Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jonasnuts

As libelinhas do Bordalo

Gosto de libelinhas. Não sei porquê, mas gosto.

 

No Natal em casa da minha Tia Helena, soube que a Fábrica Bordalo Pinheiro tinha um serviço completamente inspirado em libelinhas e até salivei. Também há com galos, e com borboletas e etc., mas o que me interessavam eram as libelinhas.

 

Soube, através do poço de informações que é a minha prima Gabriela, que a fábrica tem uma loja em Lisboa, na Rua Eiffel. Opá, é que até fica aqui nas redondezas, dá-se lá um pulinho à hora do almoço.

 

Mais ou mesmo na mesma altura passaram pelos meus olhos algumas notícias que davam conta de dificuldades na fábrica, e que não havia encomendas e que já havia salários em atraso.

 

Bom, junta-se a fome à vontade de comer, vou lá comprar um serviço. É a minha contribuição.

 

Entrei na loja pequenina, pequenina, pequenina onde não reconheci nos artigos expostos qualquer peça de Bordalo Pinheiro. Hummm, será que me enganei na loja? Esperei que alguma das duas senhoras que estavam na loja me dirigissem a palavra. Mas não. Estavam ocupadas a limpar o pó e a falar entre si, uma delas era muitíssimo parecida com a Filipa Vacondeus, e falava da mesma forma afectada. Bom dia, será que me pode ajudar? Diga. Ando à procura de um serviço, o serviço libelinha, do Bordalo Pinheiro. Cara de espanto. Anda? Pois, mas isso quase já não há nada. Ó não sei quantas, quando lá foste à fábrica viste alguma coisa da libelinha? Não, da borboleta havia uma saladeira, mas da libelinha não, não faz mal que vai dar mais ou menos ao mesmo.

 

Suspiro.

 

Olhe, então nesse caso eu queria encomendar. Ah....encomendar, pois, olhe, não sei, não garanto nada. Tem a certeza que quer fazer a encomenda? É que, pronto, não há prazos. Ok, eu não tenho pressa, queria fazer a encomenda. Então que peça é que lhe falta? Todas, não tenho nenhuma peça do serviço e quero fazer o serviço completo. Ah pois, mais complicado ainda. Para quantas pessoas é que é o serviço? Para 6, mas se só fizerem para 12, eu alinho. Está bem, então vou fazer o favor de tomar nota da encomenda. Partiu do princípio que eu queria o serviço verde, azar, quero o branco ("há" branco, amarelo, verde, vermelho e azul). Em branco, mais difícil ainda. Lá ficou com o meu nome e com o meu contacto, mas a verdade é que depois daquele discurso, tirei o serviço da ideia.

 

Uma marca mal trabalhada, um marketing inexistente, um atendimento ao cliente paupérrimo, pouco stock, o site não permite fazer encomendas nem tem o catálogo completo, e uma concorrência muito agressiva são os dados em cima da mesa.

 

É extraordinário que uma empresa com um património e um know how ímpares, com tudo para dar certo e fazer muita gente rica, esteja nas ruas da amargura e prestes a fechar as portas.

 

Bem sei que o portuguesinho típico prefere ter um serviço daqueles italianos, caríssimo, é mais fashion, dá mais status, daria algum trabalho  associar este status à marca Bordalo Pinheiro, mas está longe de ser impossível ou difícil. O que falta à fábrica Bordalo Pinheiro é gestão de qualidade, visão e estratégia.

 

Esta minha experiência acontece num momento complicado da empresa, mas tenho pessoas distantes na família que estão relacionadas com a fábrica que já me diziam há uns anos (10, mais coisa menos coisa), que a gestão da empresa era uma porcaria.

 

A fábrica Bordalo Pinheiro tem, para além do património artístico, outra vantagem fundamental (e rara), que são trabalhadores empenhados e que gostam do que fazem. Portanto, tem marca, tem património de qualidade, tem recursos humanos, tem meios e tem espaço. O que é que faltou? Gestão.

 

E porque é que ninguém deu por isso?

 

Vão ser salvos, fábrica, e o património, de certeza que vão. É impensável que não sejam. Mas vão ser salvos com o dinheiro dos nossos impostos, e a gestão vai continuar a ser dos mesmos senhores que não a conseguiram gerir nos últimos anos. Ou transformam a coisa num museu, o que vai dar mais ou menos ao mesmo.

 

E a malta vai fechar os olhos (afinal é só mais uma fábrica que fecha), e vai continuar, contentinha, a comprar pratinhos italianos caros, ou suecos baratos.

11 comentários

Comentar post

Pesquisar

No twitter


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D