Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jonasnuts

O único higiénico que se aproveita, é o papel

Este disclaimer começa a tornar-se um hábito no início dos posts, mas é importante fazê-lo. Este é o meu Blog pessoal, aqui são expressas única e exclusivamente as minhas opiniões pessoas que não reflectem necessariamente (e provavelmente não reflectem de todo) as opiniões dos que me rodeiam, da empresa onde trabalho, etc.


Diz-nos o Priberam que higienizar é:
 
tornar higiénico;
aplicar a higiene a;
sanear.
E vem isto a propósito de quê?

A propósito de uma discussão que é recorrente. Acompanha-me desde que ando nestas coisas da Internet, há mais de 15 anos.

Sempre que um serviço começa a ter alguma popularidade junto dos utilizadores, e passe a alojar conteúdos de muita diversidade, levantam-se de imediato as vozes da higienização. É preciso manter o serviço completamente higiénico. Em nome da moral e dos bons costumes, é preciso assegurar que as maminhas e os rabos (e mais que haja) sejam excluídos, saneados, filtrados e censurados.

No Terràvista, o ministro mandou tirar a ficha da tomada (sic) porque o serviço não era suficientemente higiénico de acordo com os seus padrões (na realidade não era suficientemente higiénico para os padrões (?) do Tal & Qual, mas ia dar ao mesmo).

Tenho uma vaga ideia de, no tempo da outra senhora, haver uma comissão de higienização. Só passava o que era higiénico. Se formos mais longe ainda, à época da 2ª guerra mundial, também havia quem quisesse higienizar, mas levavam ainda mais longe o conceito.

E isso leva-nos a uma questão importante. Quem é que define o que é higiénico e não é? Eu já tive essa missão, em vários serviços online e, garanto, não é fácil. O que é higiénico para mim não é higiénico para a pessoa do lado.

Na minha opinião, cada um deve escolher o que quer ver. Não deve haver comissões de filtragem ou de lápis azuis a escolher o que é que os outros podem ver. Não se deve ir pela negativa, pela exclusão. Destaquem-se os conteúdos que têm qualidade, mas permitam-se todos os conteúdos (legais).  Dêem às pessoas o direito de escolherem o que querem e o que não querem ver.

Em última análise, se há menores envolvidos, devem ser os pais, os professores e os encarregados de educação a fazer esse filtro. O meu filho pode ver maminhas, não sei se o filho da vizinha poderá ver maminhas. A responsabilidade da educação dos menores pertence, em primeiro lugar, à sua família. Eu não delego as minhas responsabilidades em terceiros.

Faço parte da equipa que gere os Blogs do SAPO. Desde que lançámos esta nova plataforma, apagámos (apaguei) um blog. Era um Blog com conteúdos ilegais, que ofendiam a constituição portuguesa. Mas mesmo nesse caso, que era gritante, tive dúvidas. Acabei por apagá-lo, mas ainda hoje tenho dúvidas. Se fosse hoje voltava a fazê-lo, voltava a apagar o Blog? Não sei. Na altura (e ainda hoje) várias vozes se levantaram. Uns apoiaram, outros condenaram.

Acredito que não me cabe a mim (nem a nenhuma pessoa) o papel de seleccionar o que os outros devem poder dizer,  o que os outros devem poder ver.

Tenho sempre muitas suspeitas e reservas acerca de pessoas que apoiam a higienização.  Normalmente são pessoas que acham que sabem mais que os outros, que se acham superiores e detentores da razão. Eu acredito mais no discernimento pessoal, na liberdade de escolha e na liberdade de expressão. Foi isso que os meus pais me transmitiram, é isso que transmito ao meu filho.

9 comentários

Comentar post

Pesquisar

No twitter


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D