Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



Se esta nova lei dos cigarrinhos serviu indirectamente para alguma coisa, foi para criar, pelo menos em mim, uma indisfarçável animosidade em relação às pessoas que agora passam por um fumador, que se encontra a fumar um cigarro, na rua, no cumprimento da lei, e olham com um arzinho de bem-feita, grande mula, que andaste a poluir os pulmões de pobres indefesos ao longo dos anos. Agora fumas à chuva e ao frio, que é para veres o que é bom para a tosse. Ora, o que é bom para a tosse já eu sei, tendo em conta que fumo, seus estúpidos.

Também me custa ver o arzinho comprometido de alguns fumadores envergonhados, que escondem o cigarro, e que disfarçam, tentam fazer passar a coisa como fumo social, isto não é vício, eu deixava de fumar já amanhã se quisesse. Um pouco mais de personalidade, seus conhos.

Lamento imenso, mas todo e qualquer ar sobranceiro que me dirijam enquanto eu estiver a fumar um cigarro, seja lá onde for, leva de volta um ar de "queres ir lá para fora resolver o assunto?". Dou-te uma tareia, não digo com uma mão atrás das costas, mas pelo menos, com o cigarro no canto da boca. Normalmente encolhem-se e remetem-se à sua insignificância de onde nunca deviam ter saído. Se gostam assim tanto de ver os outros a cumprir a lei, que vão depressa declarar às finanças o dinheiro que andam a receber pela porta do cavalo, por fazerem uns recados ao senhor engenheiro, quando em simultâneo recebem o cheque do fundo de desemprego. Pobres, de finanças e de espírito.

Alonguei-me numa direcção diferente da original. Que se lixe. Em blogs mandam as regras que os posts sejam pequenos, mas como já repararam, eu gosto pouco de ser mandada.

Então hoje, numa das minhas descidas à rua para fumar um cigarro, sozinha, oiço de raspão uma conversa entre dois caramelos que passam por mim. Perguntava um, mas o que é que tu tens contra os gays? Respondia o outro, eu não tenho nada contra os gays, até tenho imensos amigos gay..... e depois foram-se, demasiado longe do alcance do meu ouvido que, informo, é de tísica.

Sempre me fez espécie esta afirmação que as pessoas atiram, como que para se defenderem de uma qualquer acusação. Racista? Eu não sou racista. Até tenho amigos de cor (quando dizem "de cor" está tudo lixado, pelo menos se a conversa for comigo, mas isso fica para outro dia).

Com a sexualidade é a mesma coisa. Homofóbico? Eu? Nem pensar. Eu até tenho amigos gay.

Interessante, esta coisa de terem de se justificar com pretensas amizades. Eu tenho poucos amigos, bons, mas poucos. E salvo raras excepções, não sei, nem me interessa a sua orientação sexual. Quero lá saber se gosta de homens, se gosta de mulheres, se gosta de cães de gatos ou de ovelhas. Não é a sexualidade de outro que define ou condiciona a minha amizade.

É semelhante a outra, que também ouvi hoje (ou ontem). Mas tu gostas assim tanto do Freddie Mercury? Não sabias que ele era gay?

O que me leva ao título do post.

Idiotas? Eu adoro idiotas. Tenho imensos amigos idiotas.

Autoria e outros dados (tags, etc)



31 comentários

Sem imagem de perfil

De Marco a 19.01.2008 às 02:00

Bela posta, Jonas.
Imagem de perfil

De entreparentes a 19.01.2008 às 10:15

Com aquela de dizeres que toda a gente sabe que eu sou tua mãe inibiste-me de tal maneira que agora penso, não duas mas várias vezes, antes de escrever qualquer coisa.

Já evito comentar-te mas, desta vez, que se lixe...

Post brilhante este !!!
Imagem de perfil

De jonasnuts a 20.01.2008 às 00:29

Mas ó mãe, tu, uma ex-fumadora, que passa a vida a chatear-me a molécula para eu deixar de fumar..... mas, mas, mas, mas.......

:)
Imagem de perfil

De * * Grilinha * * a 19.01.2008 às 15:52

Identifico-me totalmente com o post.

Não é por acaso que andei a publicar no meu blog alguns textos de uma amiga que está a deixar de fumar por vontade própria e pela saúde dela.
Se todos fizessem só o que é "certo", este Mundo já tinha parado de tédio.

Se não houvesse fumadores quem me teria pago o ordenado drante 14 anos?
Na Fábrica o fumar era livre e nos gabinetes do escritório nunca ninguém teve problemas porque o Sr A ou a Srª Z fumavam.
A orientação sexual ou a raça nunca foram impedimento para que eu contratasse quem tinha capacidades para o lugar a que se candidatava.

Há dias, no Vasco da Gama, vi os olhares reprovadores de duas senhoras (com ar de falsas-beatas) ao repararem nas moçass do salão de cabeleiro a fumar cá fora.
Não me contive e parei junto delas comentando alto.
- Andam a bater com a mão no peito (minha máxima culpa) e sabe-se lá o que fazem ás escondidas.

Torceram o nariz e deitaram-me um olhar tal que não me fulminou por pouco.

Dizem que tenho mau feito!! Mas eu não me importo.
Sou nariz empinado? Pois sou, comuito gosto.
Reivindico os meus direitos.
Faço os possiveis por cumprir a Lei (apesar de achar que as regras são feitas para ser quebradas).
Respeito a liberdade dos outros.

Não fumo nem nunca fumei mas bebia 15 cafés por dia e não passo sem jogar (de preferência a €€). Venhamde lá acusar-me a ver se eu me ralo!!!

Bom Fim de Semana que eu vou aproveitar dar ar e sol ao esqueleto
Imagem de perfil

De * * Grilinha * * a 19.01.2008 às 15:52

ops .. desculpa o post tão longo
Imagem de perfil

De esquisito a 19.01.2008 às 16:27

Concordo com o post todo, mas o que me leva a comentar é novamente o tabaco...

Realmente... Ok, o que há mais por aí é pessoas que gostam de ver o parceiro lixado, neste caso, a apanhar frio e chuva para fumar. Não me surpreende.

O que não percebo é esse pessoal que de um dia para o outro ficou com vergonha de ser fumador... Antes era óptimo e agora pecado? Se fôr preciso até são os mesmos que antes se orgulhavam de o ser, e lançavam grandes nuvens para o ar...
Sem imagem de perfil

De Edson Medina a 19.01.2008 às 19:30

Realmente... Ok, o que há mais por aí é pessoas que gostam de ver o parceiro lixado, neste caso, a apanhar frio e chuva para fumar. Não me surpreende.

E o mais correcto seria o quê? Irem os não-fumadores para a chuva?
Ou morrerem todos de cancro em conjunto?
Imagem de perfil

De esquisito a 19.01.2008 às 21:59

Edson, não percebeu o que eu quis dizer...

Eu, como NÃO fumador, convicto mas não fundamentalista, estou muito contente por finalmente ser proibido fumar na maior parte dos sítios (isto ignorando por momentos as excepções que andam agora a interpretar na lei). Num mundo ideal, não seria necessária a proibição, porque todos os fumadores iriam respeitar os não fumadores, mas sabemos que isso não acontece...

A minha frase que citou foi relativamente ao que a Jonas disse acerca daquelas pessoas que têm um prazer mesquinho em ver os outros sofrer. Como é óbvio não foi contra os não fumadores como eu.

E agora também digo outra coisa, aqueles que fumam por vício, deviam aproveitar agora para deixar de fumar, os fumadores convictos deviam "lutar" para que sejam criados espaços onde se possa fumar. Porque tal como às vezes era mau eu e alguns amigos virmos para a porta dos bares para conseguir respirar, também agora será mau em muitas circunstâncias os fumadores terem de vir para a rua.
Sem imagem de perfil

De Edson Medina a 19.01.2008 às 22:25

Num mundo ideal, não seria necessária a proibição, porque todos os fumadores iriam respeitar os não fumadores, mas sabemos que isso não acontece...

É precisamente por isso que muita gente retira agora prazer de vê-los ao frio e à chuva. :)

Eu acho triste apenas.

Só agora é que muita gente começa a perceber o quão viciados estão, e a consciência é o primeiro passo para a cura.

Tenho muitos amigos que reduziram drásticamente a quantidade de cigarros que fumam diáriamente, e nem sequer o fizeram com muito esforço (porque esforço é fumar à chuva).
Imagem de perfil

De jonasnuts a 20.01.2008 às 00:22

As pessoas que retiram qualquer prazer no desconforto do próximo são idiotas. Ponto assente.

Eu não quero uma lei que privilegie uns e prejudique outros. Quero uma lei que permita a todos, escolherem onde querem ir.

Não entendo o gozo das pessoas que nunca disseram porra nenhuma, e que agora se armam em paladinos da saúde dos pulmões dos outros, aqueles que pensam: esta lei é boa porque imensa gente vai deixar de fumar.

Acho muito bem que os não fumadores tenham os seus direitos protegidos, sempre me pautei por esse tipo de práticas, mas gostava de saber porque é que os fumadores são cidadãos de segunda, e não vêem os seus direitos igualmente protegidos.
Sem imagem de perfil

De Crisálida a 19.01.2008 às 16:40

Já disse que adoro esses teus posts indignados, né? hehehe

Eu não fumo, não gosto de cigarro, não gosto do cheiro, especialmente se estiver comendo. Mas já fui fumante, já incomodei outros sem nem me dar conta que estava incomodando, mas eu queria fumar e quem não estivesse satisfeito, se afastasse. Hoje, faço isso simplesmente. Se o cigarro estiver me incomodando de verdade, eu me afasto e pronto. Digo: "fulano, quando tu acabaste de fumar, eu volto", sempre em tom amistoso e naturalidade, como a situação é. Uma situação natural. O mesmo direito que a pessoa tem de fumar, eu tenho de não gostar do cheiro do cigarro. Simples assim. Sem piadinhas, sem comentários que burlam a liberdade nem dele, nem a minha. Meus colegas de trabalho que fumam e sabem que eu não gosto, fumam perto de mim, mas não baforam no meu nariz. Levantam um pouquinho, ou eu levanto. Nada de estresse. Só o respeito mútuo.

Quanto aos gays e demais que sofrem preconceitos, sem comentários. É tão idiota que nem vale... Eu que tenho um irmão gay, sei bem o que é esse tipo de preconceito. Das relações que mais acho lindas, é a do meu irmão com seu marido e minha sobrinha, filha do casamento com uma mulher que meu irmão teve antes de ter coragem de sair do armário. Os três vivem em uma harmonia e cumplidade raras. Minha sobrinha, de 17 anos, é um exemplo como ser-humano. Não está nem aí que exista preconceito. Fala para quem for, na escola, no curso, na família: "O Rodrigo é esposo do meu pai. Ele é o melhor padrasto do mundo!"

Pois eu também adoro idiotas, tanto que até tenho muitos amigos idiotas! hehehehe

Sem imagem de perfil

De Edson Medina a 19.01.2008 às 19:31

Eu não fumo, não gosto de cigarro, não gosto do cheiro, especialmente se estiver comendo. Mas já fui fumante, já incomodei outros sem nem me dar conta que estava incomodando, mas eu queria fumar e quem não estivesse satisfeito, se afastasse. Hoje, faço isso simplesmente. Se o cigarro estiver me incomodando de verdade, eu me afasto e pronto. Digo: "fulano, quando tu acabaste de fumar, eu volto", sempre em tom amistoso e naturalidade.

Ou seja, se estiveres a almoçar num restaurante, interrompes e vais lá fora até que todos os fumadores apaguem os cigarros?

E obviamente, não podes andar nas discotecas nem bares, porque o cheiro a tabaco é constante.
Sem imagem de perfil

De Crisálida a 19.01.2008 às 19:39

hehehee

aqui no brasil temos leis que regulam o uso do cigarro nos restaurantes. não é proibido, mas há os locais para fumantes e não fumantes. sempre sento nos locais reservados aos não fumantes. se houver algum fumante na mesa, ele respeita a lei e levanta-se para fumar no local permitido sem precisar sair do restaurante.

quanto á discotecas e bares, o cheiro do cigarro nem me incomoda. Sabe onde me incomoda de verdade? quando a pessoa está fumando e jogando a fumaça no meu nariz, ou quando estou comendo. Só. nesses casos, onde eu estiver, me levanto sim. é um direito meu, assim como é do outro fumar.

Sem imagem de perfil

De Edson Medina a 19.01.2008 às 22:29

aqui no brasil temos leis que regulam o uso do cigarro nos restaurantes. não é proibido, mas há os locais para fumantes e não fumantes.

Aqui passámos a ter isso agora, com esta lei.

quanto á discotecas e bares, o cheiro do cigarro nem me incomoda.

Infelizmente a mim incomoda. E a muito mais gente.

Sabe onde me incomoda de verdade? quando a pessoa está fumando e jogando a fumaça no meu nariz, ou quando estou comendo. Só. nesses casos, onde eu estiver, me levanto sim. é um direito meu, assim como é do outro fumar.

É direito teu o quê? Levantar e dar prioridade ao fumador?
Se ambos temos direito a utilizar aquele espaço, porque raio tenho eu de sair para ele poder fumar em paz??? Isso é completamente descabído.
Sem imagem de perfil

De Crisálida a 19.01.2008 às 22:55

Ah, mas eu não vejo por esse prisma...

Mas claro que teu ponto de vista é válido e eu poderia exigir ficar no local e achar-me no direito de reclamar, mas eu *não consigo* agir assim com ninguém. Algo que eu prezo é respeitar os outros, e para mim o direito deles é tão prioritário quando o meu. Se ele não respeitam-me, é com eles e não comigo. Vou impor, sem acordos, quando houver necessidade real disso. Se eu estivesse necessitada de ficar no local por algum motivo importante, então eu pediria com gentileza para a pesso não fumar, se realmente estivesse precisando ficar.

Seria mais uma questão de bom-senso que de impor meus direitos. Eu não vou impor meus direitos quando o outro tb os tem. Podemos fazer acordos, mas transpor o direito do outro, não consigo. Faço exatamente isso no meu trabalho e nunca tivemos problemas. Quando priorizo o direito do outro, silenciosamente imponho o meu. A própria pessoa sente-se no dever de me respeitar, se ela tiver alguma noção de ética, e numa próxima vez se afasta para fumar. Cada um cede um pouco e não há conflitos.

Imagem de perfil

De jonasnuts a 20.01.2008 às 00:27

Concordo contigo Edson. Ambos temos o direito de usar aquele espaço. Desde que sejam criadas as condições para o efeito. "porque raio tenho eu de sair para ele fumar em paz?", certo. Mas já não te incomoda que eu tenha de sair, para tu ficares em paz. Porque tu estás certo e eu estou errada. Porque tu estás correcto, e eu não.

Criem-se condições para que haja igualdade, sem que ninguém saia prejudicado. Nem mais, nem menos.
Imagem de perfil

De MrCosmos a 20.01.2008 às 23:30

eissshhhh! já nem sei se diga ou se conte...
Condições? As auto-estradas tem condições para circular a muito mais de 120, porque é que sou punido se for apanhado a desrespeitar essa proibição?
Pelo mesmo motivo que agora fumar, é na rua.
Porque na falta de cívismo, consciencia e respeito pelos outros, só se lá vai "castrando-se" certas pseudo liberdades.
eisssshhhh..... idiotice começa a parecer tanta lamúria, parece que vos puseram algum dedo na ferida...
Imagem de perfil

De jonasnuts a 21.01.2008 às 09:39

Eu cumpro a Lei, aliás, disse-o no post. Mas acho que a Lei não respeita os direitos de todos, igualmente. Por isso, não acho que seja uma lei justa, por isso, cumpro-a, mas não me calo.

Preferias uma série de pessoas cumpridoras e obedientes, que não levantassem a voz se discordam de algo? Isso não são pessoas pá, são ovelhas.

E eu sou pouco de manadas e rebanhos.

E já agora, explica-me lá porque é que fumar, respeitando todos, é uma pseudo-liberdade e não uma liberdade. Não percebo.
Imagem de perfil

De MrCosmos a 21.01.2008 às 10:23

Que a lei saiu feita em cima do joelho e com bastante lacunas, já todos sabemos.
Manifestar indignação, pois que acho muito bem, também gosto do fazer quando me toca..
Sobre fumar, respeitando todos, é que ela empeça... é que para o fazerem (e falo da generalidade), mal ou bem, teve de se decretada esta lei. Agora ou o fazem em locais abertos, ou o fazem em locais destinados para o efeito. Fazem-no sem incomodar os demais.

Entender que se tem o mesmo direito que os demais de usufruiur de um espaço para fazer gosto ao vício, se criadas as condições, que se sabe que "jamais" serão eficientes, é uma pseudo-liberdade no sentido em que a minha liberdade acaba onde começa a do outro. Se sou eu que tenho um problema (vício), sou eu que tenho de ir para a rua. E vão de boa mente, penso eu, os que admitem que querem usufruir da sua liberdade de manter o seu vício. Sentem-se marginalizados? Isso é outro problema e discussão.
Há mais quem recla-me do mesmo.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 21.01.2008 às 11:20

Ah, mas eu não me sinto marginalizada. Não dou essa satisfação aos senhores que se acham moralmente superiores porque não fumam.

A minha liberdade acaba onde começa a dos outros, sempre usei essa máxima na minha vida. Se calhar é porque eu já antes da lei respeitava os outros, que me dou mal com esta imposição.

Ninguém tem nada a ver com os problemas (ou pseudo-problemas) que eu tenho, desde que não prejudique terceiros. Não dá para ir pelo caminho do "fumar é um vício, por isso é um problema, por isso, as pessoas que têm este problema têm de ser penalizadas".

Eu também tenho um problema com os impostos que pago e dos quais não vejo resultados práticos, vão-me resolver esse problema?
Sem imagem de perfil

De maria s a 21.01.2008 às 09:53

E se a mim (e a muita gente) incomoda o barulho excessivamente alto de alguns bares e discotecas, quando é que se faz uma lei que obrigue a ouvir musica baixinho? ou se implementa o uso obrigatório de headphones para quem quer ir "abanar o capacete"?
já agora... e também proibia o cheiro a suor e cheiro a fritos que, apesar de não fumadora, me incomoda muito mais do que tabaco.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 21.01.2008 às 10:00

E perfume. O cheiro a perfume ranhoso (ou não ranhoso, mas intenso), faz-me dores de cabeça. Não é saudável de certeza absoluta.

Proiba-se também isso.

E os carros, são mais poluentes que os cigarros, e também provocam cancros, para além de contribuirem para a diminuição da camada de ozono, e por isso mesmo, indirectamente, contribuem para o cancro da pele. E os aviões já agora.

Proiba-se tudo. Já.
Sem imagem de perfil

De Edson Medina a 21.01.2008 às 10:20

E perfume. O cheiro a perfume ranhoso (ou não ranhoso, mas intenso), faz-me dores de cabeça. Não é saudável de certeza absoluta.

No dia em que as discotecas ou os restaurantes estiverem todos impregnados com o cheiro a perfume ranhoso, podes ter a certeza que eu sou o primeiro a reclamar.

E os carros, são mais poluentes que os cigarros, e também provocam cancros, para além de contribuirem para a diminuição da camada de ozono, e por isso mesmo, indirectamente, contribuem para o cancro da pele. E os aviões já agora.

Correndo o risco de me repetir, se os locais publicos que frequentas cheirassem a monóxido de carbono, TU serias a primeira pessoa a reclamar.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 21.01.2008 às 11:16

Não gosto do cheiro a perfume ranhoso ou sem ser ranhoso com que me deparo todos os dias nos elevadores que ambos usamos.

Não digo nada. Limito-me a fazer exercícios de sobrancelhas, ou, se for um caso em que toda a gente parece estar prestes a vomitar e eu própria não sei se aguento ou não, saio do elevador, ou abano o ar à frente do nariz. Umas vezes mais ostensivamente que outras.

Alguns dos locais públicos que frequento cheiram a monóxido de carbono, os parques de estacionamento, por exemplo. E eu não me queixo.
Sem imagem de perfil

De Edson Medina a 25.01.2008 às 15:27

Não gosto do cheiro a perfume ranhoso ou sem ser ranhoso com que me deparo todos os dias nos elevadores que ambos usamos.

Ehehe. Eu sei que dou pouco nas vistas e talvez não repares, mas já não usamos os mesmos elevadores desde dia 14 de Dezembro.

Agora uso uns elevadores em Miraflores :)
Imagem de perfil

De jonasnuts a 25.01.2008 às 15:31

Já não te via há algum tempo, mas não seria a primeira vez que passava uma catrefada de tempo sem te ver, e depois te via 2 ou 3 vezes seguidas :)

Miraflores?

Sortudo! :)
Imagem de perfil

De Rui Alves a 19.01.2008 às 20:26

Idiotas é o que mais se encontra por aí...
Sem imagem de perfil

De a. almeida a 21.01.2008 às 11:49

Esta questão ligada à nova lei do tabaco e à sua aplicação, é daquelas onde é extremamente difícil obter consensos , exactamente porque ambas as partes, fumadoras e não fumadoras, acham-se portadoras de direitos que devem ser respeitados. O problema é que o facto de vivermos em liberdade por si só comporta regras que, em última análise, podem ser entendidas com limitadoras da fruição dessa mesma liberdade pelas opções e orientações de cada pessoa. Por exemplo: Porque não respeitar quem não quer usar cinto de segurança no acto de condução? O porquê de ser obrigatório? Porquê a obrigatoriedade de os motociclistas usarem capacetes? Dou estes exemplos por considerar que é uma daquelas situações em que tal prática pode resultar essencialmente em prejuízo próprio e não para terceiros. Ora o mesmo não se aplica no direito de se conduzir embriagado, porque aqui entendo que para além do risco da própria vida, coloca-se em causa a vida de terceiros.
A questão do fumar em espaços públicos afigura-se como uma das situações em que choca com os direitos de terceiros, neste caso os não fumadores, porque os fumadores certamente não se importam de partilhar fumos.
Mas pronto, discutir este tema, como outros em que nitidamente há fracções e facções, pode ser interessante, mas certamente não leva a conclusão alguma.
Jonas, não é que seja esquisito mas não gostaria de ter um amigo que se relacionasse sexualmente com ovelhas assim como não gostaria de ter um amigo pedófilo.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 21.01.2008 às 11:59

Eu também não gostava de ter um amigo pedófilo. Aliás, as duas palavras são incompatíveis. Mas a questão é...... eu não sei quais são as inclinações e opções sexuais dos meus amigos. Nem me interessa :)
Sem imagem de perfil

De Bocage4x a 22.01.2008 às 18:06

Não deve ser lá uma grande amizade, para não querer saber da orientação sexual dos seus amigos.
Uma coisa é tanto lhe dar serem o que quiserem ser, outra coisa é o "Quero lá saber".
Percebo a ideia, mas lá que ficou mal isso ficou.
Cumprimentos
Imagem de perfil

De jonasnuts a 22.01.2008 às 19:17

Qual é a diferença entre não quero saber e não me importa qual seja?

A mim interessa-me conhecer duas orientações sexuais. A minha, e a do meu parceiro. Tirando estas duas, o resto é-me absolutamente indiferente e não é, sequer, um tema ao qual eu dedique 2 segundos do meu tempo.

Comentar post






Arquivo