Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Sair do país com menores

por jonasnuts, em 19.04.10

Muitas pessoas vêm a este blog por causas dos resultados das pesquisas que fazem (atenção, que este "muitas" é relativo, pois claro). Há os clássicos Playboy e Ensitel e há outro que está no top 3 dos acessos por keywords, que é um post que escrevi, em Dezembro de 2008, relatando as minhas dificuldades burocráticas em sair do país com o meu filho, e estranhando o facto das burocracias serem diferentes para pessoas casadas e para pessoas solteiras. Aparentemente a procura é grande, e deve haver mais gente com a mesma dificuldade burocrática, enfim, aterra ali muita gente, mas não comentam. A maioria, pelo menos.

 

Mas, felizmente alguém contrariou essa tendência e deixou-me um comentário que eu acho que não pode ficar escondido numa caixa de comentários de um post com mais de 1 ano. A sério. É que vale mesmo a pena. Vejam lá se não vale:

 

"Não seria justo se solteiros e casados tivessem os mesmos direitos. Quando uma pessoa casa, mostra à sociedade que é decente e que é capaz de estabelecer um compromisso com alguém. Logo, é normal que sejam mais respeitados."

 

Gosto de imaginar que o comentário é irónico, mas temo o pior. Há mesmo uma alminha que, no Portugal do século XXI pensa desta forma.

 

E depois ainda me perguntam porque é que eu sou arrogante, e porque é que eu sou nariz empinado, e porque é que eu voto em branco......

 

Pelo menos ainda não perdi o sentido de humor, e estes caramelos ainda me dão para rir.

 

Ainda.

Autoria e outros dados (tags, etc)



18 comentários

Sem imagem de perfil

De Arzebiu a 19.04.2010 às 13:04

Isso faz-me lembrar uma voz rreligiosa já com uns belos anos nas pernas. Pergunto-me o que ela acharia de casamento só pelo registo. :)

Há mentalidades que custam a mudar, outras nunca mudam...
Imagem de perfil

De jonasnuts a 19.04.2010 às 13:06

E porquê uma "ela"?

A verdade é que não sei se é um ele se é uma ela, mas assina como se fosse um ele :)
Sem imagem de perfil

De Arzebiu a 19.04.2010 às 13:16

Ela, a "pessoa". :)


Mas sim, disse ela porque me fez lembrar umas senhoras que conheço.
Sem imagem de perfil

De Artur Anjos a 19.04.2010 às 13:05

Só te ris com isto porque és indecente! :-)
Imagem de perfil

De jonasnuts a 19.04.2010 às 13:07

Indecente, mãe, solteira, enfim, um poço de pecados..... :)
Sem imagem de perfil

De Miguel a 19.04.2010 às 13:49

... lol ... Estou a tentar arranjar algo interessante para dizer, mas fiquei tão aparvalhado com esse comentário que postou que está difícil... 
Acho que me fico pelo "lol"!xD


(sim, sou um jovem vitima destas expressões da moda..=P)
Sem imagem de perfil

De I. a 19.04.2010 às 14:26

Sinto-me insultada. Não admito que presumam que só porque me casei sou uma pessoa decente. Se continuam com essas bocas divorcio-me já. Ai, ai, ai, ai, ai!
Imagem de perfil

De jonasnuts a 19.04.2010 às 14:28

Ah pois é.

Casaste? És decente. Mais nada. :)
Sem imagem de perfil

De BlueEagle a 19.04.2010 às 22:43

Com a % de casamentos que terminam em divorcio cada vez a aumentar tenho para mim que quem casa é   mais indecente do que quem não casa! :P
Isto dos casamentos por registo só "valerem" quando é feito o casamento religioso é uma grande treta, e ainda mais, os próprios baptizados.


Só fui baptizado aos 6 anos e por muita pressão dos avós, que pelo pai e pela mãe ainda não mo tinham feito hoje, na altura quem era para ser meu padrinho nem tinha nenhuma comunhão feita, o sr. padre disse logo "Alto lá! não pode ser" no fim acabou por se assinar um papel que assim que surgi-se a oportunidade o meu padrinho iria fazer a tal comunhão. "infelizmente" tal oportunidade ainda não surgiu.
O que isto me disse é que esta treta da igreja é uma espécie de partido politico, se veêm que um "votante" vai a fujir arranjam logo maneira de o agarra mesmo que tenham de contornar a "lei".


Bom e já estou a falar de coisas que não têm nada a ver :P
Sem imagem de perfil

De catarina campos a 20.04.2010 às 01:41

Como li primeiro o post ali de cima sobre blogs e mais os links que falavam, entre outras coisas, de vernáculo e como precisei deste prólogo para respirar fundo e não deixar algum desse tal vernáculo nos teus comentários, era isto, acabei o comentário. 


(mas continuo com vontade de afogar a pessoa que escreveu isso em bolo de noivos) 




Sem imagem de perfil

De António Bento a 21.04.2010 às 15:01

Não deixa de haver uma certa razão no que esse senhor disse. Eu, por exemplo, quando quebro o compromisso com a Gillette e fico com barba de dois dias, sinto que não sou respeitado como deve ser. Aos cinco dias, se tirar a camisa fora das calças já há quem me dê esmola. Aos dez dias já não saio do país sem suspeitarem que sou um terrorista, e o porteiro da escola não me deixa levar a minha filha. Os compromissos são para assumir, sob pena de perdermos a decência.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 21.04.2010 às 21:15

Verdade, mas o casamento não é a única forma de celebrar um compromisso :) Essa é a minha questão.

Eu vivo com o meu namorado. O compromisso que temos, ambos, não é menor face a qualquer casamento.

Certo? :)
Sem imagem de perfil

De António Bento a 22.04.2010 às 00:55

Precisas perguntar?
Eu tenho filhos (com quem tenho um compromisso vitalício que não precisa papéis), não sou casado, já fui, mas não com a mulher com quem tive filhos, mas também não vivo com a mulher com quem tive filhos, sou um compêndio de indecências. Ah, e ando muitas vezes com barba de três dias.
Quando me comprometo é a sério, e ainda não quebrei compromissos numa relação - também é verdade que nunca me comprometi a aturar merdas nem faltas de respeito, e é por isso que as coisas às vezes têm um fim.
Mais; ao longo da vida fiz muitos contratos, assinados e reconhecidos, e muitos acordos com um aperto de mão. Falharam-me inúmeros contratos e apenas um acordo, porque as pessoas, quando têm palavra e decência, não precisam de papéis para o demonstrar - cumprem.
Não é  um papel ou um acto isolado que definem um compromisso ou a decência - era demasiado fácil -, é o que se faz todos os dias durante uma vida.
Portanto, e já que "perguntaste": certo : )
Sem imagem de perfil

De Guida a 21.04.2010 às 21:09

Ainda bem que no cartão do cidadão já não aparece o nosso estado civil, senão acho que tínhamos que aturar muito mais vezes esse tipo de comentários! Aqui há uns tempos numa clínica fizeram-me uma série de questões para preencher a minha ficha de utente. Quando chegámos à parte do "é casada?" respondi com a pergunta "em termos legais ou na prática?". A senhora olhou mt séria para mim e disse "ah... deixe estar que isto não é importante". E pronto, acabaram-se as perguntas! mas tinha curiosidade de ver o que ela pôs nesse campo e se não é importante, pq é que nos perguntam!
Sem imagem de perfil

De Jose Luis a 23.04.2010 às 07:30

Só te ris com isto porque és indecente!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 03.05.2010 às 08:16

Já que o pessoal casado acaba por pagar mais impostos,  pelo menos que haja alguma coisinha onde fiquem a ganhar alguma coisinha, senão daqui a pouco o casamento só interessa mesmo ao pessoal "alternativo e alegre".
Imagem de perfil

De jonasnuts a 03.05.2010 às 09:27

Depende dos casos, porque há uma coisa chamada coeficiente conjugal que eu ainda não sei para que é que serve e que ninguém me sabe responder (http://jonasnuts.com/37037.html).

Conheço até quem se tenha casado por ser mais interessante do ponto de vista dos impostos :)

Comentar post


Pág. 1/2






Arquivo