Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





subscrever feeds


Arquivo



Alguém se lembra?

por jonasnuts, em 03.10.08

Sem ser ontem à noite, quando é que a Internet em Portugal atascou, e por que motivo?

 

Eu sei, mas vocês, sabem?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Antes de mais, que fique claro que, se eu coloco aqui esta tentativa de explicação, for dummies, é porque eu própria precisei que me explicassem, devagarinho, o porquê da coisa. Não achem já que eu venho para aqui escrever, armada em entendida, que sou em algumas coisas, mas não nisto.

 

Então para começar, e para que não restem quaisquer dúvidas, a Internet atascou porque o BENFICA - GLORIOSO é o melhor, maior, mais belo clube de todo o mundo e mais além. Óbvio.

 

E foi precisamente por causa disso que a Internet atascou. O SAPO transmitiu o jogo, e o SAPO está obviamente na rede da PT. Mas nem todos os adeptos, simpatizantes, fãs e demais apreciadores do Benfica têm o seu acesso à Internet fornecido pela PT, isso significa que tiveram de aceder à rede da PT para poderem ver o jogo.

 

Imaginemos que a rede da PT é o Marquês de Pombal, outros fornecedores de acesso à Internet têm uma ligação à rede da PT, que permite aos seus clientes acederem a sites que estão na rede da PT, e vice versa. Estes outros fornecedores de Internet são as avenidas que vão desembocar no Marquês de Pombal. Quem decide o tamanho destas avenidas são essas empresas. Ora, o número de carros que podem entrar no Marquês, vindos de cada uma dessas avenidas, está calculado em função do tráfego normal do dia-a-dia. E para o dia-a-dia o número está bem calculado, e vai funcionando. Passam aqueles carros, e as avenidas que vão dar ao Marquês não entopem.

 

O que o Benfica e o SAPO fizeram ontem foi criar uma hora de ponta da Internet. No meio do Marquês de Pombal estava uma coisa que toda a gente queria ver, e então toda a gente se pôs a caminho do Marquês.

 

Os senhores que mandam nas avenidas que vão dar ao Marquês deitaram as mãos à cabeça, e não puderam fazer nada, porque as avenidas não se alargam assim do pé para a mão. E o que aconteceu foi que quem já estava no Marquês (portanto, os clientes da PT) conseguiram ver o que queriam ver.

 

Os que tentavam chegar ao Marquês pelas avenidas encontravam tudo empancado. E começaram a tentar meter os carros por cima dos passeios, e passar uns por cima dos outros, mas a certa altura, esgotaram definitivamente a capacidade das avenidas. Não dava mesmo mais. Uns ainda estavam suficientemente próximos para irem vendo alguma coisa, mesmo que aos bochechos, interrompidos por um autocarro que passava, ou uma camioneta carregada de qualquer coisa, mas para muitos, o trânsito era tanto que não conseguiram chegar, em tempo útil, ao Marquês.

 

Ora para piorar a coisa, temos também de contar com as pessoas que querem chegar ao Marquês, mas que não têm uma avenida para o efeito. Refiro-me aos clientes das empresas que não têm uma ligação directa à PT e que, por isso mesmo, têm de enviar os seus clientes por umas estradas alternativas, basicamente as pessoas têm de ir ao estrangeiro, entrar na avenida do tráfego internacional e depois chegarem ao Marquês. Só que a rua que lhes permitiria saírem de Portugal também estava cheia, porque, claro, todos os clientes dessa empresa queriam ir ao Marquês, mesmo que isso os obrigasse a darem uma volta ao bilhar grande. Atascaram. É mesmo capaz de ter havido quem tenha optado por fechar as fronteiras, tal era o pandemónio de gente a querer pirar-se.

 

Os poucos que não queriam ir ao Marquês (certamente porque estavam a acompanhar o evento de qualquer outra forma) mas que queriam fazer qualquer coisa na internet, encontravam tudo empancado e atascado, porque o trânsito do Marquês chegava a todo o lado, e entupia a cidade toda. Qualquer pessoa que quisesse chegar à rede da PT, por exemplo, aos Blogs do SAPO, apanhava com o trânsito todo, isto tudo porque os Blogs do SAPO estão, tal como o Benfica estava ontem, no Marquês.

 

Portanto, como podem perceber pelo acima descrito, se não houvesse tanta gente a querer ver o Glorioso, nada disto acontecia. O Benfica é grande. E já agora, para os que estavam a pensar no assunto, a analogia do Marquês não é inocente. Quero ver se durante 2009 lá passo a pé, com a família toda, umas bandeiras à mistura, numa noite feliz.

 

Mensagem a reter? Senhores das avenidas, em dia de jogo do Benfica, alarguem as avenidas, que todo o trânsito vai dar ao Marquês.

Os senhores geeks que aqui vierem, poupem-me com os bits e os bytes, e os megas e os giga e os mega e o peering. Eu não percebo nada disso. Se acharem que há por ali umas avenidas que precisam de ser corrigidas, façam o favor, muito agradecida.

 

A gerência deste estabelecimento agradece a consultoria técnica (e a paciência) do Poingg e do pessoal que fui cravando, nos corredores do SAPO, para me ajudarem a perceber a coisa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Para os mais distraídos

por jonasnuts, em 02.10.08

Os poucos desgraçados que ainda não têm MEO (e não sabem o que perdem) e que querem ver o Benfica, saibam que o podem fazer aqui, com os cumprimentos do SAPO.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O tampo da discórdia

por jonasnuts, em 01.10.08

Há anos que oiço falar do tampo da sanita como fonte de discórdia secular entre o elemento feminino e o elemento masculino do casal.

 

Confesso que sempre me fez confusão. Não percebo como é que uma coisa que eu nem sequer percebo para que é que serve, é um dos objectos mais vezes acusado de causador de sérias discórdias familiares.

 

Não percebo.

 

Os que querem para cima, ponham para cima, os que querem para baixo, ponham para baixo. Comigo vivem 3 homens (vá, 3 elementos do sexo masculino, para abreviar já mentes mais pecaminosas) e eu não me lembro de sequer me passar pela cabeça chatear-me porque o tampo está para cima.

 

A bem dizer, a coisa já é tão mecânica, que nem me suscita qualquer pensamento. Se está para cima, baixa-se, se está para baixo, sento-me.

 

É um mistério para mim como é que um objecto tão inútil e tão inofensivo causa tanta celeuma.

 

Alguém me explica?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Aceitam-se apostas

por jonasnuts, em 01.10.08

Ele já me tinha falado sobre isto, ontem à noite, e hoje vi a notícia.

 

A Renault vai exibir uns carrinhos na Av. da Liberdade, sendo que o isco é um monolugar conduzido pelo filho do Nelson Piquet.

 

A Av. da Liberdade, o local com mais poluição atmosférica de Portugal vai ser fechada para que a Renault possa polui-la ainda mais. Mas a verdadeira questão não é essa.

 

A verdadeira questão prende-se com a resistência do tal monolugar. Aquilo é um carro baixinho, certo? Muito baixinho.

 

Tendo em conta o estado do piso da Avenida da Liberdade, quantos metros é que o monolugar vai conseguir andar sem se partir todo?

 

Isto se lá conseguir chegar em primeiro lugar, tendo em conta o estado do piso dos acessos à Av. da Liberdade.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pág. 4/4





subscrever feeds


Arquivo