Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Sim, é mais um post sobre o conflito de consumo que tenho com a Ensitel.

 

Segui as instruções da advogada e escrevi à Ensitel a expor a situação e a denunciar o contrato e a dar um prazo (razoável) para a devolução do valor pago pelo telemóvel. Cartinha registada e com aviso de recepção. Recebi uma resposta com mais material dissuasor, e as regras da Nokia, e os danos devido a mau uso e mais bulshit do mesmo estilo. Respondi de volta, informando que não havia nenhum dano no telemóvel passível de ser associado a uso indevido. Fiquei sem resposta, claro.

 

A advogada já me tinha dito que seria pouco provável conseguir a resolução por esta via, mas recomendou-a na mesma, de forma a que num tribunal se verificasse que eu tinha tentado todos os meios, antes de recorrer à via judicial.

 

O passo seguinte, ainda na mesma perspectiva, foi expor a situação ao Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa. Lá fui ontem, à hora do almoço.

 

Dizem-me que a Ensitel tem um protocolo com o Centro em como aceita à partida todos os pedidos de mediação. Deixei cópias de toda a documentação e disseram-me que, rapidamente se resolveria o problema.

 

Quanto tempo é que demora esse rapidamente? Um mês e meio, dois meses. É engraçada a subjectividade do conceito de rapidez. 2 meses é uma eternidade. são 2 meses (mais os outros dois que quase leva este assunto) em que não vou poder usar um equipamento que comprei. Mas dizem-me que aí, nada a fazer. Vou fazendo posts.

 

A ASAE já me escreveu, na sequência das reclamações que apresentei. Dizem que estão a estudar o assunto.

 

A Ensitel tem o aparelho do seu lado. Os prazos, o tempo que demoram os processos, os trâmites legais. Pensando bem, eu já andaria feliz da vida a usar o meu telemóvel novo há muito tempo, se o pusesse a arranjar na Nokia. É com isso que a Ensitel conta.

 

Vejo mais pessoas com o mesmo problema, pode não ser a mesma avaria técnica, mas é o mesmo tipo de atitude da Ensitel, de descartar responsabilidades, e de lavar as mãos dos problemas que criou aos seus clientes. Vejo também que, como eu, mais pessoas querem exactamente a mesma coisa. Extinguir a relação comercial que as une à Ensitel. Quem trata assim os seus clientes não deve admirar-se com o facto destes quererem fugir o mais rapidamente possível de qualquer relação com a empresa.

 

 

(Veja também Ensitel take 1, Ensitel take 2, Ensitel take 3, Ensitel take 4, ou salte directamente para o Ensitel take 6)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



40 comentários

Imagem de perfil

De Pedro a 09.04.2009 às 20:04

Depois desta saga toda, qualquer desfecho que não passe por um "exposé" na TVI ou no "Nós por cá" vai ser um let down... Se a coisa ficasse resolvida da noite para o dia na Arbitragem ia ser um bocado anti-clímax ;-)
Imagem de perfil

De jonasnuts a 09.04.2009 às 20:19

Eu quero devolver o equipamento e quero o meu dinheiro de volta. Se é na arbitragem, nos tribunais, na loja ou na mercearia, é pouco importante :)
Sem imagem de perfil

De Mario Martins a 31.12.2010 às 21:25

Exma Sra, li o seu blog e acho que tem toda a razao, em reclamar. Habito na Suica ha 22 anos, e um caso como o seu aqui, nao acontece, as emprezas sao correctas. Adoro o meu Portugal, pois a terra nao tem culpa, dos maus politicos e gestores, que temos. Nao sao capazes de fazer as grandes emprezas respeitarem as leis, nao sao capazes de administrar, os dinheiros publicos, nao sao capazes de nada, que nao seja defender os interesses deles e dos partidos. Sinto- me triste pois gostaria de ver o meu Portugal,com prestigio no
Mundo e nao como pobres de espirito, que tiveram prestigio nô passado, mas zone e o que se ve. Os meus cumprimentos para si, e os meus parabens por ter ido ate ao fim. Se fossemos topos como a Sra, teriamos talvez outro Pais.
Sem imagem de perfil

De alexandra a 15.04.2009 às 16:27

mas porquê que o telemovel não ficou para arranjar na própria loja logo desde inicio...? Se realmente tem riscos não pode ser trocado mas pode ser reparado...certo???? Onde está agora o telemovel?? A devoluçao pode ser sempre feita em 7 dias.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 15.04.2009 às 16:43

O telemóvel não deveria ter ficado a arranjar, deveria ter sido substituído, na hora. Não tem nenhum risco.
O telemóvel está em minha casa, guardadinho dentro da caixa, e dentro dos plásticos.
Sem imagem de perfil

De Paulo Quintela a 16.04.2009 às 20:15

Tenho um conflito semelhante a correr co CACC de Lisboa mas contra a Sapo. Têm feito de tudo para evitar o julgamento mas água mole em pedra dura...
Imagem de perfil

De jonasnuts a 16.04.2009 às 21:10

SAPO acesso, presumo.
Sem imagem de perfil

De Paulo Quintela a 16.04.2009 às 21:41

Precisamente, PT holding.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 16.04.2009 às 22:03

É onde eu trabalho.

Quer que eu tente dar uma ajuda a resolver o problema?

(Não é a minha área, eu trabalho no SAPO Portal, mas caramba, é a mesma empresa :)
Sem imagem de perfil

De Paulo Quintela a 16.04.2009 às 22:38

Agradeço a sua disponibilidade mas na fase a que chegámos, pretendo que o caso chegue mesmo a julgamento. Os valores envolvidos andam em torno de 200 €, nada que justifique o recurso ao cível portanto, mas suspeito que haverá muitas centenas de clientes na mesma situação, pelo que, por razões de cidadania gostava de ver isto julgado. A situação está descrita em vários artigos do meu blog, se quiser inteirar-se...be my guest.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 16.04.2009 às 22:40

Compreendo a sua postura, provavelmente seria a minha :)

Se precisar de alguma coisa, e só dizer. Boa sorte.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 12.05.2009 às 02:26

"as contra a Sapo"

É O SAPO!

é um acrónimo para Serviço de Apontadores Portugueses Online.

De onde é que este pessoal saca a SAPO?
Imagem de perfil

De jonasnuts a 12.05.2009 às 09:26

Não sei.....confesso que não sei, mas são mais as vezes que oiço dizer "a SAPO" do que as que oiço dizer "o SAPO".

E também não percebo. Comunicamos O SAPO, somos UM portal, UM serviço, UM acesso. É esquisito. E, para mim, é também irritante.
Sem imagem de perfil

De Paulo Quintela a 12.05.2009 às 10:18

A Ensitel, a Jerónimo Martins, a Portugal Telecom...aqui o artigo refere-se à empresa enquanto entidade subentendida no nome (substantivo), já noutras ocasiões se usa o artigo no masculino, exemplos, o BCP o BPN, já que nos referimos a bancos, masculino. No caso da SAPO há ainda uma razão semântica, o simples artigo permite diferenciar a empresa do batráquio.
Sem imagem de perfil

De Rui Silva a 28.12.2010 às 11:40

A empresa SAPO, daí o "A" (ainda que errado originalmente, não é completamente desprovido de lógica)

Fiquei agora a saber a origem de SAPO... as coisas que aprendemos na internet :)
Sem imagem de perfil

De Telmo Costa a 28.12.2010 às 14:52

A mim continua a parecer-me uma rã. Mas a minha área é o software...
Sem imagem de perfil

De Nanci Botelho a 29.08.2009 às 18:45

Bem... Devo admitir que estou a adorar que alguém tome alguma medida relativamente à Ensitel. Sou dos Açores, mais propriamente S. Miguel e há coisa de um ano comprei um telemovel lá e fiz, inclusivamente um seguro. O telemovel avariou e para além deles se recusarem dar-me um em substituição do que ia para o arranjo, ainda ia demorar cerca de 3 meses para arranja-lo! Impressionante... Felizmente, a Vodafone embora nunca tenha tido o equipamento em questão à venda mandaram-no para o arranjo e ainda me deram um para substituir...
Imagem de perfil

De jonasnuts a 30.08.2009 às 00:02

S. Miguel, S. Miguel. Que saudades :)
Sem imagem de perfil

De Elisabete Henriques a 14.01.2010 às 10:41

Andava à procura do Centro de Arbitragem quando descobri este Blog. Estou com um problema semelhante com um equipamento NOKIA. que adquiri desbloqueado na Ensitel . O equipamento avariou e na Ensitel aconselharam-me a ir directamente à NOKIA. Agora a NOKIA diz que o equipamento não é reparável porque foi objecto de intervenção técnica não autorizada. Se a houve não foi por mim, nem emprestei o equipamento a ninguém! Adquiri-o novo e desbloqueado para não ter chatices e agora ao fim de 6 meses vêm com histórias dessas... Sou apenas mais uma que luta pelos seus direitos!
Imagem de perfil

De jonasnuts a 14.01.2010 às 11:10

Quem se lixa é sempre o mexilhão, neste caso. nós.

A minha recomendação é que peça à Nokia um relatório escrito com a conclusão a que chegaram (de que houve intervanção não autorizada), e com esse documento, faça uma exposição à Ensitel (anexando toda a documentação), mas não invista muitas esperanças neste processo.

E na ausência de resposta da Ensital (ou na presença duma resposta que não satisfaça), recorrer ao Centro de Arbitragem.
Sem imagem de perfil

De Elisabete Machado a 14.01.2010 às 12:47

Obrigada! Já responderam com uma grande conversa de que eles servem de intermediários com a NOKIA e que foi decisão minha ter recorrido directamente aos serviços de assistência! E dizem que a intervenção não autorizada é da minha responsabilidade, se houve uma intervenção foram eles que a fizeram! No centro de assistência da NOKIA disseram-me que as intervenções não autorizadas são normalmente para desbloquear os telemóveis. Eu comprei um equipamento desbloqueado e não tinha necessidade de o fazer!
Se o equipamento estava ao abrigo da garantia, tinha 6 meses, que necessidade teria eu de recorrer a uma assistência não autorizada, se tinha assistência paga pela marca ao abrigo da garantia?
Vou seguir o seu conselho e vou ao Centro de Arbitragem.
Mais uma vez obrigada pela sugestão e parabéns pelo Blog
Sem imagem de perfil

De Alexandre a 28.12.2010 às 13:18

Muito bem, tens o meu apoio. E apesar de ser facil para mim dizer isto do meu sofa, faço força para que continues, pq eu tmb nunca desisti de merdas assim. E é por (falta) de pessoas com essa mentalidade/personalidade, como a tua, que o país/mundo está no estado em que está......como dizia ghandi:

O que tu fazes nao tem muita relevancia para o mundo, é insignificante....mas é muito importante que o faças!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.12.2010 às 16:05

Estes tipos da ASAE são uns mamões que só sabem é multar os restaurantes. A mim aconteceu-me uma coisa semelhante na phone house. A ASAE respondeu a dizer que o assunto não era da competência deles e só se poderia resolver em tribunal. Cambada de chulos incompetentes! Então para que serve o livro de reclamações nas lojas de telecomunicações? Para enfeitar? Tristes entidades que temos neste país. É mesmo só para encherem os bolsos.
Sem imagem de perfil

De Jorge Castro a 28.12.2010 às 18:47

Segui a saga e deixo registo de aplauso pela perseverança! Na verdade, o cidadão, também enquanto consumidor, é tratado com frequência, neste País, abaixo de cão. Mas são atitudes como esta que fazem a diferença.
Como diz alguém atrás, não serve para muito mas pode alterar tudo. A propósito, não me lembro de ter lido se preencheu ou não livro de reclamações... mas vai sempre a tempo. Do mesmo modo, comunicação à DECO... que às vezes ajuda.
Por mim, pouco poderei fazer no caso concreto, mas sempre deixo registo de que enquanto não souber da resolução satisfatória do problema não serei cliente da Ensitel.
Também é pouco, mas muitos com a mesma atitude causarão mossa.
Força!
Sem imagem de perfil

De LUIS ISIDORO a 28.12.2010 às 22:30

Não acredito que a justiça decidiu dessa forma... ou aliás acredito mas é absolutamente frustrante e é a prova que o crime compensa. Os consumidores não têm conhecimento nem meios para escapar às armadilhas legais e a Ensitel que já deve ter bastante experiência em casos deste tipo sabe muito bem como usar a lei a seu favor... pena que a justiça não funcione mas neste momento creio que a Ensitel já aprendeu a lição! Os meus parabéns pela sua persistência no caso!
Sem imagem de perfil

De nuno Abreu a 29.12.2010 às 13:13

Joana, tens o meu apoio.
Sei que deve estar a ser complicado mas continua porque és um exemplo.
A ensitel acabou de perder mais um potencial cliente. Confesso que fui ver equipamentos na ensitel e estava inclinado para comprar lá, mas não vou correr o risco de me acontecer o mesmo que a ti.
Força..

Comentar post


Pág. 1/2






Arquivo