Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Porque é que raramente assino petições

por jonasnuts, em 23.09.08

Chegam-me praticamente todos os dias, mails com pedidos para assinar petições. Seja a criança que precisa de ir a Cuba fazer um tratamento, seja a ajuda em K7 de vídeo para a pediatria do IPO, seja para acabarem com o cultivo de gatos bonsai, há-os para todos os gostos.

 

Se é algo que me interessa, aprofundo. Por exemplo, no caso das K7 de vídeo do IPO, o número de telefone disponibilizado no mail não funcionava, mas bastou um telefonema para o IPO para descobrir que já tinham até coisas a mais, e que o pedido estava desactualizado há pelo menos 3 anos.

 

O último mail deste tipo que deu entrada falava do assassinato da obra que Maria Keil tinha oferecido ao Metro de Lisboa. Incendiou-se a Blogosfera, e ataques ao Ministro da Cultura, e à Administração do Metro, e é uma vergonha, e já há uma petição (neste momento com cerca de 2.000 assinaturas) a pedir sabe deus o quê.

 

No entanto, a coisa não é bem assim. A autora do post que deu origem ao incêndio, explica.

 

O problema é que estas coisas são fáceis de começar, mas tão, tão, tão difíceis de extinguir. Cara Júlia, prepare-se para, daqui a 10 anos ainda receber mails a pedir-lhe a assinatura da petição que a leitura diagonal  seu post originou.

Esta é a minha singela contribuição para remar contra o sentido da maré. Mas não tenho esperanças.

 

Falta dizer que cheguei à Júlia através da Joana.

Autoria e outros dados (tags, etc)



5 comentários

Sem imagem de perfil

De Joana Lopes a 23.09.2008 às 10:58

Pois, Mª João, eu também quase nunca assino petições e lembro-me de me ter arrependido imediatamente da última vez que o fiz.
Mas esta história dos azulejos dava para um verdadeiro «case study» em termos de internet pelas proporções que tomou.
Abraço
Sem imagem de perfil

De sofia3r a 24.09.2008 às 12:10

Cara Jonas (?)

Agradeço a informação que deixou no meu blog e só posso lamentar que afinal tudo não passe de um mal-entendido. Fala-se num "incêndio" da blogosfera, que ao que parece está a incomodar o incendiário. Desconhecia realmente que o assunto tivesse marcado presença em tantos blogs porque não sou "frequentadora" de quase nenhum. Quando ontem recebi o e-mail da petição, resolvi de forma bem intencionada dar o meu contributo para tentar salvar algo que gostaria um dia de mostrar aos meus netos. Afinal, quem se insurge contra a forma rápida como os boatos se espalham pelos posts alheios, esté já a gerar a polémica que alimentará outros tantos. Pela minha parte, fico por aqui.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 24.09.2008 às 12:18

Olá Sofia,

Não fui eu que lhe deixei o comentário no seu Blog (que acabei de descobrir), mas sim a Morgy, que deixou um link para este post :)

Não queria, com o meu post, ofender ou menosprezar o empenho de quem assina petições. Caramba, se havia petição que valesse a pena, esta era uma delas. O meu post relacionava-se com a vlatilidade deste meio, e com a facilidade com que se espalham factos, que às vezes não são bem o que parecem. Mal entendidos.

Não pretendi gerar mais polémica, pretendi começar (ou contribuir) para repor a verdade, neste caso, e alertar as pessoas que, cheias de boas intenções, assinam todas as petições. Mais nada :)
Sem imagem de perfil

De sofia3r a 24.09.2008 às 13:58

Tudo certo. Sem animosidades. Só que essa dos "bem intencionados", faz lembrar os pobres de espírito, tadinhos... Mas ao que parece é deles o reino dos céus :-)
Imagem de perfil

De jonasnuts a 24.09.2008 às 14:26

O "bem intencionados" foi o mais politicamente correcto que consegui encontrar :)

Eu já assinei, em tempos idos, petições que mais tarde se revelaram serem falsas, em todas elas eu assinei cheia de boas intenções.

Depois deixei-me disso. Está visto que não será meu o reino dos céus :)

Comentar post






Arquivo