Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Shift

por jonasnuts, em 13.10.08

Há sensivelmente um ano, sobre a Shift, escrevi aqui um post, e o Pecus até teve a amabilidade de me deixar por lá um comentário, sobre o qual mais tarde, em conversa, concordámos em discordar.

 

 

Tenho andado à espera que saia a versão em Língua Portuguesa do site, língua que é a da maioria dos participantes, presumo, língua que é a da maioria dos organizadores, presumo, língua que é a da maioria dos patrocinadores, presumo, língua que é a do País onde a conferência está a ser organizada, língua que é, presumo, a da maioria do target a que se destina a conferência.

 

Tenho estado à espera, mas ainda bem que tenho estado sentada, porque não há meio. A conferência começa depois de amanhã, e até agora, nada. Até as mensagens de erro são em inglês.

 

É tão boçal. É tão pequenino. É tão complexado.

Autoria e outros dados (tags, etc)



17 comentários

Imagem de perfil

De pedrocs a 13.10.2008 às 21:53

Language police alert!
Imagem de perfil

De Nuno Barreto a 13.10.2008 às 22:19

Em português para portugueses... para podermos aprender apenas connosco próprios, para ficar tudo em casa, para ficarmos fechados à realidade fora de fronteiras. Orgulhosamente sós, diria alguém.

A defesa da língua portuguesa faz sentido em muitos sítios, mas tem de haver espaços numa língua internacional, que permita o intercâmbio entre culturas. Que permita que certas pessoas venham cá falar (pessoas essas que não falam português) que não viriam de outra forma, e com as quais temos coisas a aprender, assim como elas têm a aprender connosco.

A língua é uma ferramenta. Uma ferramenta que permite a partilha de conhecimento. É natural que por todo o lado (sim, aqui na Suíça também) este tipo de conferências sejam feitas em inglês. Afinal de contas, o objectivo é a partilha de ideias e de inovação entre pessoas de culturas diferentes, e o inglês é a língua que permite isso mesmo nos dias de hoje (não é de agora, há dois mil anos era o grego, antes disso o latim, e na idade média era o francês, sempre houve uma língua internacional). A língua usada não é um fim, mas sim um meio.
Imagem de perfil

De pedrocs a 13.10.2008 às 22:51

Concordando com o que dizes, creio que o Latim é posterior ao Grego e não anterior.
Imagem de perfil

De Nuno Barreto a 14.10.2008 às 08:00

Sim, tens razão :)
Sem imagem de perfil

De António Manuel Dias a 13.10.2008 às 23:50

Nada disso impede que haja uma versão do sítio em português...
Imagem de perfil

De Nuno Barreto a 14.10.2008 às 08:04

Sim, dou-te alguma razão. Mas como é obrigatório saber inglês para aproveitar a conferência, não acho pertinente a versão portuguesa do site.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 14.10.2008 às 10:00

Porque é que não há tradução simultânea? :)

Qualquer conferenciazeca estrangeira tem essa opção.

Porque é que a Shift não tem?

Por mais que muitos dominem o inglês, alguns sentir-se-iam certamente mais confortáveis se pudessem ter acesso aos conteúdos que estão a ser expostos se estes fossem traduzidos.

Imagem de perfil

De Nuno Barreto a 14.10.2008 às 10:04

Por acaso não conheço nenhuma conferência de tecnologia que o faça. Mas tendo em conta que eu fiz tradução simultânea durante 3 anos, que já falei em conferências onde estava a ser traduzido simultâneamente no palco, e também onde fui eu o tradutor, posso dizer que se perde muito conteúdo, mais ou menos metade, porque se demora o dobro do tempo a comunicar. É complicado. Uma palestra de 40 minutos passa a ter somente 20 minutos de conteúdo. Já para não falar na limitação que se tem no que diz respeito aos "powerpoints", que não são bilingues.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 14.10.2008 às 10:07

Sim, não é fácil e quanto mais técnica é a linguagem pior se torna o problema.

Mas concordamos que, ter o site TAMBÉM em português, não seria difícil, certo? :)
Imagem de perfil

De Nuno Barreto a 14.10.2008 às 10:13

Isso já depende de duas coisas: Vontade dos organizadores, e tempo disponível. Não sei qual é a vontade, mas pelo que sei não têm muito tempo livre.

Mas sim, era simpático haver uma versão em português, embora não ache necessário. Na realidade até poderia induzir as pessoas em erro de pensarem que não precisavam de saber inglês...
Imagem de perfil

De jonasnuts a 14.10.2008 às 09:58

Precisamente :)

É essa a minha questão :)
Imagem de perfil

De jonasnuts a 14.10.2008 às 09:54

Eu não defendo que a coisa fosse feita exclusivamente em Português, não leste isso neste post.

Eu defendo que a língua portuguesa deveria ter sido considerada e, para quem acede de Portugal, deveria ser a primeira opção (sem exclusão do utilizador poder optar por outra língua).

Se tecnicamente não é complicado, qual é a justificação?
Imagem de perfil

De Nuno Barreto a 14.10.2008 às 10:00

Ah, ok, percebi mal.
Imagem de perfil

De pnf a 14.10.2008 às 09:37

Tenho que concordar com a Jonas: só por algum preconceito levemente parolo e/ou espírito summisso é que não existe - pelo menos - uma versão portuguesa do site. Também pode ser simplesmente preguiça ou desprezo. Venha o diabo e escolha.
Sem imagem de perfil

De Socrates a 14.10.2008 às 20:05

Devo dizer que ontem tentei mostrar a página da SHiFT ao meu pai. Falhei nesse intento. Falhei porque abri a página e procurei pela bandeirinha Portuguesa e não a encontrei.

O meu pai não teve a sorte de aprender muito Inglês, como ele há muitos outros. Se acham que ter uma versão da página em Português para ser vista por Portugueses e outra em Inglês para ser vista lá de fora é estarmos orgulhosamente sós, então que estejamos, ao menos não ostracizamos compatriotas nossos interessados em saber mais.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Rebelo a 20.10.2008 às 00:04

Eu até costumo defender a existência de conteúdos em português quando o tema é Portugal. Irritam-me os blogs escritos por portugueses e lidos por portugueses e comentados por portugueses em inglês.

quando o Bruno Amaral apresentou o site o Lisbon Social Media Cafe, a primeira crítica que fiz foi que nem seria necessária a existência de uma versão em inglês do site e que a existir teria de aparecer sempre em segundo plano.

Não fui à Shift de há dois anos (e não um como dizes no início do post), mas fui a esta e posso-te dizer que o target não são os portugueses. É verdade que por lá encontras muitos portugueses, mal seria se assim não fosse numa conferência a acontecer em Portugal, mas a grande maioria dos oradores e uma significativa parte dos participantes não ram portugueses.

A Shift é uma conferência internacional. A organização está de parabéns e uma versão portuguesa do site não fez qualquer falta. Nem sei se teria feito sentido.

Complexado e pequenino é pensar que em Portugal não se podem fazer eventos completamente internacionais com um target completamente internacional.

Fazer o site em inglês é de facto boçal, no sentido de natural, inocente e sem malícia.




Imagem de perfil

De jonasnuts a 20.10.2008 às 00:08

Internacionalmente falando, há meia dúzia de eventos do mesmo estilo, aliás, esta malta anda no circuito das conferências, pelo que este não acrescentará grande coisa a esse circuito, valeria a pena se fosse orientado para o público português, que não tem oportunidade de ir lá fora.

Quanto à versão em português não ter feito falta, não sabes. Podes dizer que não te fez falta a ti. Não sabes se não terá feito falta a outras pessoas.

Comentar post






Arquivo