Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





subscrever feeds


Arquivo



O meu consumo de notícias já deixou, há muito, de passar pelos jornais. É raro comprar um jornal. Não me lembro já, da última vez que comprei um jornal.

 

Hoje, por conta dum almoço solitário, desfolhei (é tão lindo, usar o desfolhei neste contexto, porque é o que dá, na verdade, vontade de fazer), o Público e o Diário de Notícias.

 

Uma das "notícias" do Diário de Notícias (sem link, não merecem) surpreendeu-me: "Evangeline Lily - Actriz de 'Lost' quer dar à luz em casa".

 

Fonix....a mulher pariu há tão pouco tempo e já está prenha outra vez. Isto é que é produção.

 

Mas depois lembrei-me de que a actriz integrou o elenco do novo filme de Peter Jackson, The Hobbit, e as duas coisas não são compatíveis.

 

Chegada ao meu local de trabalho, fui à procura.

 

Senhores do Diário, a vossa notícia está atrasada quase 6 meses (por 10 dias chegavam ao semestre). Forneço-vos, de borla, um link para o grande guru da informação deste tipo, que qualquer jornalista olha de soslaio, com arrogância e superioridade, o Perez Hilton. Este não anda por aí com peneiras de grande jornalista (anda com outras, mas isso agora não interessa nada para o caso).

 

Se não conseguem, sequer, estar informados sobre coisas básicas, o que é que me garante que o consigam fazer com coisas realmente importantes?

 

 

P.S.: Já para não falar do "dar à luz", que é um termo que me encanita, juntamente com o esposo/a e o falece.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bom dia,

 

Uma vez que acompanho a actualidade noticiosa (e não só) através de meios alternativos, vocês produzem os únicos conteúdos que consumo em televisão. Sou, portanto, uma consumidora ávida e atenta, tecnologicamente instruída (por afinidade) e com acesso a fontes, vá, alternativas, aos vossos conteúdos.

 

Prefiro, vá-se lá saber porquê, manias, consumir os vossos conteúdos de forma legal. Ouviram? A sério. Eu não me importo de pagar. Eu sou daquelas que prefere pagar (um preço justo, evidentemente) pela possibilidade de consumir os conteúdos que vocês produzem.

 

Mas têm de arranjar outro parceiros, ao nível do broadcasting. Mesmo.

 

Eu explico.... estão neste momento a estrear em Portugal duas séries (hão-de estar a estrear mais, mas estas são as que me interessam), a saber, Mildred Pierce e Downton Abbey. Ora, nos spots de promoção a estas duas estreias, é amplamente referido, que foram séries premiadas nos Emmys. A saber, a Kate Winslet ganhou o Emmy como melhor actriz, o Guy Pearce ganhou o prémio de melhor actor secundário por Mildred Pierce (e havia mais meio mundo da mesma série nomeado noutras categorias), e a Downton Abey ganhou o Emmy de melhor série, com a Maggie Smith a ganhar o Emmy de melhor actriz secundária, mais a melhor realização para o Brian Percival, e o Julian Fellowes a ganhar o Emmy para melhor argumento e vamos ficar por aqui, que temos mais que fazer, para a lista completa, consultem este link.

 

Ora... a cerimónia dos Emmys foi transmitida a 18 de Setembro. E se estas séries ganharam Emmys, é sinal de que estrearam, lá por fora, há imenso tempo. Eu poupo-vos o trabalho. Downton Abbey estreou a 26 de Setembro de 2010, e Mldred Pierce estreou em Março de 2011.

 

Uma há mais de um ano, outra há mais de 6 meses. Isto, em tempos modernos de internetes e afins, é, digamos, uma eternidade.

 

Mas os senhores que transmitem as vossas séries até acham inteligente chamar a atenção para o facto de transmitirem as séries tarde e a más horas..... são tão burrinhos que nem sequer se apercebem da cagada que andam a fazer.

 

Expliquem-me lá, se isto não é andarem a gozar com o ceguinho?

 

O conceito de "lá por fora", já deixou de existir há uns anos. Vocês ainda não perceberam, bem sei, mas a verdade é essa.

 

E eu sou teimosa, mas expliquem-se como se eu fosse muito burra, porque é que eu hei-de esperar 1 ano, vá, 6 meses que sejam, para comprar os conteúdos que vocês vendem, se a alternativa é vê-lo mais cedo, e de borla.

 

Façam um esforço, porque quando eu ponho no prato da balança, 1 ano depois a pagar e, na hora à borla, a minha balança pende dramaticamente para a última opção.

 

Respondam à minha pergunta: porque é que eu hei-de vos dar lucro, se vocês são atrasados e, ainda por cima, caros?

 

Ah, e não vale a pena responderem com aqueles anúncios idiotas e obrigatórios que colocam no início dos DVDs que eu COMPRO, porque isso é só um incentivo extra para que eu deixe de comprar.

 

deixei de comprar CDs há uns anos valentes, e caminho rapidamente para deixar deixar de ver televisão e deixar de comprar DVDs. A vossa incompetência está a alienar-me enquanto vossa cliente.

 

De que mais é que precisam para acordar para a vida?

 

P.S.: Se quiserem uma listinha de séries de jeito, que vos facilite o trabalho, é só dizerem, mas além destas duas séries acima referidas, podem incluir o Real Time with Bill Maher, o Top Gear (versão original, nada de cópias merdosas, por favor), o Big Bang Theory, o Daily Show With Jon Stewart, o Colbert Report, e estas são as que me saem de rajada, se quiserem posso pensar um bocadinho mais e fazer uma longa lista. Ou, se me quiserem poupar o trabalho, é consultarem os sites de downloads e pirataria, e verem quais são os mais apetecíveis.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Fellatio

por jonasnuts, em 10.10.11

Passei por esta t-shirt há uma semanas, e fiquei a pensar. Marquei na minha agenda mental a necessidade imperiosa de fotografá-la, tendo como objectivo o blog. Hoje, apanhei-a de novo e não perdi a oportunidade.

 

Porque há uma dúvida que me assalta (da próxima vez que me cruzar com o dono da t-shirt pergunto-lhe directamente). O que é que espera um jovem quando enverga uma t-shirt com esta frase? Que os fellatios lhe caiam aos pés? Que elas façam bicha? A sério.

 

Não é uma questão de eu ser pudica. Eu própria tenho t-shirts com dizeres (embora numa fonte mais discreta, é um facto).

 

É que me parece que este jovem está a ter a abordagem errada.... quanto a mim, ele teria muito mais sucesso, se a palavra "fellatio" fosse substituída pela palavra "cunilingus". Pode ser que ele faça a experiência.

 

 

 

E sim, pedi autorização para tirar a fotografia. E sim, expliquei que era para o Blog. E sim, expliquei que o post não ia ser propriamente simpático. E, por último, sim, recebi a autorização (com testemunhas), o que só comprova o desportivismo do jovem e o seu bom-humor (deve estar habituado a ser abordado por gajas, à conta da t-shirt).

Autoria e outros dados (tags, etc)

Feminismo

por jonasnuts, em 07.10.11

Já ando com esta encasquetada há uns tempos, mas o Nobel da Paz atribuído hoje a 3 mulheres trouxe-me ainda mais dúvidas.

 

Eu sou feminista. Sou feminista porque penso que ambos os sexos, com as suas diferenças, devem ser tratados com o mesmo grau de exigência, com a mesma justiça, os mesmos direitos, as mesmas responsabilidade. Enfim, nada de novo, por aí.

 

Mas é fácil, para mim, pensar e sentir, desta forma politicamente correcta. Fui educada dessa forma. Vivo numa sociedade onde os direitos das mulheres têm evoluído (ainda há muito por fazer, mas tem havido evolução). Sobretudo, têm mudado as mentalidades. Vivo num país ocidental. Tenho acesso a meios de comunicação. Vivo num país livre. Sou filha duma mãe pioneira na sua área (a publicidade, já agora), sou neta de mulheres que, cada uma de sua forma (uma mais que outra, mas mesmo assim) sempre pensaram nelas próprias como iguais, não como inferiores.

 

Não sou, portanto, uma surpresa. Tudo à minha volta apontava para este caminho. Não há grande coragem, ou um grande salto mental, meu, por pensar como penso.

 

A dúvida que me assalta, e que nunca esclarecerei, é; e se eu tivesse nascido numa sociedade diferente? E se eu tivesse crescido com tudo à minha volta a dizer-me que eu era inferior? E se, desde pequenina, eu tivesse sido habituada a ver nos homens seres superiores e nas mulheres seres inferiores?

 

Seria capaz de pensar diferente?

 

É tão fácil, olharmos para as burqas ou, não indo tão longe, para a mulher que apanha do marido e se vai mantendo casada, e pensar "se isto fosse comigo partia a loiça toda".

 

É essa a dúvida. Será que partia?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Caros senhores do Continente Online

por jonasnuts, em 07.10.11

Olá, boa tarde,

 

Confesso que não tenho grandes esperanças de que venham a ler esta minha missiva, mas a verdade é que este Blog não tem por missão comunicar com as empresas deste país (embora às vezes a coisa acabe por acontecer). A missão deste Blog é divertir-me, servir para os meus desabafos, para eu descarregar bílis.

 

Já em tempos tive oportunidade de vos dedicar uma série de recomendações e, pela experiência penosa que continua a ser navegar no vosso site, vocês não chegaram a lê-la o que se compreende, ou leram e não se importaram (o que já não se compreende tanto, mas pronto).

 

Desta vez, no entanto, a minha sugestão é algo que vos fará poupar dinheiro, portanto.....algo do vosso interesse.

 

Vamos lá ver, no vosso site, há uma área chamada "A minha conta" onde, entre outras coisas, vocês me deixam identificar as minhas preferências.

 

Tomo a liberdade de linkar a palavra para o dicionário, porque me dá ideia de que vocês não sabem bem o que quer dizer ou, se sabem, preferem ignorar.

 

Ora, se eu digo, nas preferências que "se um dos produtos não estiver disponível prefiro não fazer qualquer substituição", porque é que de TODAS as vezes que faço uma encomenda, recebo um telefonema a perguntarem se eu quero substituir as faltas? Há sempre faltas. Digo sempre que não. Tenho a opção configurada no site a dizer que não. E mesmo assim vocês telefonam?

 

 

 

 

 

Vá..... já percebi que não é por causa da substituição.

 

Vocês gostam de ouvir o som da minha voz, é isso? Lamento, mas não é recíproco.

 

Poupem dinheiro, oiçam o que eu digo (no site, ao telefone), e NÃO ME TELEFONEM, PORRA.

 

Muito agradecida.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Descascar alho

por jonasnuts, em 03.10.11

Lamento, os que vieram aqui a pensar num trocadilho porco por causa do título, desta vez, vieram ao engano.

 

Adoro alho, uso em praticamente tudo o que faço, na cozinha, e é quase a única imposição face aos demais gostos familiares, dos putos. Andam a queixar-se do excesso de alho há uns anos valentes, e antes de começarem a comer as coisas, andam meticulosamente à pesca dos pedacinhos que encontram. Já os vi a pôr de parte muita coisa, que tomaram por alho, incluindo bagos de arroz.

 

Qualquer dica que me ajude a descascar os sacanas dos alhos, tão saboroso mas tão trabalhosos de descascar, é bem-vinda.

 

Tenho uma enorme colecção de artefactos que dizem facilitar a descascadura da coisa. Debalde, cada engenhoca é sempre mais complicada que o velho método da faca.

 

Vou experimentar este novo truque, e depois digo coisas.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pág. 2/2





subscrever feeds


Arquivo