Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Arquivo



A crise

por jonasnuts, em 24.12.07
A crise foi de férias, durante o Natal.

Moro ao lado de um centro comercial, o que durante quase todo o ano, é uma vantagem. Ter as coisas perto, e uma disponibilidade de horários grande.

Mas em finais de Novembro, até ao dia 24 de Dezembro, essa vantagem torna-se numa enorme desvantagem. O Oeiras Parque fica completamente atulhado. E quando eu digo atulhado, refiro-me a que anda-se de t-shirt lá dentro, tal é o calor humano que tanta gente junta emite. Dizia-me noutro dia um membro da equipa do centro comercial que no Natal o ar condicionado refresca, como no Verão, em vez de aquecer.

As filas são mais que muitas, e apesar de haver uma catrefada de lugares de estacionamento, vêem-se carros até à entrada da auto-estrada.

Este ano foi o pior de todos, até agora. Hoje às 10 da manhã já havia bicha (eu cá não sou de eufemismos e para quem me lê do Brasil, bicha é como nós por cá chamamos às bichas e às filas), havia bicha, dizia eu, em TODAS as caixas para pagar. E não se julgue que eram comprinhas de última hora. Carros atafulhados, cheios. Vídeos, consolas, televisões, grandes volumes.
Pessoas stressadíssimas, cheias de pressa, a tentar passar as outras, a empurrarem-se. Eu própria, que estava tão quietinha no meu canto, quase me vi envolvida numa cena de pancadaria por causa duma palerma que insistia em pôr as coisas dela em cima da minha alface. Quer ver quem é que empurra mais? Perguntei do alto do meu metro e setenta e um, para baixo, para pouco mais de metro e meio, depois da senhora me ter empurrado pela terceira vez a alface. Mediu-me, olhou para a minha cara, e ajuizadamente decidiu que era melhor não experimentar.

No meu quarto já estão os sacos que o Pai Natal vai trazer para os meus sobrinhos. 2 sacos, grandes. Quase cheios, e ainda não está tudo.

À volta da árvore acumulam-se os volumes. Faltam as minhas, as da minha mãe, as do resto das pessoas que cá vêm. Já não há espaço.

E isto numa casa de tesos, pronto, desenrascados, vá, que há quem nem para estas coisitas tenha trocado.

Portanto, devia ser sempre Natal, porque no Natal não há crise.

Acordo para realidade com um post do Corta-Fitas.
Parece que sim, que há crise. Anda é mais escondida. Ou se calhar, somos nós que não a queremos ver, e fechamos os olhos, e deixamos a crise dos outros passar, para os voltarmos a abrir.

Eu não vou fechar os olhos.

E sim, o Corta-Fitas está alojado na concorrência, mas que se lixe, é um Blog de que eu gosto muito, e é por uma belíssima causa.

Autoria e outros dados (tags, etc)



5 comentários

Sem imagem de perfil

De Crisálida a 24.12.2007 às 16:35

Para evitar crises aqui em casa, recebemos um e-mail do duende que é chefe de produção da fábrica do Papai Noel (Pai Natal)... Dizia ele, dirigindo-se à minha filha, que lamentava muitíssimo, mas a máquina que fazer "Navios da Polly Pocket", estava quebrada, e esse ano não teria como o Papai Noel dar essa prenda para nenhuma criança. E ele estava avisando para todas as crianças que mandaram e-mail para lá pedindo essa prenda.
A resposta dela foi: "Justo esse brinquedo! Que droga!"
hahahahahaha
Não haverá crises... :-)))
Sem imagem de perfil

De gajo dos abraços a 24.12.2007 às 18:34

Crise sempre houve e sempre há-de haver, em maior ou menor grau; o que *nunca* houve foi o estado de graça e estabilidade por que ansiamos - e que nunca há-de existir. É tudo uma questão de perspectiva ;-). Boas Festas, sapa :-P
Imagem de perfil

De * * Grilinha * * a 25.12.2007 às 02:34

Eu tb comecei o mês a dizer que "Não Quero ..." "Não Faço ... " etc etc .....

Lá acabei por fazer a árvore, comprar prendas, fazer a ceia, distribuir as prendas, receber prendas, ......

Já arrumei a cozinha, tenho um saco enorme de papel para reclicar e amanhã a filha e o genro voltam para almoçar, lanchar e jantar.

Uma Santa Noite e viva o Natal dos pobres e dos remediados pois os ricos nem sabem dar valor a estas coisas.

Uma Santa Noite
Sem imagem de perfil

De Ricardo Pinto a 25.12.2007 às 20:23

Espero q em 2008 as mesmas pessoas que gastaram rios e rios de dinheiro com este Natal "em crise" não se queixem da "crise". Porque se durante o resto do ano estivemos em crise para onde foi ela agora? Para os cartões de crédito? Ou para o "a minha prenda tem que ser melhor do que a dele"? Vivemos na pequenez de um orgulho enorme e parece q n tarda até nos afundarmos nele.
Sem imagem de perfil

De Ar condicionado aquece e refresca a 16.04.2008 às 21:45

O ar condicionado no Natal refresca......e no verão tem esse efeito surpreendente de ......aquecer.....só se esse sistema de ar condicionado não tá ligado. Marta.

Comentar post






Arquivo