Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Depois admiram-se

por jonasnuts, em 19.05.08

Qualquer pessoa que oiça rádio já se apercebeu disto.

De há 2 meses para cá somos completamente bombardeados com publicidade a métodos extraordinários para perder peso. Para "conseguir usar o bikini branco que comprei" porque em apenas 2 semanas perde o equivalente a um Inverno (e às vezes mais) de excessos, porque há uma substância "drenadora" (sic) e outra que equivale a comer 2 alfaces (que aparentemente é bom para a tripa, como diria a minha avó), e há outra que dissolve o equivalente a 1 pacote de manteiga.

 

As mensagens referem quase sempre estudos científicos americanos (ou de qualquer outro país, tem é que ser estrangeiro), e põem nutricionistas e endocrinologistas a vender a coisa.

Se são profissionais da locução ou da saúde é que eu já não sei. Pelo aspecto, não são profissionais nem de uma área nem de outra.

 

Por outro lado, se estas coisas apostam em campanhas publicitárias, é porque há mercado para isto. O mercado das dietas iô-iô. O mercado da magreza, que não está associada à saúde. O mercado do deixa-me lá perder uns quilinhos para o Verão, que depois disso é encher o bandulho até ao Natal.

O mercado do "tenho que aparentar uma coisa, mas não tenho que me sentir bem".

 

Depois admiram-se, porque as filhinhas têm distúrbios alimentares, e deixam de comer, ou vão vomitar o último excesso de bolas de berlim. Sempre achei que deve haver uma sazonalidade nesta coisa dos distúrbios alimentares. A julgar pela publicidade com que me bombardeiam, estranho se a coisa não se agudiza nestas alturas do ano.

 

Pela enésima vez, a receita para perder peso, é fácil, e não tem ciência nenhuma.

 

Comam menos e de forma mais equilibrada, e façam exercício.

 

Não tem nada que saber.

Autoria e outros dados (tags, etc)



8 comentários

Imagem de perfil

De pedrocs a 19.05.2008 às 13:40

Por acaso "comam mais" também funciona bastante bem. Só que não é em quantidade, é em frequência.

Seis a sete refeições por dia, com um bom equilíbrio de proteínas, hidratos de carbono e gordura (azeite, de preferência), exercício físico regular (3 ou 4 dias por semana, 1 hora a correr a bom ritmo), e muita água.

Epá, mas que complicado. Não há uns comprimidos...?
Imagem de perfil

De pnf a 19.05.2008 às 14:04

Pois é, não tem nada que saber, mas dá uma trabalheira dos diabos! É a canseira de ter que mudar hábitos de vida, é a canseira de fazer exercício,... Mais vale emborcar umas coisas fixes, que fazem o trabalho por nós!
Imagem de perfil

De Moira a 19.05.2008 às 15:30

Infelizmente a maioria das pessoas prefere tomar uma pílula e vegetar no sofá do que fazer uma alimentação saudável e um bocadinho de exercício físico.
Depois temos esses anúncios milagrosos, os da rádio e os das revistas, ditas femininas, que prometem mundos e fundos para que todas tenhamos corpos esbeltos, e assim há mulheres que passam mais de metade do ano a fazer dieta, ou seja a comer de forma desequilibrada, para depois passarem a outra metade do ano a encherem "o bandulho" com tudo o que era proibido durante a dieta, provocando um desequílibrio ainda maior.
Enquanto não houver mentalidade para mudar os hábitos alimentares vai continuar assim sine die...
Será que alguém acredita em milagres?
Sem imagem de perfil

De Pedro Aniceto a 19.05.2008 às 22:11

Si a ti te gusta a mi me encanta...
Imagem de perfil

De jonasnuts a 19.05.2008 às 22:19

Inzatamente.
Imagem de perfil

De Luis a 19.05.2008 às 23:29

Eu tenho a teoria do que aquilo que aconteceu à tal Depuralina foi devido ao anúncio que os gajos têm. Alguém achou por bem tirá-la do mercado para, pelo menos durante uns meses, não termos que ouvir aquilo....
Sem imagem de perfil

De trz a 20.05.2008 às 01:36

As pessoas vivem hoje como se não houvesse amanhã.. Depois amanhã chega e nem param para pensar no que lixaram. Depois chama-se REMEDIAR. Mentir ao próprio tem dessas coisas..
Sem imagem de perfil

De theMage a 22.05.2008 às 11:03

A industria da "elegancia instantânea", como gosto de lhe chamar dá-me pena e vontade de rir ao mesmo tempo.

Estou quase a 100% contigo nesta questão Maria João.

E Quase porque a questão não é só o comer menos, mas é principalmente o comer melhor. É acima de tudo comer mais vezes, e comer coisas mais difíceis de digerir (com mais fibras, principalmente) e com menos calorias.

E claro, o exercício é um bom complemento a uma boa alimentação. Os dois juntos fazem maravilhas a manter um corpo saudável.

O surpreendente é que mesmo os principais clientes da industria de "elegância instantânea", e continuam, sempre e cada vez mais, clientes.

Comentar post






Arquivo