Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



O poder dos sobrinhos

por jonasnuts, em 21.05.10

Ultimamente tenho falado muito de sobrinhos.

 

Tenho falado dos sobrinhos bons, os meus, mas neste caso em específico vou falar doutro tipo de sobrinhos.

 

É aflitiva a forma pouco profissional e ignorante como certos "especialistas" aconselham os seus clientes no que aos novos meios de comunicação diz respeito. E a isto, quero juntar o conceito do "giro". Este é um post que ando para fazer há algum tempo, mas tem andado emperrado, claramente à espera da conjugação dos astros, parece que estão alinhados hoje.

 

E alinharam-se graças à Mitsubishi, com a ajuda da Sarrafada.

 

 

Quanto dinheiro foi gasto nesta campanha? Não sei, mas sei que os outdoors não são baratos.

 

Quem é que propôs esta campanha ao Cliente?

 

Ou, tendo sido proposta do Cliente, quem é que lhe disse que sim e não o alertou para o facto desta campanha não ter pés para andar? Uma campanha que viola os termos de utilização da maior rede social do mundo, e que por sinal é conhecida por ser violenta na aplicação desses termos de utilização e protecção da sua imagem, não tem pés para andar. O que é que leva uma agência e um cliente a investirem numa campanha que mais tarde ou mais cedo vai rebentar, porque o perfil vai ser removido?

 

"ADENDA: O JC chamou-me a atenção, nos comentários, para o endereço que foi impresso no outdoor. Falta-lhe o .com. Em cima de tudo o resto, gastaram um dinheirão a comunicar um endereço que não existe :) É a cereja no topo do bolo."

 

Mais, qual foi o argumento para vender isto ao cliente? Qual é a estratégia por trás da campanha?

 

Eu aposto que os argumentos foram: O Facebook está na moda, vejam as estatísticas (americanas, claro), há milhões de utilizadores, dá ideia de modernidade e é giro.

E deve ter ficado por aí.

 

Há uns anos, trabalhava eu numa agência de publicidade, tentei chamar a atenção para a Internet, dizendo que devíamos investir recursos na aprendizagem deste novo meio. Bem sei que foi há muitos anos (15, mais coisa menos coisa), mas é assustador ver que, depois destes anos todos, está tudo mais ou menos na mesma.

 

Não há pessoas competentes e com know-how nos sítios onde deveriam estar. As agências (e os Clientes, já agora) não sabem criar nem produzir para o online. Continuam a criar como se estivessem num meio tradicional. Anúncios de jornal ou spots de televisão. Muito flash (é assustador ver a quantidade de sites institucionais feitos exclusivamente em flash, lá está, porque é giro, mas que não são depois apanhados pelos motores de pesquisa - que não consegue penetrar no flash - e que consome imensos recursos e largura de banda, e que não é lido por muitos browsers, já para não falar daqueles que, como eu, têm inibidores de flash, e só vêem os conteúdos em flash se lá clicarem. Enfim, ignorância e incompetência, mas cobrada a bom preço.

 

Depois também temos, para ajudar à festa, os auto-intitulados, gurus. Os que se apresentam como especialistas, sendo que de especialistas têm muito pouco, são habitualmente curiosos da coisa, com a tradicional chico esperteza tuga.

 

E, para último ingrediente deste cocktail, temos os vendedores de publicidade online que são, isso mesmo, vendedores de espaço. Tanto podiam estar a trabalhar no online como no papel, são vendedores de espaço, sem a mínima noção de que o meio que estão a vender tem idiossincrasias próprias que podem ser exploradas e que, bem geridas, são uma mina. Dá mais trabalho do que vender espaço? Certamente, muito mais, que isto de vender num meio interactivo não termina quando a coisa está impressa, pelo contrário, começa aí.

 

Tudo isto junto dá a actual situação do mercado publicitário online em Portugal. Na maioria dos países, enquanto os números da publicidade nos meios tradicionais desce vertiginosamente, os números da publicidade online crescem. Em Portugal, tanto quanto sei, os números da publicidade online acompanham os restantes meios na descida.

 

Há 2 anos, quando se começou a falar na crise, eu disse que a crise ia ser uma oportunidade para o online. Não estava errada, mas aparentemente deveria ter nascido noutro país.

 

Continuamos a fazer coisas giras, fashion, e pouco eficazes.

 

O que me leva ao ponto inicial, o dos sobrinhos. O meu sobrinho mais velho (7 anos) saberia programar campanhas com mais interesse do que muitos profissionais e gurus que por aí andam.

 

O que só confirma a minha afirmação inicial, os meus sobrinhos são dos bons. Aliás, são os melhores sobrinhos do mundo.

Autoria e outros dados (tags, etc)



33 comentários

Sem imagem de perfil

De Piolho Sintético a 21.05.2010 às 10:21

Falta apontar mais um defeito à campanha / aos outdoors: o endereço está errado, falta o ".com" ;-)
Imagem de perfil

De jonasnuts a 21.05.2010 às 10:22

LOL! Mais essa :)

Portanto, mesmo que a campanha não estivesse condenada à partida, tinham gasto um dinheirão a comunicar um endereço de que dá um page no found.

É a cereja :)
Sem imagem de perfil

De João a 21.05.2010 às 12:08

Apesar de concordar com tudo o que foi dito, tenho de discordar em relação ao link:

www.facebook/novoasx

pelo menos no meu computador foi parar ao sítio certo.
Sem imagem de perfil

De Marco a 21.05.2010 às 12:30

O Firefox "adivinha". O IE (8) e o Chrome não conseguem - o que faz sentido, visto que está errado.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 21.05.2010 às 13:29

É verdade, no meu, agora, também vai.

O que é ainda mais estranho, na medida em que é necessária a intervenção do Facebook para que isto aconteça.
Imagem de perfil

De pedrocs a 22.05.2010 às 01:15

Isso é porque o browser tem uma barra de endereço que tenta corrigir erros do utilizador desse tipo.


O URL não deixa de estar errado e há muitos browsers em que não vai funcionar.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 21.05.2010 às 10:27

Editei o post e acrescentei-lhe o teu input (creditado, obviamente) :)
Sem imagem de perfil

De Arzebiu a 21.05.2010 às 10:44

Também podiam ter aproveitado e ter posto a mensagem em PT.
Sem imagem de perfil

De Marco a 21.05.2010 às 11:32

Pequena correcção: pelo menos a Google indexa conteúdos em Flash. Mas, sim, sites 100% Flash é um disparate.
Sem imagem de perfil

De Phil a 21.05.2010 às 12:05

Tal como referes, numa altura para boas oportunidades, não tens a sensação que nunca se fez tanta má campanha de marketing como agora...

Ora são as vuvuzelas, ora são as covers de músicas com a letra alterada, ora são os anúncios que nos tentam vencer pelo cansaço com feellings e afins...

E depois há outro problema...se a malta que trabalha nas agências, se calhar devia ter ido para outra área...não nos podemos esquecer que também os clientes gostam muito de achar que percebem bastante de marketing e gostam de impôr as suas ideias aos supostos criativos. As agências como no fim, recebem o seu, não estão para se chatear...
Imagem de perfil

De jonasnuts a 21.05.2010 às 13:28

Pois, mas do que as agências se esquecem (ou, pir, não sabem), é que neste meio o sucesso duma campanha é eficazmente medido. Não é como nas audiências de rádio/tv, ou anúncios de imprensa, ou de mupis e outdoors.

Uma má campanha de outdoors não se consegue distinguir de uma boa campanha de outdoors. Não há formas de medir.

Neste meio, a medição é exacta, a mais exacta de todas. E os clientes não são burros, mais tarde ou mais cedo vão paerceber-se que andaram a ser enganados ou, na pior das hipóteses, aconselhados por incompetentes.
Sem imagem de perfil

De Phil a 21.05.2010 às 12:16

Oh my...o que eu fui descobrir:

http://www.novo-asx.com/

Sem comentários...como é possível alguém aprovar estas coisas...ter a ideia, já é preocupante...alguém aprovar essa ideia é que me deixa verdadeiramente preocupado.
Sem imagem de perfil

De Miguel a 21.05.2010 às 12:39

Ao menos nesse site o endereço para o facebook está correcto... :)
Imagem de perfil

De jonasnuts a 21.05.2010 às 13:31

Peraí, que só agora é que eu vi isto e das duas uma:

Ou o Facebook vende a possibilidade de flexibilzar os seus termos de utilização, e a utilização da sua imagem.

Ou os gajos da agência são MUITO mais incompetentes do que eu pensava (e eu já achava que eles eram muito incompetentes).

Confesso que não sei bem qual das duas hipóteses eu prefiro.
Sem imagem de perfil

De Phil a 21.05.2010 às 13:34

Repito...como é possível alguém aprovar estas coisas?
Imagem de perfil

De Claudia Borralho a 21.05.2010 às 12:21

lol e eu olhei para o outdoor e pensei: "o add as friend do facebook??? um bocado parvo, não? e olha que ao menos podiam ter refeito o botão para não estar para ali uma coisa feiosa toda pixelizada... vê-se mesmo que foi copiado do site e colado ali..."
Imagem de perfil

De Patricia a 21.05.2010 às 14:05

Não queres ser tu a convencer o Sapo a deixar de vender "espaço"? ;) Talvez um empurrãozinho vindo de "dentro de casa"...
Já tentei muito e não consegui! E tanta coisa boa que se podia fazer aí se não me vendessem só "espaço" :D
Imagem de perfil

De jonasnuts a 21.05.2010 às 14:07

Os meus "debates" com a equipa comercial são épicos e duram há 10 anos.

Acho que, neste caso, os empurrões vindo de dentro de casa são contraproducentes :)

Mas, se quiseres falar em casos específicos, podemos continuar a conversa no mail :)
Imagem de perfil

De Patricia a 21.05.2010 às 18:12

Deixa-me ver bem o que tenho em mãos... e se for o caso já te chateio ;)

BTW... acho que já não me gramam muito aí dentro ehehe
Imagem de perfil

De Eduardo a 21.05.2010 às 14:20

Conhecendo um bocado o que vai naquela cabecinha dos criadores do Facebook não me admirava que tivessem autorizado desde que o pagamento fosse bom.


Mas no fim do dia, o que me interessa e é mais relevante é que a porcaria do carro é horripilante. Isto de quem criou o Evo e o Pajero... tssk tssk.
Sem imagem de perfil

De Antonio a 21.05.2010 às 14:32

O que é certo é que voces estão todos rebarbados a falar sobre o assunto, não é esse o objectivo da publicidade???
Sem imagem de perfil

De Phil a 21.05.2010 às 14:38

Sim e não...

Não entrei no Facebook do Sr. automóvel e tão pouco vi as características do carro (fechei logo a janela) e ainda terei menos interesse em comprá-lo...

Agora pergunto eu...será que a campanha resultou mesmo? Não basta o buzz...é preciso vender...
Imagem de perfil

De jonasnuts a 21.05.2010 às 14:50

Não, não é esse o objectivo da publicidade :)
O objectivo da publicidade é vender.

E aquela máxima de que qualquer publicidade é boa publicidade, nos dias de hoje, já não é verdade :)
Sem imagem de perfil

De Hugo Dom. a 21.05.2010 às 14:45

Post um pouco arrogante. De facto existe má publicidade no nosso país, mas tenho visto coisas mt piores lá fora! 
E desculpe-me autora do blog, mas este post tresanda a chuico-espertismo (da própria autora). 
Imagem de perfil

De jonasnuts a 21.05.2010 às 14:55

Hum.... não é a primeira vez que me dizem que sou arrogante, pelo que deve haver por aí alguma verdade, mas, nesta questão, não é relevante.

O argumento de que "não somos assim tão maus, porque já vi pior lá fora" é, desculpe-me, idiota.

Então porque os outros fazem mal, nós também podemos fazer? A incompetência dos outros justifica a nossa?

Seja como for..... se há tão boa publicidade em Portugal (e esta á uma área que eu conheço MUITO bem há MUITOS anos), explique-me lá porque é que se contam pelos dedos das mãos os prémios recebidos em Cannes?

Ou, explique-me lá porque é que a grande maioria da publicidade divulgada em Portugal é feita internacionalmente e adaptada para português?

Porque é que Portugal não é uma potência de criatividade publicitária, já que somos assim tão bon?

E porque é que o meu post é chico-esperto? :)
Sem imagem de perfil

De Phil a 21.05.2010 às 23:59

Já agora...também faço a pergunta...porque o post é chico-esperto? Explique lá isso melhor...

E se há coisas más, lá fora...consegue nomear coisas positivas em Portugal?

Comentar post


Pág. 1/2






Arquivo