Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Ir à bola

por jonasnuts, em 25.03.10

Sou Benfiquista. Sempre fui. Antes de nascer já era sócia, depois tiveram de trocar o nome, porque estavam à espera de um João Maria e saí eu, uma Maria João. Portanto, era inevitável.

 

E isto é uma coisa que se passa aos filhos. Não baptizei o meu filho, ele que escolha a religião que quiser, quando tiver idade para o fazer, enfim, as escolhas, em todos os campos, são dele, mas não no campo desportivo, aí só tem uma opção, e é inapelável e irrevogável, ser Benfiquista não é uma opção, é assim que somos, obrigatoriamente. É de família (embora nem toda a minha família fosse do Benfica, tive uma avó lagarta, mas era a excepção).

 

Para consolidar o espírito Benfiquista do puto é preciso trabalhar. Fartei-me de lhe dizer que o Benfica tinha sido campeão, mesmo e anos em que isso não aconteceu, quando ele não tinha idade para obter a informação doutra forma :) Neste tema não faço prisioneiros, e uso todos os argumentos. Enfim, sou uma política, desportivamente falando.

 

Mas, no meio de tanto trabalho, ainda não fiz algo que considerava imprescindível para esta consolidação ou confirmação. O puto ainda não foi à Luz ver um jogo do Glorioso. Não é por falta de tempo, nem de dinheiro, eu até sou sócia, pelo que os preços são mais em conta. O problema é que eu sou Benfiquista mas também sou mãe. E eu sou maluca, mas não sou estúpida.

 

Não levo o meu filho a ver um jogo de football no estádio. O risco da coisa dar para o torto é cada vez maior, e mesmo que não nos acontecesse nada a nós, a perspectiva de ter uma cena de pancadaria ali ao pé, ao vivo e a cores, não me agrada.

 

Ah, porque és super protectora, ah porque mais tarde ou mais cedo ele vai ver essas coisas, ah, porque quanto mais cedo ele for confrontado com a realidade melhor.

 

Uma merda. Sou super protectora sim e até acho que tenho feito nesse campo um trabalho razoável, porque se eu achasse que ver porrada lhe fazia bem deixava-o ver rodos os programas de televisão que ele quer, ou começava a dar-lhe porrada desde cedo, para o ajudar a perceber que a vida é mesmo assim, e que passamos a vida a levar porrada.

 

Tenho pena, mas enquanto não achar que estão asseguradas as condições de segurança que eu considero mínimas para o meu filho e para mim, não vou à bola.

Autoria e outros dados (tags, etc)



17 comentários

Sem imagem de perfil

De Pedro Aniceto a 25.03.2010 às 11:45

Serve um camarote? Entramos pela garagem, ele não vê ninguém e tem aquele "baque"? ;) Vai ficar sem ver as bifanas e os couratos, o que é uma treta... ;)
Sem imagem de perfil

De António Bento a 26.03.2010 às 10:05

Camarote, hã? Também pode ser pedagógico. Quando começar a porrada nas bancadas, e o puto perguntar o que é aquilo, sempre podem dizer; "ah, filho, aquilo ali em baixo é uma coisa que se chama "o povo"" : )
Sem imagem de perfil

De filmeskeuvi a 25.03.2010 às 12:14

Antes de mais... Coitada da criança, mas... sempre é mais fácil desistir de ser sócio de um clube do que abandonar uma religião, segundo vi outro dia numa reportagem


Agora eu como adepto e frequentador regular do Estádio de Alvalade à muitos e belos anos, posso dizer que é mais do que normal ver lá os país com as crianças, e acho que hoje em dia em 99% dos casos tudo corre bem.
Eu não sei quantos jogos já vi na vida, possivelmente uns 500 e nunca tive qualquer problema.


Mas é como tudo na vida, podemos ter o azar de estar no local errado na hora errada. (como o coitado do Sporting na final da taça com o Benfica)
O conselho é não ires ver um jogo entre grandes, onde a probabilidade de acontecer qualquer coisa é 0%


Alias não me lembro de ver  os chamados Hooligans a comer crianças ao pequeno almoço.. isso é com os outros..
Imagem de perfil

De jonasnuts a 25.03.2010 às 12:16

Não tenho medo que me ataquem ou ao puto, tenho medo que caia qualquer coisa atirada sabe-se lá de onde, tenho medo que uma cena de pancadria descambe e invada o sítio onde eu estou.

Quanto a não ir ver um jogo de grandes, talvez eu me tenha explicado mal, eu quero levar o puto a ver um jogo do Benfica, portanto, seja qual for o adversário, haverá sempre não um grande, mas O MAIOR a jogar :)
Sem imagem de perfil

De António Bento a 25.03.2010 às 13:45

As pessoas nunca estão contentes. Um amigo meu até gostava que vendessem bilhetes para o túnel : )
Sem imagem de perfil

De Luz a 25.03.2010 às 14:03

Oh, eu particularmente não encaro isso como super-proteção, mas como sensatez. É sensato evitar de expor nossos filhos à determinadas situações, antes do tempo em que sentimos, como mães, que eles estão prontos. Acho que um dia vc vai sentir: agora chegou a hora de levá-lo para conhecer a emoção de ver ao vivo! Sei lá, acho que isso é coisa de mãe, e penso que é para isso mesmo que existimos, para trabalhar esse tipo de questão na vida de nossos filhos, enquanto eles não o podem por si mesmos. É ser uma mãe inteligente, sensata, lúcida e enfim, responsável. Eu faço o mesmo com minha filha em outras questões, e não encaro como super-proteção, mas como estar desempenhando o papel que me cabe mesmo. :-)




Sem imagem de perfil

De tartofs a 25.03.2010 às 14:11

Aqui está presente o verdadeiro estigma criado pela comunicação social ao adepto.

O futebol não é, nem está assim tão negro como o "pintam". Antigamente, quando o meu pai me levou pela primeira vez à Luz, os estacionamentos eram descampados, fazia-se o túnel de pés no ar, 120 mil pessoas de pé, e "jaziam" encostados 150 agentes.

Hoje o futebol faz-se sentado, com estacionamentos à porta, segurança por todo o lado e na regularidade mais de 200 adeptos.

Um facto, eu estive 5 horas em Faro este fim de semana e mais de duas horas e meia nas imediações do estádio do Algarve, sabem quantas confusões vi? ZERO

Não generalizemos, ir ao futebol, a meu ver, hoje em dia é é bem mais seguro que há 15 anos atrás, muito mais!

Deixo a minha óptica de adepto, se fizer favor leia e que se perceba melhor o adepto http://in-utilidades.com/2010/03/a-optica-do-adepto-taca-da-liga-2010/

Cumprimentos,
Ricardo

P.S.: Leve o seu filho ao futebol, sério, é bom mostrar as realidades com "moderação" às crianças, fá-las crescer! Penso eu de que!
Sem imagem de perfil

De tartofs a 25.03.2010 às 14:14

ERRATA:

Onde está 200 adeptos é para ler 200 agentes :)
Imagem de perfil

De jonasnuts a 25.03.2010 às 14:17

Eu tinha percebido :) Mas obrigada pela correcção.

Eu sei que é seguro, na maioria dos casos. E conheço quem leve a miudagem ao football, mas e se me toca o galo de, precisamente no dia em que eu vou, a coisa descamba? É que cada vez mais há descambadelas.

E, se esteve em Faro, pode não ter visto nada nas imediações, mas terá de ser muito distraído para não ter visto as cadeiras a voar dentro do estádio, durante o jogo :)
Sem imagem de perfil

De tartofs a 25.03.2010 às 14:46

Uppsss... Pois claro que vi, na bancada oposta, de onde voaram na volta de uma centena de pedaços de plástico que pesam 100gr, que do meio da bancada só um Hércules consegue fazer chegar o objecto ao relvado! eheh (joke)

Também trouxe ao assunto uma final, que são jogos que tem especificidades completamente diferentes. Vou ser sincero, a primeira final que vi no estádio nacional foi um Beira Mar - Campomaiorense e sou sincero, não me estava ali a ver naquela mata num Benfica - Porto, muito menos acompanhado por um filho meu, criança vá.

O cerne do seu post eu entendi perfeitamente, só não acho que devemos generalizar os casos com os factos. Um jogo da Liga é uma festa bem diferente e muito mais amigável.

Minha cara, siga o conselho (ou convite) do caro Aniceto! :)
Sem imagem de perfil

De Dextro a 25.03.2010 às 14:24

Eu estou como alguém disse aqui antes: as coisas não estão assim tão mal como as pintam. Ir ver um jogo com um dos clubes mais pequenos costuma ser tranquilo. Já fui esta epoca ver o Leiria e o Maritimo (este ultimo um belo balde de agua fria, raios partam o autocarro) e correu sempre tudo bem. Habitualmente só em jogos com mais tensões á flor da pele (porto, sporting, braga, espanhois, franceses) é que as coisas descambam.
Imagem de perfil

De aespumadosdias a 25.03.2010 às 18:47


Era giro que ele mudasse de clube quando começar a perceber mais de futebol.
Eu mudei.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 25.03.2010 às 19:43

Neste caso, não é uma opção :)
Sem imagem de perfil

De credito consolidado a 25.03.2010 às 23:36

Pois, este ultimo jogo com o Porto foi mesmo uma desgraça. Violência ao maximo, e não foi só fora do campo, dentro do campo a coisa também esteve muito animada.
Também já senti mais vontade de ir ver jogos ao estádio, agora nada como o sossego e segurança do lar.
Sem imagem de perfil

De Alexandre Kulcinskaia a 26.03.2010 às 09:08

Acho que fazes bem, mas experimenta leva-lo a um jogo de menor importância, com uma equipa pequenina ou então para o ano leva-o a um jogo da Taça ou da Liga com uma daquelas equipas de 3ª divisão.
Normalmente nesses jogos nunca há problemas nem porrada.
Ou então um jogo de pré-época.
Tem é de ser na Luz, para ele sentir a imponência

Comentar post


Pág. 1/2






Arquivo