Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Bill Gates

por jonasnuts, em 27.06.08

O senhor saiu definitivamente da Microsoft, de cuja gestão já se tinha afastado há uns anos. Esta ocasião serviu para que os sítios do costume desancassem o homem. Uns mais assanhados que outros, mas a opinião é unânime, é um chico-esperto, um ladrão, oportunista, bimbo, pouco dotado (tecnicamente falando), e pouco mais fez do que pegar num produto que não era dele, transformá-lo ligeiramente, e pô-lo a render.

 

Ora eu, que não sou de deixar que pensem por mim, e não embarco em técnicas terroristas de comunicação, começo a somar um mais um, e chego a uma conclusão ligeiramente diferente.

 

Parece-me a mim que a característica do Bill que as pessoas mais detestam é o facto do homem ser rico. Porque os outros que por aí andam, a fazer mais ou menos a mesma coisa, são os bons da fita, porque são bonzinhos, e o do no evil está na moda, é isso e as camisolinhas de gola alta. Ninguém anda aqui para ficar rico, só o Bill é que se encheu à nossa conta, porque os outros são todos nossos amigos.

 

Desculpem, mas eu não compro. É desonesto? Não sei, provavelmente será tão desonesto como qualquer outro CEO de qualquer empresa que se movimente naquela área. Usa todos os meios ao seu alcance para atingir os seus objectivos, uns mais lícitos que outros. Estou convencida que todos os outros fazem o mesmo, têm é um melhor marketing, porque disfarçam melhor. São mais honestos? Não me parece. Já houve umas embrulhadas com o Jobs e com umas acções, e achar que os meninos do Google continuam a ser os pobres desgraçados que montaram a coisa numa garagem, só mesmo para quem acredita em histórias de encantar (o meu filho de 9 anos já não acredita).

 

Mas, por alguma razão, a Microsoft e o Bill Gates parecem personificar tudo o que é mau, enquanto que outros iguais continuam a ter a imagem de boas pessoas.

 

A Microsoft é uma empresa, foi feita para fazer dinheiro, tal como todas as outras. Teve a capacidade e a sabedoria e a estratégia de vender aquilo que é considerado por muitos como um mau produto (ou um conjunto de maus produtos), so? Fez o seu produto, divulgou-o, promoveu-o, e muitas pessoas o compraram. E a empresa ganhou poder, e usou esse poder e capitalizou-o em proveito próprio. É o que faz qualquer empresa. Esta é à escala mundial? Pois é. So what?

 

Caiam-me cima agora (e já sei que vão fazê-lo, usem os comentários, são abertos), mas eu não conheço ninguém que, na mesma posição, não fizesse exactamente o mesmo. Se conseguisse.

E vou já avisando que não conheço o senhor, que este post não foi encomendado por ninguém e, ironia das ironias, foi escrito num MacBok Pro, usando o Firefox.

Autoria e outros dados (tags, etc)



12 comentários

Imagem de perfil

De Rui Alves a 28.06.2008 às 00:15

Concordo plenamente.

A Microsoft soube tirar partido de um produto (ou uns produtos) que, bem ou mal "construídos", conseguiram captar clientes. E, com isso, cresceu. Fez apenas o que todas as empresas fariam.
Quem não gosta, não come (eu não gosto).
Sem imagem de perfil

De Alcides Fonseca a 28.06.2008 às 00:52

Eu também concordo plenamente!

(Já o fazia antes de ser MSP, para alguém que se lembre de atrofiar com isso como é costume).


Sem imagem de perfil

De Pedro Santos a 28.06.2008 às 08:24

Também assino por baixo... além de que "qualidade duvidosa" é muito relativo. Não conheço nenhum SO ou nenhuma suite Office que não tenha problemas... e muito poucas chegam ao nível dos produtos da MS.

Claro, que é a minha opinião. :)
Imagem de perfil

De mrconguito a 28.06.2008 às 12:31

Também escrevo num Mac, usando o firefox.
Concordo contigo.
O grande problema da Microsoft e de todos os que estão ligados a ela é mesmo: fraco markting.
Sem imagem de perfil

De Manel a 30.06.2008 às 12:14

Esta só pode ser para rir.
Sem imagem de perfil

De Paulo a 28.06.2008 às 12:55

Não gosto muito dos produtos da Microsoft. Sempre que posso, uso alternativas "open source". Infelizmente, e por razões profissionais, sou obrigado a trabalhar regularmente em ambiente Windows.

Na minha opinião, a comunidade "open source" portuguesa perde demasiado tempo a criticar a Microsoft (algumas vezes de forma insultuosa e supérflua...) em vez de apostar fortemente na promoção do software livre e na divulgação de empresas que o disponibilizam e suportam. Existem alternativas credíveis, de grande qualidade e muito mais económicas mas que precisam de ser amplamente divulgadas, sendo que o grande público simplesmente as desconhece. É necessário dá-las a conhecer, comparando-as com os produtos da Microsoft, e destacando as suas inúmeras vantagens para o utilizador comum e não só.
Imagem de perfil

De MC a 28.06.2008 às 14:45

Não é preciso inventar muito (não tenho nada contra o senhor por ser rico) para perceber porque não se gosta do homem.

A empresa que geriu tem dezenas de condenações por práticas comerciais ilegais, por manipulações, por contratos absuvisos, por pressões às escondidas, etc...

Não sou eu que o digo, são os tribunais.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 28.06.2008 às 15:06

Sim, mas todos fazem a mesma coisa, a Microsoft pode ser acusada de não saber fazer as coisas como deve ser, mas não acho que seja diferente de todas as outras.
Sem imagem de perfil

De lmjabreu a 28.06.2008 às 16:05

"mas não acho que seja diferente de todas as outras."

Melhor especificar que o igual é 'em teoria'.
Sem imagem de perfil

De António Afonso a 28.06.2008 às 16:21

a verdade é que os outros não foram parar à barra do tribunal da mesma forma que a MS foi.
eles basicamente obrigaram a todos os vendedores de PC a incluir o windows em cada venda... or else...
Imagem de perfil

De jonasnuts a 28.06.2008 às 16:27

or else what?

Eu não defendo que a Microsoft usa tácticas honestas ou pouco agressivas, o que eu defendo é que outros fazem exactamente a mesma coisa (sem terem o mesmo impacto, porque não têm o mesmo tamanho), de forma mais sub-reptícia, mas ninguém parece ver isso.

A Microsoft e o Bil Gates encarnam tudo o que é mau, e os outros encarnam tudo o que é bom. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra.
Imagem de perfil

De pedrocs a 28.06.2008 às 16:26

Não compreendo porque é que as pessoas têm "empresas preferidas".

Empresas preferidas? São empresas. Querem o teu dinheiro e não a tua amizade. Claro que se a tua amizade se converter em vendas então sim, podes ser amigo deles à vontade e viver na ilusão de que eles também são teus amigos.

Comentar post






Arquivo