Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



O post obrigatório

por jonasnuts, em 02.01.08
Já vi nas várias Blogosferas (sim, há várias) posts sobre este tema. A nova lei do Tabaco ou Anti-Tabaco ou o raio que o parta.

Tempo de disclaimer: sou fumadora. Ando com o livro que o Bitaites recomenda, na mochila, a pesar-me nas costas há 3 ou 4 meses. Hei-de lê-lo, mas não para já (ver post anterior).

Vejo os abstinentes a regozijarem-se, porque agora é que é, a sua vidinha vai melhorar substancialmente, porque já não vão ser fumadores passivos. Agora é só saúde a rodos. Todos os problemas vão ser resolvidos.

Lamento, senhores e senhoras, os meus hábitos de fumadora não vão mudar assim tanto. Eu já não fumava (mesmo que fosse permitido) se achasse que o fumo do meu cigarro ia incomodar ou prejudicar quem estivesse nas imediações.

No trabalho, encontrar-se-á um meio termo que permita respeitar a lei e fumar um cigarro de vez em quando (que nestas fases iniciais há sempre a mania dos radicalismos), nos centro comerciais, não se fuma, muito bem, também já não se fumava nos hospitais e nas escolas, e não me cheira que tenha saudades de passar tempo num centro comercial.

De resto? No big deal. Business as usual.

Autoria e outros dados (tags, etc)



17 comentários

Sem imagem de perfil

De Edson Medina a 02.01.2008 às 22:59

"Eu já não fumava (mesmo que fosse permitido) se achasse que o fumo do meu cigarro ia incomodar".

"Se achasse" é a keyword.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 03.01.2008 às 00:18

Precisamente, depende do critério de cada um e acredita-me, foram muitas as vezes em que apaguei um cigarro porque uma família com crianças se veio sentar na mesa ao lado da minha.

Tenho a consciência tranquila, mais, acho que se pode coexistir sem atropelos. Pelos vistos quem fez a lei não acha possível essa coexistência.
Imagem de perfil

De pedrocs a 02.01.2008 às 23:06

Bah, agora é a mesma conversa.

E se por cada um que é como tu - respeitadora - há 300 que são como os outros. São esses 300 que fizeram ser precisa esta lei opressiva.
Imagem de perfil

De AnaD a 02.01.2008 às 23:41

"Eu já não fumava (mesmo que fosse permitido) se achasse que o fumo do meu cigarro ia incomodar ou prejudicar quem estivesse nas imediações."

O problema não são os fumadores respeitadores ... o problema são as cavalgaduras que acham que fumar é um direito adquirido e que muitas vezes me respondem "se tal mal mude-se".

Tenho amigos fumadores, inclusive tive um namorado fumador e quando existe respeito existe dialogo, e quando existe dialogo existe harmonia ... desculpem-me o meu francês mas há fumadores que só mesmo enfiando o cigarro num sitio onde o sol não brilha.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 03.01.2008 às 00:20

Não te preocupes com o francês, que também não é a minha especialidade.

No entanto, eu generalizaria ainda mais. Não é uma questão de fumadores e não fumadores. Há pessoas que mereciam levar com qualquer coisa pelo cu acima. Umas são fumadoras, outras não :)

(e o meu francês é pior que o teu).
Imagem de perfil

De esquisito a 03.01.2008 às 00:14

"Vejo os abstinentes a regozijarem-se, porque agora é que é, a sua vidinha vai melhorar substancialmente, porque já não vão ser fumadores passivos. Agora é só saúde a rodos. Todos os problemas vão ser resolvidos."

Não sou assim tão optimista, mas se a lei fôr, caso geral, cumprida, acredito que vão haver melhorias significativas. Eu pelo menos vou deixar de me retrair em saídas nocturnas, o que fiz nos últimos meses/anos por causa, essencialmente, do fumo.

E pelo que leio aqui, até acredito que tu respeites as outras pessoas, mas a grande maioria não. E apesar da maioria dos fumadores entrevistados nos últimos dias afirmarem que concordam com a lei, e que acham bem, pelo respeito aos fumadores, duvido que algum deles mostrasse esse respeito até agora, não fumando.

E depois ainda há casos como este:

http://sopanobide.blogspot.com/2008/01/o-estado-da-nao-verso-esfumaada.html

Ah, e nas escolas fuma-se, e bastante. Só depende de quem está a ver.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 03.01.2008 às 00:23

Fumar na escola, já lá vai o tempo.
:)
É possível que sim, e acredito que sim, mas eu, não fumo numa escola desde os 16 (mais coisa menos coisa).

Eu não saio à noite, por isso não falo do que não sei, o que eu sei é que gosto pouco de fundamentalismos, seja qual for o lado para que torçam :)
Imagem de perfil

De Ricardo a 03.01.2008 às 01:44

Nem todos são respeitadores das liberdades dos outros... Tu és uma excepção , pois a maioria, abusava e não respeitava quem não fumava.
Imagem de perfil

De jonasnuts a 03.01.2008 às 01:50

Humm.... como é que sabes?

Podes dizer que havia (há) muitos fumadores mal educados. Eu generalizo ainda mais, e digo que há muita gente mal educada. A minha questão é, como é que tu sabes que os fumadores bem educados, são uma minoria?

Só porque achas que sim?

Eu quando terminava a minha refeição, bebia o meu café e optava por não acender um cigarro, não me punha de pé, na cadeira do restaurante, a anunciar: olhem, meus senhores, eu ia fumar, mas por achar que o fumo ia incomodá-los, optei por não acender o meu cigarro.

Como é que distingues os fumadores dos não fumadores, a não ser que tenham um cigarro aceso na mão?

Se eu não fumar à tua frente, como é que sabes que eu sou uma fumadora que opta por não acender o cigarro num determinado momento?
Imagem de perfil

De Ricardo a 03.01.2008 às 02:22

Há muita gente mal educada e sem cultura social. O ser fumador ou não, não tem nada a ver. Simplesmente o que quero dizer, é que agora pagam os justos pelos pecadores, não sei se á a melhor forma, mas concordo que se restrinja os locais para fumadores.Sou fumador passivo e assisto(ia) a um abuso permanente de muitos fumadores que não respeitavam quem não fuma. Só isso. Nos locais públicos acho muito bem. Só espero que não passe do 8 para o 80, claro!Os fumadores têm direitos iguais aos não fumadores.
Sem imagem de perfil

De cpinto a 03.01.2008 às 18:41

Não, claramente não têm porque um fumador não pode exercer o seu direito enquanto toma um café. Este tipo de segregação, na realidade, faz-me lembrar outros tipos de segregação do início de séc. XX.

Uma lei alternativa poderia dar a escolher aos donos dos espaços em questão a política a aplicar. Certamente que deviam haver na mesma espaços onde fosse proíbido fumar. Na hora de escolher o café/disco/bar/whatever, caberia ao não-fumador convencer os seus amigos de que deviam ir para aquele espaço e não para outro onde é não existe proibição. Desta forma, os grupos de fumadores podiam continuar a tomar o cafézinho e a charutar onde tal fosse possível.
Sem imagem de perfil

De zé (do beco) a 04.01.2008 às 18:37

Mesmo que nesse estabelecimento existissem empregados não fumadores (e até com problemas respiratórios), cujo patrão se estivesse borrifando para eles, já que há porta tem meia dúzia de candidatos dispostos a ocupar o lugar pelo salário mínimo nacional?
Isto não é assim tão simples, e digo-o com conhecimento de causa, porque sou ex-fumador e ex-canceroso (assim o espero) e se sei por experiência própria o mal que o cigarro pode fazer, também compreendo o quanto custa deixar de fumar.
Deixar ao critério ou à consciência de cada um, também não resolve nada, porque a consciência era ver e vei um burro e comeu-a. E, se bem que note nesta lei alguns laivos de fundamentalismo, acho que ainda é cedo para despedir o Sócrates.
Com tantas coisas, e bem piores, que se estão a fazer na saúde e no ensino, até dá a impressão que esta lei é mais uma "cortina de fumo" para distrair a malta.
Enquanto se discute o fumo, vão acabando as urgências, as maternidades, os empregos, etc.
Um bom ano.
Sem imagem de perfil

De Autor Convidado a 05.01.2008 às 03:36

Mesmo no bull Zé! Todos os problemas dos portugueses passaram a ser: "Mas onde raio posso fumar um cacilho?".

Sou fumador e já tentei deixar meia dúzia de vezes, mas quando vem um scotch ou uma cerveja à mistura não dá para evitar. A única coisa que esta lei alterou, foi o facto de, agora me poder embebedar em casa com desculpa.

Ahh e diz que andam a fechar urgências...
Imagem de perfil

De Mário a 05.01.2008 às 03:40

Ups. Este "autor convidado" sou eu (longa história).

Mas também diz que andam a fechar maternidades...
Sem imagem de perfil

De Paulo Martins a 17.04.2008 às 00:18

Fumadores uni-vos.
Sou fumador e acho que devemos respeitar os não fumadores. Mas também acho que devemos ser respeitados.
Por cada cigarro que fumo pago uma bestialidade de imposto. Este imposto devia dar para eu ter também locais para fumar.
Penso que deviam de existir cafés, bares e restaurantes para fumadores e não fumadores.
A única forma de pressionar os proprietários , para que estes pressionem quem de direito, é frequentar cada vez menos os locais de não fumadores. Optar sempre que possível, frequentar sítios de fumadores.
Comprar tabaco em tabacarias, pois se não posso fumar também eles não deviam poder vender tabaco.
Aquando das idas a restaurantes, comer e vir embora sem tomar café, sobremesas ou digestivos. A conta fica substancialmente mais leve e danifica o lucro do proprietário. Deixemos para os não fumadores a responsabilidade de manter esses sítios abertos.
Os locais que hoje em dia sobrevivem com dificuldade ou se adaptam ou fecham.
Resumindo se querem o meu dinheiro, façam por isso.

Paulo Martins
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Fumadores uni-vos. <BR>Sou fumador e acho que devemos respeitar os não fumadores. Mas também acho que devemos ser respeitados. <BR>Por cada cigarro que fumo pago uma bestialidade de imposto. Este imposto devia dar para eu ter também locais para fumar. <BR>Penso que deviam de existir cafés, bares e restaurantes para fumadores e não fumadores. <BR>A única forma de pressionar os proprietários , para que estes pressionem quem de direito, é frequentar cada vez menos os locais de não fumadores. Optar sempre que possível, frequentar sítios de fumadores. <BR>Comprar tabaco em tabacarias, pois se não posso fumar também eles não deviam poder vender tabaco. <BR>Aquando das idas a restaurantes, comer e vir embora sem tomar café, sobremesas ou digestivos. A conta fica substancialmente mais leve e danifica o lucro do proprietário. Deixemos para os não fumadores a responsabilidade de manter esses sítios abertos. <BR>Os locais que hoje em dia sobrevivem com dificuldade ou se adaptam ou fecham. <BR>Resumindo se querem o meu dinheiro, façam por isso. <BR><BR>Paulo Martins <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>paulolacm@gmail.com</A>
Sem imagem de perfil

De Crisálida a 03.01.2008 às 03:23

aqui no brasil temos essa lei há alguns anos, e é uma maravilha. eu fui fumante por 7 anos, e já parei há 12 anos. Parei radicalmente, do dia para a noite, e nunca mais tive vontade, n verdade tenho até nojo. foi uma questão totalmente emocional. Vi, quando visitava meu tio no hospital, um senhor sofrer demais em estado terminal por um efizema pulmonar. Fiquei chocada, e nunca mais consegui fumar. mas mesmo quando eu fumava, não suportava o cheiro de cigarro enquanto comia, e quando ia à algum restaurante, era um suplício, por isso, sempre achei boa essa lei.
Imagem de perfil

De pechanense a 03.01.2008 às 18:20

Como é que foi possível alguém que não tem o "vício" das "redundâncias" não ter ter sido capaz de resistir aos "impulsos postatórios"!? :-)

Infelizmente esta nova lei é necessária porque existem fumadores que no sua liberdade não respeitam a liberdade dos não fumadores... mas haverá sempre maneira de contornar esta lei como em outras!

Um abraço e (uma "redundância" da minha parte), Bom Ano!

Um abraço!

Comentar post






Arquivo