Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



O mail, essa ferramenta ultrapassada

por jonasnuts, em 04.04.09

Há uns anos, ter um endereço de mail era uma coisa muito à frente. Foram muitas as vezes em que me perguntaram "o que é esse arabesco aí no meio?". Uma vez respondi que era uma alfarroba :)

 

A utilização do mail generalizou-se, e ultrapassou as suas competências iniciais. Hoje é frequente usarmos o nosso endereço de mail como forma de login, ou como forma de nos identificarmos perante um serviço. E o serviço de mail propriamente dito está a cair em desuso, pelo menos no que diz respeito às gerações mais novas.

 

Há poucos dias, indiquei a uma utilizadora um endereço de mail através do qual poderia obter mais esclarecimentos acerca de um determinado tema. Julgava eu que era óbvio que a utilizadora tinha de enviar uma mensagem, para aquele endereço de mail, expondo a questão.

 

Engano meu. Em resposta à minha recomendação, recebi um "Já adicionei".

 

Isto significa que, a primeira reacção daquela (jovem?) utilizadora, quando lhe foi dado um endereço de mail, não foi enviar uma mensagem de mail, mas adicionar aquele endereço à lista de contactos, no Messenger.

 

Os sms também foram criados com um objectivo inicial, mas rapidamente a utilização que foi feita desta ferramenta, ultrapassou esses objectivos.

 

Isto só prova uma coisa que ando a dizer há muito tempo. Não são as plataformas que fazem os utilizadores, são os utilizadores que fazem as plataformas. E estas, ou se adaptam, ou definham.

Autoria e outros dados (tags, etc)



2 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 04.04.2009 às 19:10

Por aplicação das regras gerais para interpretação do Sistema Harmonizado de Designação e de Codificação de Mercadorias n°s 1 (Nota 2 b) do Capítulo 4) e 6, uma mistura à base de gordura butírica na forma de emulsão do tipo água em óleo, utilizada na indústria alimentar e contendo os ingredientes seguintes (teores em peso): matérias graxas 70,4% (matérias graxas sobre base seca 97,8%), proteínas 1,06% (proteínas sobre base seca 1,5%), lactose 1,3%, umidade 28% (esta pasta de espalhar láctea é às vezes denominada “queijo fresco com alto teor de matérias graxas”) é classificada no código SH 040520.
Sem imagem de perfil

De Ricardo Jorge Tomé a 05.04.2009 às 22:03

true.
la palisse.
infelizmente, uma verdade óbvia ainda muito pouco óbvia para alguma malta da área.

Comentar post






Arquivo