Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





subscrever feeds


Arquivo



Festival da canção

por jonasnuts, em 07.03.11

Não vi. Há uns anos valentes que não vejo. Mais, não percebo, sequer, porque é que ainda existe Festival da Canção, mas pronto, isso é tema para outros carnavais.

 

Não aprecio o tipo de humor dos Homens da Luta. Sempre que por acaso tropeçava num programa dos senhores, mudava de canal rapidamente, não é a minha praia.

 

Mas..... não percebo (este é um post cheio de "não percebos"), porque é que as pessoas se abespinham. Os rapazes ganharam, não ganharam? Então que vão. A música é uma merda? Não sei, nem ouvi, mas não interessa. O critério não pode ser esse, senão, já se tinham abespinhado antes, tendo em conta a quantidade de merda que já temos mandado a representar Portugal nas eurovisões.

 

Vá lá, a sério? Façam um esforço (ou, como eu eu, pesquisem online) e vejam lá quem é que mandámos nos últimos 15 anos.

 

Por outro lado, os que fazem uma comparação com "A Tourada" deviam lavar os ouvidos para aprenderem a distinguir entre letra, música e intérprete de qualidade e esta música que ganhou (que, repito, não ouvi, mas Ary é Ary e Tordo é Tordo e não me lixem, Ary foi um dos maiores poetas portugueses e o Tordo é o melhor intérprete português, portanto, não há quem lhes chegue aos calcanhares).

 

Abespinham-se? Pá.... get a life.

 

 

E para terminar, só mais um "não percebo", porque é que Israel faz parte do Festival Eurovisão da Canção?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Reality check

por jonasnuts, em 04.03.11

Quando me iniciei nestas lides da Internet, profissionalmente falando, uma das minhas mais valias era não perceber nada disto.

 

A sério. A Internet era algo que fazia nas minhas horas vagas, nunca fiz cursos de informática, e tudo o que sei é por via daquela velha fórmula "tentativa, erro, aprende". Não ter medo de errar também ajudou, sempre levei isto na desportiva e o "vamos lá ver o que é que acontece se eu clicar aqui" é feitio. Isso punha-me ao nível dos utilizadores, percebia as suas dificuldades, porque eram as minhas, tinha empatia pelas suas dúvidas porque eram, ou já tinham sido, as minhas. Era uma enorme vantagem competitiva, para perceber as perguntas (há perguntas feitas pelos utilizadores que os geeks pura e simplesmente não percebem, porque têm o cérebro organizado de forma diferente).

 

Ainda hoje sou um pouco assim mas, há conta de tantos anos a trabalhar nesta área, presumo que esta seja uma competência que tenho vindo a perder com o tempo.

 

E o exemplo mais gritante desta minha perda de competências é a última campanha de rádio da Stapples Office Center, em que anunciam descontos numas impressoras cujo sales argument é : "imprime mails". Não queria acreditar no que estava a ouvir, e fui à procura de mais informação no site da Stapples. Eu tinha de estar enganada.

 

Mas não. Pior ainda do que eu pensava. Mais do que imprimir mails, estas impressoras com desconto imprimem directamente da Internet. Uau! Não é só o mail, é toda a internet ao alcance da impressão. Vamos imprimir a Internet.

 

Já vejo uma catrefada de gente a querer comprar estas impressoras, para poder imprimir as Internetes, e arquivá-las, em dossiers, ordenados alfabeticamente. Presumo que os dossiers com a letra W sejam muitos. E o H também será muito concorrido.

 

E percebo que estou a perder qualidades. Não me identifico com estas pessoas e, lamentavelmente, creio que são, ainda, a maioria.

 

Estou ultrapassada.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O meu Smart

por jonasnuts, em 03.03.11

Tenho andado aqui a dizer aldrabices, quando digo o meu carro, o meu Smart e coiso e tal. A bem dizer, só a partir de ontem é que estas frases se tornaram verdadeiras. Sim, ontem, depois de 4 anos a "suaves" prestações mensais, o Smart é, finalmente, meu.

 

Continua a ser o meu carro novo, apesar de andar cheio de lixo (imagem de marca). Já não estranho ver o puto sentado ao meu lado. Já não avanço para a frente do carro, confundindo a porta do condutor com a porta traseira (vinha habituada a carros de 5 portas), já não levo a chave à ignição ao pé do volante.

 

Continuo satisfeita, no entanto, se soubesse o que sei hoje, teria optado pelo extra da direcção assistida, que dá um jeitaço.

 

Portanto, a partir de hoje e agora de forma mais honesta, quando falar do Smart, estarei, de facto, a falar do MEU carro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Pág. 3/3





subscrever feeds


Arquivo