 08.04.2011 às 15:16

Segui a ligação, obrigado pela informação blogs assim são sempre úteis.
Fala bastante sobre politica, tenho pena que não aborde tanto o estado da nossa economia e principalmente como poderemos dar a volta a isto!
Imagem de perfil

De jv a 06.04.2011 às 16:18

Qual ajuda qual quê...!

É o derradeiro ataque à soberania de um país e de um povo. Pelo menos a mim não me perguntaram, como cidadão português se queria aderir á então CEE e depois à moeda única. Agora estamos todos a pagar a factura e com língua de palmo.

Portugal tal como muitos países: Timor, Guiné-Bissau, Kosovo e muitos países africanos e asiáticos, não tem quiasquer condições para ser um país independente e por isso eu defendo um referendo nacional para Portugal passar a ser uma província espanhola. Os portuguesinhos só tinham a ganhar.

jv
Imagem de perfil

De jonasnuts a 06.04.2011 às 16:23

Os portuguesinhos talvez, os portugueses, na minha opinião, não.
Sem imagem de perfil

De LuisF a 07.04.2011 às 17:17

Sem dúvida a melhor síntese que já li acerca da "ajuda"... Sempre me irritou quando a retórica politico-mediática usa o termo...
Não seria melhor, "intervenção financeira externa"? É mais longo e mais chato de dizer. Mas não será mais "verdade"? Podia também chamar-se "invasão financeira"... (Antigamente usavam-se canhões, agora usam-se agências de rating. Visionamento recomendado: "Inside Job").
Sem imagem de perfil

De A.R. a 09.04.2011 às 12:42

Já não há heróis em que se possa acreditar... :(
Imagem de perfil

De jonasnuts a 09.04.2011 às 12:53

Pois não, está na altura de acreditarmos em nós :)
Sem imagem de perfil

De Rui Cruz a 16.04.2011 às 23:19

Subtil. Resumida. Adorei.

Rui

Comentar post






Arquivo